• Noites Curtas

    On: 09/09/2019
    In: Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Noites Curtas

    13, 14 e 15 de Setembro 2019

    A partir das 20:30h

    Oficinas do Convento

     

    68505016_1204773376393637_6685890751194202112_nO Projecto Ruínas volta a apresentar NOITES CURTAS, uma curta mostra de performances teatrais, nas últimas noites de verão! Uma aposta na criação de novas dramaturgias, assentes no pressuposto da duração das peças.
    Foi lançado o desafio a dez artistas do panorama nacional para reflectirem sobre o formato e desenvolverem a sua criação partindo dessa premissa.
    Dez espectáculos de curta duração em três noites consagradas às novas dramaturgias, apresentados nos dias 13, 14 e 15 de Setembro, às 20h30, nas Oficinas do Convento, em Montemor-o-Novo.

    A entrada é livre, sujeita à lotação do espaço. As reservas podem ser feitas através de 967407748 ou p.ruinas@gmail.com.

    Coordenação e Programação_ Francisco Campos | Imagem_ Miguel Rocha | Produção_ Catarina Caetano | Financiamento_ Município de Montemor-o-Novo | MC – Direcção Geral das Artes | Parceria_ Oficinas do Convento | Apoio_ RM Vinhos

     

     

     

     

     

    Programa:
    13, 14 e 15 de Setembro
    20h30 (mediante marcação)
    >> Ana Vilela – COLECÇÃO DE SILÊNCIOS RELEVANTES
    (espectáculo intimista, para um espectador)

    13 de Setembro
    >> Maila Dimas – COLAGENS
    >> Último Andar – D.QUIXOTE
    >> AUÉÉÉU Teatro – À MINHA PROCURA

    14 de Setembro
    >> Francisco Tavares – HIPERIDROSE
    >> Carlota Lagido – MINA AURORA
    >> Isabel Costa – SABRINA

    15 de Setembro
    >> Helena Caldeira – TOO MUCH
    >> Eduardo Breda – KOBUDAI
    >> Lucifer’s Ensemble – THE FOOL’S JOURNEY

    + informação
  • Curso de Cerâmica 2019-2020

    On: 09/09/2019
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    4ªs FEIRAS, DAS 18h ÀS 20h

    CENTRO DE INVESTIGAÇÃO CERÂMICA OCT

    MONTEMOR-O-NOVO

     

    cartaz-cursoFORMADORES

    Leonor Mire/ Ana Almeida

     

    PÚBLICO-ALVO

    Público em geral, maiores de 16 anos.

    DONATIVO/INSCRIÇÕES – 30,75€ (inclui IVA a taxa em vigor)A inscrição inclui um Manual de Iniciação à Cerâmica de autoria de Ana Almeida.

     

    Donativo/Mensalidade – 4 aulas: 55,35€ (inclui IVA a taxa em vigor)

    (10% desconto para sócios, estudantes e desempregados)

    Materiais e fornadas incluídos

     

    MAIS INFORMAÇÕES

    www.oficinasdoconvento.com

    telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    OBJETIVOS

    Conhecer o barro e as suas principais propriedades;

    Aprender as principais técnicas de modelação e decoração;

    Criar peças em cerâmica utilizando a técnica ao serviço da criação;

     

    APRESENTAÇÃO (30 Outubro)

    Apresentação do programa.

    Visita guiada aos espaços das Oficinas da Cerâmica e da Terra.

     

    MÓDULO 1 (Novembro)

    6/11 – Origem e formação do barro. Como identificar e recolher barro no campo. As propriedades do barro. Os engobes naturais.

    13/11 – Introdução às técnicas de conformação. As ferramentas. Modelação livre. Técnica do maciço ocado. Barro vermelho (baixa temperatura). Pintura com engobes.

    20/11 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/11 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Acabamentos, brunidura, resinas naturais, ceras e óleos. Secagem, enforna e cozedura.

     

    MÓDULO 2   (Dezembro)

    4/12 – Técnica do rolo. Planos e curvas – Barro vermelho (baixa temperatura).

    11/12 – Técnicas de decoração com engobes: reservas, manchado, rendilhado.

    18/12 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 3 (Janeiro)

    8/1 – Técnica da lastra. Azulejos artesanais – Faiança/ Barro branco (baixa temperatura)

    15/1 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de um pequeno painel de azulejos. Lastra e corte.

    22/1 – Decorações: Pintura tradicional alentejana. Pintura do painel com engobes – esgrafitado.

    29/1 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Vidragem do painel.

     

    MÓDULO 4   (Fevereiro)

    5/2 – Técnica da lastra. Colagem. Volumes a partir de planos. Barro Vermelho (baixa temperatura)

    12/2 – Técnicas de decoração em relevo: Incisão, colagem, estampagem, empedrado, perfuração. Carimbos. Lavagens.

    19/2 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma caixa ou outra peça a partir dos conteúdos dados.

    26/2 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 5   (Março)

    4/3 – Pastas coradas. Elaboração de testes e amostras de cores. O marmorizado. Faiança (baixa temperatura)

    11/3 – Nerikomi.

    18/3 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    25/3 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 6   (Abril)

    1/4 – Reprodução em série. Moldes de gesso: enchimento com pasta e com barbotina. A porcelana (alta temperatura).

    8/4 – CRIAÇÃO: Exercício criativo. Construção de moldes de gesso.

    15/4 – Enchimento de moldes – acabamentos.

    22/4 – Enchimento de moldes. Vidrar peças. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 7   (Maio)

    6/5 – Grés, alta temperatura. Os vidrados. Suportes para testes.

    13/5 – Técnicas de decoração sobre chacota: Estresido (transferência de imagem), Corda seca, Majólica, Minas cerâmicas.

    20/5 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/5 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 8 (Junho)

    3/6 – Técnicas de transferência de imagens: decalque com carimbos.

    17/6 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    24/6 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

    1/7 – Vidragem. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    EXPOSIÇÃO COLECTIVA (Julho)

    Apresentação dos trabalhos realizados.

     

     OBJECTIVOS:

    • Aproximar o indivíduo dos processos criativos e artísticos na cerâmica e na arte.

    Focar o prazer de pensar e criar e usar a técnica ao serviço da criação.

     

    • Conhecer o barro, a sua origem e as suas propriedades

    Plasticidade, cor, endurecimento, contracção, sinterização e porosidade.

     

    • Trabalhar os diferentes métodos de conformação do barro e saber usar o mais indicado para cada situação.

    Modelação, maciço ocado, lastra, colagem, rolo, roda, moldagem.

     

    • Aprender as principais técnicas de decoração, pintura cerâmica, engobes e vidrados. Esgrafitado, estampagem, reservas, manchado, minas cerâmicas, nerikomi, etc..

     

    • Conhecer os diferentes tipos de fornos e as suas possibilidades.

    Forno eléctrico, Forno de campânula a gás (Raku), Forno de papel, Forno de serradura.

     

    • Realizar um trabalho no final do curso, a ser apresentado numa exposição colectiva.

     

     

     

    + informação
  • Concerto Wu Tiao Ren

    On: 08/21/2019
    In: Concertos
    Views: 0
     Like

    Festival This is My City apresenta o concerto Wu Tiao Ren

    8 de Setembro 2019

    18:00h

    Oficinas do Convento

     

    PrintWu Tiao Ren

    Em 2008, três habitantes de Haifeng, um bairro da cidade de Shantou, na província de
    Guangdong, juntaram-se e formaram a banda Wu Tiao Ren. A estes viria a juntar-se um
    baterista e desde então este quarteto não parou de tocar. Amao e Renke lideram a banda
    e cantam no dialeto de Haifeng e em mandarim.
    As suas composições versam sobre as vidas de marginais na China: um voyeur solteirão
    que passa horas a ver operárias a entrar e sair de fábricas, um ciclista que passeia um
    porco, um vendedor de divisas no mercado negro, um jovem revolucionário de Haifeng
    assassinado por Chiang Kai-shek em 1929.
    Marcado pela influência da ópera local e canções de pescadores, a sonoridade desta
    banda chinesa incorpora ainda gravações das ruas da cidade, buzinas de autocarros,
    ruídos de motorizadas e encenações de discussões entre vizinhos.
    “As canções devem muito ao folk rock dos compatriotas das grandes metrópoles do
    Norte, dominantes na cena underground chinesa. Contudo, o acordeão de Renke invoca a
    verve preguiçosa do sul subtropical, enquanto cada refrão é cantado com uma convicção
    que os afasta da melancolia dos cantautores de Pequim. Os roqueiros do Norte gravitam
    para Pequim a partir das paisagens do deserto de Gobi ou das pradarias da Mongólia
    Interior, terras duras e com clima rigoroso. Os hinos cantados pelos Wu Tiao Ren são
    solarengos e os temas mitológicos do litoral conjuram um mundo de deuses do mar e
    pescadoras quixotescas”, escrevia o The Wire, a propósito da banda chinesa.
    É a segunda vez que a banda chinesa atua fora da Ásia, após uma primeira experiência
    em São Paulo, Brasil, no final de 2018, também promovida pelo TIMC.

     

     

     

     

     

     

    This is My City

    O festival This is My City nasceu em Macau, em 2006, mas redesenhou-se anos depois e
    deu os primeiros passos para integrar o Delta do Rio das Pérolas numa rede criativa,
    promovendo a cultura lusófona na região. Em 2018, o TIMC teve lugar em Zhuhai, Shenzhen, Macau, e terminou em São Paulo, Brasil. Este ano, o TIMC estende-se a
    Portugal.
    O cofundador do TIMC, Manuel Correia da Silva, afirma que a ideia de expansão a Portugal surgiu na sequência de um convite da Casa da Música, no Porto. “Achámos que
    seria um ótimo pretexto para, pela segunda vez, voltar a Portugal, de uma maneira mais graúda e sólida, com a banda Wu Tiao Ren e o projeto NOYB, e com um programa mais alargado de datas onde poderíamos estar presentes”, destaca, acrescentando: “As expectativas são bastante altas, porque acreditamos que o formato que vamos apresentar e os sítios podem garantir um maior alcance em termos de audiência, mas também uma melhor experiência para os artistas convidados que vão estar envolvidos nesta tour.”

    + informação
  • Oficina Grés de Sal

    On: 08/21/2019
    In: OCT, Oficinas
    Views: 0
     Like

    Cozedura de Grés de Sal

    20, 21 e 22 de Setembro 2019

    Telheiro da Encosta do Castelo e OCT

    Inscrições até dia 12 Setembro.

     

    cartaz_sal []A Oficina de Cozedura de Grés de Sal pretende partilhar o conhecimento sobre esta técnica de cozedura a lenha de alta temperatura e possibilitar a todos os interessados a experiência de cozer peças neste forno único.

     

    DATA: 20, 21 e 22 de Setembro (Sexta, Sábado e Domingo)

    LOCAL: Telheiro da Encosta do Castelo / OCT / Montemor-o-Novo

     

    Para a participação nesta oficina, os interessados são convidados a trazer peças de sua autoria, de pasta cerâmica que suporte 1260ºC ou superior, de tamanho pequeno a médio, já chacotadas. Poderão ter engobes ou vidrados crús adequados à temperatura, aplicados pelos autores.

    Este forno e técnica de cozedura é muito interessante e diferente, algo imprevisível e por isso mesmo, um fascínio para muitos ceramistas e artistas.  Consiste em cozer peças a lenha e na parte final da cozedura, já com temperaturas muito altas, introduzir sal na câmara de queima, que deixa um vidrado sobre as peças, impossível de replicar com outras técnicas.

    Todos têm a oportunidade de introduzir peças e/ou ensaios de todos os tipos para futuras referências.

    Caso não possam chacotar as peças, ou precisem de trabalhar nos engobes ou vidrados nas nossas instalações,  poderão contactar as Oficinas da Cerâmica e da Terra (OCT) com antecedência, ou consultar a página www.oficinasdoconvento.com

    O valor da inscrição contempla a cozedura de uma peça de aproximadamente 30 x 30 x 30 cm ou várias de volume total equivalente. Para várias peças ou uma muito grande, será calculado o valor com base no mesmo módulo.

    Atenção: é da responsabilidade dos participantes assegurar que a pasta utilizada nas suas peças comporta a temperatura de 1260º ou superior, por forma a evitar estragos no forno e nas peças de outros participantes.

     

    Formadores: João Rolaça / Leonor Mire

     

    Público-alvo: Artistas, ceramistas, estudantes em geral, estudantes de cursos artísticos, professores, investigadores, curiosos e público em geral.

     

    Nº mínimo de participantes: 12

     

    Programa:

    6ª Feira, 20:

    9h30 – Apresentação, observação e análise das peças a cozer

    10h – Introdução ao Forno de Grés de Sal: características, especificidades e resultados

    11h – Enforna

    13h – Almoço

    14h – Enforna (continuação)

    17h30 – Construção da porta do forno

    18h30 – Descanso

     

    Sábado, 21:

    8h – Planificação da Cozedura, distribuição de tarefas

    8h30 – Acender o Fogo, Cozedura

    13h – Almoço

    14h – Cozedura (continuação)

    19h – Fim da Cozedura (hora estimada) e Descanso

     

    Domingo, 22:

    10h – Abertura ligeira da porta do forno e tempo livre

    16h – Abertura do Forno (pública)

    17h – Observação, análise de resultados, reflexão coletiva

    18h – Organização do espaço

    18h30 – Fim dos trabalhos

     

    Inscrições: 100 €

    Inscrições para telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    A inscrição neste workshop inclui alojamento e não inclui alimentação

    Alojamento:

    – Camarata do Convento de S. Francisco; mista; com acesso a cozinha, casa de banho e wi-fi. Trazer saco cama ou roupa de cama e toalha. Indicar no ato de inscrição.

    Alimentação:

    – Disponibilizamos a nossa cozinha para confeccionar as refeições.

    – Restauração local.

     

    MAIS INFORMAÇÕES:

    telheiro@oficinasdoconvento.com

    www.oficinasdoconvento.com

    + informação
  • Concerto Hear and Now

    On: 08/21/2019
    In: Concertos
    Views: 0
     Like

    Concerto Hear and Now com Luz Prado e Wade Matthews

    24 de Setembro 2019

    22:00h

    Oficinas do Convento

    hear_now_TOUR_CONVENTOHear and Now é um laboratório, uma investigação, uma exploração. Às vezes uma explosão, outras vezes, apenas uma insinuação efémera. Mas que um som escutado, é uma escuta que surge em murmúrio, trovão, silêncio.

    Luz Prado e Wade Matthews constituem Hear and Now, ou talvez seja melhor dizer que ainda o estão a construir, porque nada está finalizado: nem Luz, nem Wade, nem Hear and Now. O projecto não é um produto mas sim um processo, e sobretudo, um processo em processo, um proteico que atravessa o aqui e agora com a sua escuta e, às vezes, com o seu sonhar. É exactamente isso, esse fluir, que partilham com o público. Não é um presente, e não é fácil. Partilhar vislumbres nunca é.

    Vídeo

     

    Wade Matthews – computador
    www.wadematthews.info

    É doutorado em composição e electroacústica pela Columbia University de Nova Iorque. Como escritor, Matthews coordenou artigos para a Revista de Occidente e Doces Notas e publicou na La Balsa de la Medusa, mais de onze publicações da História da Música de Deutsche Grammophon.

    Vive em Madrid, onde coordena o ciclo de concertos de música improvisada ¡Escucha! no espaço CRUCE: arte y pensamiento contemporáneo.

    Nascido em Franca, de pais norte-americanos, Wade cresce em cinco países antes de se mudar para os Estado Unidos da América para realizar estudos avançados em composição musical e electroacústica em Nova Iorque. Em 1989, intala-se em Madrid, onde começa a sua carreira artística como improvisador. Desde aí, deu concertos em festivais e ciclos em mais de 20 países da Europa, Américas, África e Médio Oriente.

     

    Luz Prado -violino
    www.luzprado.com

    Violinista e improvisadora. O seu trabalho parte de um diálogo constante com o violino e tem como base o espaço e a dialéctica do processo próprio da improvisação livre. Nos últimos anos, desenvolveu projectos com dramaturgos, coreógrafos e performers que ampliam as dimensões do seu próprio escutar, gerando novas linhas de trabalho em torno do teatro.

    Desde o seu encontro, em Novembro de 2016, graças ao programa da AMEE para Novos Criadores, tem a sorte de partilhar projectos com Wade Matthews.

    Também faz parte do <i>El Triángulo</i>, um projecto educativo sobre a escuta do CA2M, e colabora com artistas como Nilo Gallego, Silvia Zayas e Elena
    Córdoba.

    + informação
  • Concerto J. Wahl

    On: 08/21/2019
    In: Concertos
    Views: 0
     Like

    Concerto J. Wahl

    27 de Setembro 2019

    22:00h

    Oficinas do Convento

    cartaz“Este projecto chama-se J. Wahl do meu nome abreviado Jonas Wahl e sou natural de Setúbal. Tudo isto foi começando, enquanto ia escrevendo pequenos textos desde os meus 13 anos e, à medida que maturei na guitarra. Decidi então, em Abril do ano passado (2018) conjugar os dois e expôr esse meu lado que até à data era só entre mim e os meus cadernos.”

    J. Wahl é a tentativa de conjugar a literatura com a música, que surge da paixão e fascínio por ambos.

    A poesia livre é o principal destaque deste projecto mas de forma alguma pondo em segundo plano a música nem desvalorizando nenhum dos elementos.

    A simplicidade e a repetição são os elementos mais vincados, propositadamente invertendo o papel tradicional das notas e das palavras na música.

    + informação
  • Clown Summer Lab Apresentação

    On: 08/05/2019
    In: Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Clown Summer Lab Apresentação

    9 de Agosto 2019

    19:00h

    Oficinas do Convento

    FB_IMG_1564993864190O Laboratório Clown de Verão abre as suas portas para mostrar o trabalho realizado durante 10 dias de pesquisa em torno do clown minimalista com Tom Roos. Nesta apresentação mostraremos exercícios realizados durante o curso e também algumas das criações desenvolvidas.
    Haverá também a exibição dos desenhos realizados ao vivo pela ilustradora Alowies (www.alowies-art.be)
    Bem vindos!
    Entrada gratuita

    + informação
  • International Clown Summer Lab

    On: 07/29/2019
    In: Oficinas, Residências
    Views: 0
     Like

    International Clown Summer Lab in Portugal with Tom Roos

    De 29 de Julho a 9 de Agosto 2019

    Oficinas do Convento

     

    PrintEstá a decorrer o International Clown Summer Lab na Oficinas do Convento até ao dia 9 de Agosto. Este encontro é dirigido a palhaços, actores, bailarinos, professores…., quem quiser aprofundar a sua presença humana para uma audiência. As sessões decorrem de manhã e durante a tarde, os participantes têm tempo para pesquisar e trabalhar juntos em pequenos grupos. A noite fica reservada para o convívio e partilha de ideias.

     

     

     

    + informação