• Isto NO Digital

    On: 01/04/2010
    In: Espectáculos
    Views: 0
     Like

    sobre o projecto…

    No início deste ano (2009) um amigo nosso de nacionalidade Boliviana, mudava-se de casa, inúmeros caixotes, móveis, objectos, etc. que a sua tia, dona da casa, lhe tinha deixado encontravam-se por toda a casa, o Bernardo (nosso amigo) com o objectivo de ir viver para Londres no final do ano, não tinha mais nada a fazer se não oferecer ou vender algumas coisas e outras deitar para o lixo.
    Acompanhando-o ao longo de três anos, a sua estadia em Portugal, também fizemos parte desta fase de mudança de casa, ficamos com alguns bens: um piano, um móvel, muitos livros, alguns vinis e Cartas.
    Aqui começa o nosso projecto, quando encontramos dois caixotes cheios de cartas, cartas escritas à mão, em envelopes com riscas azuis e vermelhas. Na altura passou despercebido sobre o que eram, a imagem gráfica que aquela quantidade de cartas juntas proporcionavam era o suficiente para as querermos, pois iam para o lixo.
    Soubemos apenas de quem eram: são cartas da minha família, podem ficar com elas…
    O valor daquele material estava em aberto, nunca imaginaríamos que tínhamos tal potencial em mãos.

    Temos 639 datas, de 3 décadas diferentes, de 13 anos diferentes:

    94 cartas do ano de 1972
    213 cartas do ano 1973
    114 cartas do anos 1974

    1 carta do ano 1984
    18 cartas do ano 1985
    26 cartas do ano 1986
    46 cartas do ano 1987

    5 cartas do ano 1991
    33 cartas do ano 1992
    40 cartas do ano 1993
    25 cartas do ano 1994
    12 cartas do ano 1995
    12 cartas do ano 1996

    Iniciámos a primeira catalogação em Agosto de 2009, os ensaios começámos em Setembro, a Residência na EIRA 33 começou em Outubro onde ainda continuamos, também paralelamente temos a Livraria Trama que nos apoio como espaço de reuniões/ensaios.

    Para mais informações: http://istodigital.blogspot.com

    + informação
  • CONCERTO WORKESTRASOMPERDIDA – SÁBADO | 19 DEZ | 22H

    On: 12/17/2009
    In: Concertos
    Views: 0
     Like

    À Procura do Som Perdido, é um laboratório sonoro de criação musical sonora Ouvir-Ver-Ouvir que procura a melhor ligação de carácter visual sonoro no concerto performativo, ajustando-lhe novos sons e tons, oferecendo um contexto composicional de DESconstrusom e REconstrusom nunca atingindo uma forma final, evoluindo e desenvolvendo-se cada vez que é executada.

    Neste laboratório (auditório, sala ensaios, anfiteatro….) estão posicionadas diversas esculturas sonoras instrumentos fazedores de sons e tons, pertença do artista, construídas através do aproveitamento de objectos normalmente considerados lixo, entre outros estranhos objectos sonoros, alunos do ensino secundário, estudantes de música do secundário ou conservatório, serão reunidos de modo a desenvolverem cumplicidades / discursos / experiências sonoras, que irão no final deste processo de trabalho culminar na criação de uma orquestra intitulada Workestrasomperdida a ser workestrada / apresentada ao público.

    Este projecto procura explorar a dinâmica como objecto principal no som, trabalhando assim variações de velocidade, de intensidade e de timbre, e motivar os participantes para o desenvolvimento da sensibilidade sonora, do sentido crítico para a mudança de atitudes e de valores sobre o espaço envolvente.  A proposta do artista é o preenchimento da performance de Acção Directa na incessante procura do som perdido… que se espera não encontrar.

    + informação
  • COMUNICADO BOLSAS DE RESIDÊNCIA ARTÍSTICA ‘DA TERRA E DO AR’ 2009/2010

    On: 12/17/2009
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Informamos que, devido à ausência de um dos membros do júri, a selecção de candidatos para as residências artísticas está a sofrer um atraso significativo. A publicação do resultado da selecção será feita, no máximo, até dia 5 de Janeiro de 2010. A todos os candidatos pedimos desculpa pela demora.


    + informação
  • SONOSCULTURA – À PROCURA DO SOM PERDIDO

    On: 11/26/2009
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    À Procura do Som Perdido, é um laboratório sonoro de criação musical sonora Ouvir-Vêr Ouvir que procura a melhor ligação de carácter visual sonoro no concerto performativo, ajustando-lhe novos sons e tons, oferecendo um contexto composicional de DESconstrusom e REconstrusom nunca atingindo uma forma final, evoluindo e desenvolvendo-se cada vez que é executada.

    Neste laboratório (auditório, sala ensaios, anfiteatro….) estão posicionadas diversas esculturas sonoras instrumentos fazedores de sons e tons, pertença do artista, construídas através do aproveitamento de objectos normalmente considerados lixo, entre outros estranhos objectos sonoros, alunos do ensino secundário, estudantes de música do secundário ou conservatório, serão reunidos de modo a desenvolverem cumplicidades / discursos / experiências sonoras, que irão no final deste processo de trabalho culminar na criação de uma orquestra intitulada Workestrasomperdida a ser workestrada / apresentada ao público.

    Este projecto procura explorar a dinâmica como objecto principal no som, trabalhando assim variações de velocidade, de intensidade e de timbre, e motivar os participantes para o desenvolvimento da sensibilidade sonora, do sentido crítico para a mudança de atitudes e de valores sobre o espaço envolvente.  A proposta do artista é o preenchimento da performance de Acção Directa na incessante procura do som perdido… que se espera não encontrar.

    João Ricardo de Barros Oliveira

    Natural de Viana do Castelo, trabalha entre Portugal e Alemanha, Berlim, onde centraliza o desenvolvimento da sua actividade de músico-escultor sonoro. Dedica-se predominantemente à criação de novos sons instrumentais. A dimensão da sua obra chega desde esculturas até à concepção de novos instrumentos musicais e objectos sonoros, construídos a partir de objectos recuperados do lixo. A criação de objectos esculturais capazes de produzir sons com identidade própria, que nunca estão prontos e evoluem sempre para novas e inusitadas sonoridades, a partir de “objects trouvés“ tem sido a sua cruzada de mais de década e meia de experimentação estética e sonora. O ensaio de novas linguagens sonoras num projecto que se alia à escultura e à transformação do lixo em arte sonora.

    Colaborou com diversos artistas portugueses e estrangeiros, participou em numerosos festivais internacionais de música, dirigiu “workshops“ para crianças e seniores sobre construção de instrumentos a partir do lixo, apresentou a sua música na rádio e televisão na Noruega, Portugal, Espanha, Alemanha, Inglaterra, Áustria e nos E.U.A compôs música para filmes de Anna Hoegh Krohn, no qual também actuou como protagonista.

    + informação
  • 2º ENCONTRO CONVERSAS À VOLTA DA LUZ

    On: 11/17/2009
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    2º Encontro
    21 de Novembro 2009
    das 10.00 às 13.00, das 15.00 às 18.00

    Sinopse/Programa

    Assume a forma de seminário propõe explorar a necessidade de registo e inscrição no paradigma artístico contemporâneo, para os quais foram convidados dois fotógrafos.

    Cada deverá fazer exposições sobre a sua obra.

    Autores Convidados:

    Duarte Belo, Fotógrafo

    Pedro Letria, Fotógrafo

    José M. Rodrigues, Fotógrafo e Curador destes encontros.

    Esta acção dá continuidade ao trabalho desenvolvido pela Associação Oficinas do Convento e também a uma série de Encontros informalmente realizados entre fotógrafos, tais como Gerard Castello-Lopes, Duarte Belo  e José M. Rodrigues. Ao promover estes seminários a associação pretende alargar esses Encontros a um público mais vasto. Os autores irão expor o seu trabalho, investigação, abordando metodologias processuais de pesquisas e aspectos técnicos de concretização da arte final.

    Este Ciclo segue a linha de anteriores ciclos de conferências intitulados “Conversas à Volta de …” promovidos por esta associação, tais como “Conversas à Volta dos Conventos”,  “Conversas à Volta da Terra”,  “Conversas à Volta de Rio”,  “Conversas à Volta do Espaço”, entre outras, contando com a presença de especialistas das diferentes áreas de investigação abordadas. Espaço de debate, troca de experiências e actualização de conhecimentos.

    Inscrições:

    5€ Participantes

    Cartaz conversas a vola da luz + informação
  • RESULTADO DO CONCURSO | BOLSAS DE RESIDÊNCIAS “Da Terra e do AR”

    On: 10/07/2009
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    No dia 5 de Setembro de 2009, reuniu-se  pelas 10h na sede da Associação Oficinas do Convento o júri de avaliação e selecção das candidaturas às Bolsas de Residência da Terra e do Ar, composto pelos seguintes elementos: Tiago Fróis Dias da Silva – escultor – presidente da Associação; Virgínia Fróis – escultora; João Miguel Marques  – Vereador da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

    As áreas de Música e Poesia Visual e Design foram previamente avaliadas por parecer pelos menbros do júri ,Nuno Rebelo – músico ; Américo Rodrigues – Poeta Performer e Ana Thudichum Vasconcelos – Designer.

    O Fotógrafo José Manuel Rodrigues. não esteve presente no Júri, pelo motivo de não ter sido apresentada candidatura na área da Fotografia.

    Acta do concurso da Terra e do Ar (1347) + informação
  • REABERTURA DO CONCURSO | BOLSAS DE RESIDÊNCIAS “Da Terra e do AR”

    On: 10/07/2009
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Bolsas de Residência “Da Terra e do AR”

    Bolsas de Residências
    Oficinas do Convento
    2009/2010

    De Acordo com a decisão do júri do concurso, decidiu-se proceder à reabertura de concurso nas áreas da Fotografia, Escultura e Design devendo as propostas contemplar como recurso tecnológico o emprego de técnicas da cestaria e/ou cerâmica de baixa temperatura e com recurso a materiais endémicos.

    Regulamento do concurso da Terra e do Ar (1668) + informação
  • Lost & Found

    On: 09/08/2009
    In: Concertos
    Views: 0
     Like

    Concerto dia 17 de Setembro de 2009 | 22:00horas
    Convento de S. Francisco Montemor-o-Novo

    Mark Lewis Tompkins voz e textos
    Nuno Rebelo guitarra, arranjos, videos

    Apesar de poder parecer uma versão de bolso de “Mark Lewis & The Standards” (o grupo rock que integra Mark Lewis Tompkins, Nuno Rebelo, Vítor Rua, Alexandre Cortez e Fred Ferreira), “Lost & Found” é na realidade um projecto com uma identidade própria, contando com uma componente cenográfica – os vídeos – que é exclusiva deste projecto. Certo é que alguma transfusão existe entre os dois projectos: em “Lost & Found” podem escutar-se novas versões de algumas das canções dos Standards mas também nasceram aqui algumas canções que posteriormente passaram a ser também tocadas por “Mark Lewis & The Standards”.

    Uma das características deste projecto é a utilização do vídeo não apenas como cenografia mas também como banda sonora sobre a qual os dois músicos actuam. No vídeo estão presentes os sons e as imagens de como esses sons são produzidos, por vezes como se de uma caixa de ritmos visual se tratasse.

    Embora nunca tenham actuado em Portugal, os “Lost & Found” actuaram até à data em Viena, Berlim, Ljubljana, Paris, Toulouse, Barcelona e Girona.

    Vídeo do concerto em Berlim, Agosto de 2009:

    + informação