• Residência Dança de Materiais Inertes

    On: 04/22/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Residência Artística Danças de Materiais Inertes

    De 19 a 22 de Abril, Simão Costa e Marta Cerqueira vão estar em residência da Oficinas do Convento a desenvolver o seu projecto “Dança de Materiais Inertes”.

    _MG_5743Dança de Materiais Inertes é uma colecção de peças que tem início em 2016.
    #1 Vento | #2 Placas Tetónicas | #3 MOVEDIÇO | #4 Ar
    Tem como premissa geral compor roteiros de movimentos que compõem uma dança, usando o som como precursor, ou seja som que percute e gera movimento.
    Nasce da vontade de contemplar. De observar a realidade como se de um espetáculo se tratasse. Olhar para as coisas inertes e ver nelas vida, sempre que há nelas movimento. Reflete poeticamente sobre a influencia mecânica do homem e suas máquinas sobre o planeta. Deste modo é sobre a poeira, o cosmos, o mar, o vento, o plástico, sobre todas as partículas micro e macro.

    Dança de Materiais Inertes é uma criação de Marta Cerqueira e Simão Costa.
    Um olhar coreográfico, cinético e musical sobre coisas inertes.
    Marta Cerqueira e Simão Costa são presenças assíduas nos palcos nacionais e internacionais como interpretes e criadores/ co-criadores, tanto a solo e em nome próprio como em colaboração com outros artistas.
    Bailarina e pianista, ambos com formação de base clássica, partilham também um percurso caracterizado por múltiplas colaborações com outros criadores, juntando nas suas carreiras experiências de interpretação e/ou criação nas quais se incluem interações com outras áreas como o cinema, artes visuais, teatro, novo circo, arquitetura.
    O trabalho desta dupla explora uma transdisciplinaridade profícua e uma certa dose de
    obsessão pelo rigor e detalhe.
    Deste modo “Dança de Materiais Inertes” explora as fronteiras do trabalho com o som e com o movimento. Investiga as dimensões em que o Som é Movimento e o Movimento é Som, criando danças em que os “bailarinos” por vezes são inertes e em que o seu ânimo e o movimento causado pelo som de altifalantes e pelo impacto destes no corpo.

    + informação
  • Residência Artística Sofia Pires

    On: 04/22/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Residência Artística de Sofia Pires na Oficinas do Convento

    sofia piresDe 22 de Abril a 1 de Maio, a Oficinas do Convento recebe Sofia Pires, que estará em residência no Convento de S. Francisco a concretizar a fase de edição da sua curta-metragem “Sines ou a amizade, aos papéis”.

    O seu trabalho circula entre a colagem, a fotografia e a imagem em movimento. Neste momento, Sofia Pires encontra- se em processo de produção de um filme rodado – como um conjunto de fotografias em película de 35mm – durante um fim de semana, na edição do ano passado do Festival Músicas do Mundo em Sines. Esta curta- metragem é uma espécie de álbum em movimento a partir de um fim de semana de Verão onde três velhas amigas se (re)descobrem suspensas e em transição para a idade adulta.

    + informação
  • Tradição >< Contemporâneo

    On: 04/15/2019
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Tradição >< Contemporâneo

    Programa de residências artísticas para criadores da Região

    – Alentejo –

    Artes plásticas: Cerâmica, Terra e/ou novos media

     

     

    cartaz-residencias-locais1Enquadrado pelo programa quadrienal Técnica, Artes e Lugares, A Oficinas do Convento abre em 2019 possibilidade de novas relações potenciando-as através de uma bolsa anual para a produção artística regional.

    Através deste concurso anual, a OC com os seus recursos técnicos permitirá o desenvolvimento de um projeto em residência artística dirigido a jovens criadores residentes no Alentejo.

    Pretende-se potenciar a aproximação entre a comunidade jovem artística e a OC, disponibilizando recursos e aprendizagens como forma de desenvolvimento do seu trabalho.

    Em 2019 a OC lança pela segunda vez o concurso tendo como tema a Tradição e Contemporâneo.

    Pretende-se desafiar, artistas, designers e arquitetos, para a criação de obras que contribuam para um processo continuado de reinterpretação, cruzamento e inovação de técnicas.

    Dar-se-á relevância a propostas a desenvolver em regime de Residência que tenham preferencialmente referências à região, património histórico e natural, cultura local e recursos e que contemplem modos de produção tradicional bem como “novos media”, refletindo a sua atualização na metodologia e na forma.

     

     

     

     

     

     

    Objectivos

     

    Potenciar a criação de jovens artistas regionais, através de um processo formal que lhes permite beneficiar dos recursos locais.

    Estreitar relações com a comunidade artística jovem regional;

    Promover a criação artística e produção de projetos inovadores revitalizando as técnicas tradicionais e artesanais;

    Apoiar criadores emergentes da nossa região;

    Potenciar a interação entre a produção artística e a comunidade local, contribuindo para a promoção dos recursos naturais, culturais e económicos da região;

    Contribuir para o desenvolvimento de processos participativos promovendo o envolvimento da população;

    Aproximar os cidadãos das práticas artísticas contemporâneas. Valorizar a cultura local promovendo o desenvolvimento sócio cultural e a criação de objetos com valor poético.

    Regulamento

    Ficha de Inscrição

    + informação
  • Open Call for Artistic Residencies – Tijolo |Brick

    On: 04/15/2019
    In: Noticias, OCT, Outros Eventos, Residências
    Views: 0
     Like

    (please scroll down to read in English)

     

    PT//

    residencia-tijolo-2019-pt Tijolo | Residências Artísticas

    CONCURSO PARA RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS NA OFICINAS DO CONVENTO

    Candidaturas abertas até dia 15 de Abril 2019

    Duração da residência: 1 mês

    Enquadrado pelo programa quadrienal Técnicas, Artes e Lugares, A Oficinas do Convento abre em 2019, pela segunda vez, um Concurso para Residências Artística na Oficinas do Convento tendo como mote o Tijolo enquanto elemento base para a criação artística.

    CONTEXTUALIZAÇÃO

    Fabricado e utilizado por todas as culturas do mundo, o tijolo é um objecto intemporal, de formatos e dimensões relativamente regulares, porém de uma diversidade que condiz com as diferenças culturais existentes. De fabrico antigo ou moderno, a sua prevalência social torna também visível a identidade existente entre os homens.

    Os tijolos produzidos no Telheiro da Encosta do Castelo, Montemor-o-Novo, são de influência medieval, proveniente ainda da tradição romana e bizantina[1]. De uma constituição arenosa, feitos de uma pasta de argila, terra e água, numa consistência próxima à da lama, os tijolos apresentam aspecto maciço e evidenciam a manufactura artesanal, pelas marcas da mão inscritas na superfície. Sendo de produção antiga, os tijolos têm também a característica de fazerem parte da imagem das construções vernaculares do Alentejo. No entanto, a propósito dos cruzamentos disciplinares desenrolados pelas Oficinas do Convento e o contexto artístico onde se insere a associação, pretende-se fomentar a utilização do tijolo na criação artística e valorizar os recursos existentes no Telheiro da Encosta do Castelo, quer no âmbito da produção de materiais de construção, quer no âmbito do apoio à criação artística, propondo assim a realização de residências na área artística que tenham o tijolo como base para a criação.

     

    Aqui, o tijolo, além de poder ser pensado na sua dimensão mais imediata — objectual e construtiva — evidenciando aspectos de produção, formação, conformação ou aplicação, poderá ser considerado também na sua vertente poética, social, histórica ou cultural.

    Tais âmbitos de abordagem poderão ser explorados em diferentes linguagens da criação — escultura, instalação, vídeo, fotografia, desenho, entre outros — cruzando ou tocando casualmente as fronteiras da arquitectura e do design.

    Sem desmerecer ou preterir a elaboração de esculturas de índole objectual, no caso de projectos de maior escala, dar-se-á prioridade a propostas de carácter efémero, processual ou de índole colaborativa que resolvam, neste último caso, eventuais questões práticas da cidade.

    APRESENTAÇÃO BREVE

    O tijolo pode ser pensado e usado na sua dimensão mais imediata — objectual e construtiva — evidenciando aspectos de produção, formação, conformação ou aplicação ou ser considerado na sua vertente poética, social, histórica ou cultural, explorando a diversidade e as potencialidades formais e conceptuais do tijolo, através de diferentes linguagens da criação.

    Assim, este concurso destina-se a autores das seguintes áreas:

    • artes-plásticas: escultura e/ou pintura
    • arquitectura
    • cerâmica
    • desenho
    • design
    • escrita
    • fotografia
    • instalação
    • vídeo

    [1] FRÓIS, Virgínia, SILVA, Vasco Fernando Dias, Realibitação de um Telheiro em Montemor- o-

    Novo, In ArteTeoria, Revista do CIEBA – Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes –

    Secção Francisco de Holanda, no 14/15, 2011/2012, Lisboa, p. 101.

    Regulamento

    Ficha de Inscrição

     

    EN//

    residencia-tijolo-2019-engBrick | Artistic Residencies

    Open Call for Artistic Residencies in Oficinas do Convento

    Last day for the applications is on the 15th of April 2019

    These Artistic Residencies are part of the program “Técnicas, Artes and Lugares”, the project,opens, once again, in 2019, an open call for Artistic Residencies in Oficinas do Convento having as a motto the Brick as a basis element for artistic creation.

    Contextualization

    Manufactured and used by all of the cultures in the world, the brick is a timeless object, with relatively regular formats and dimensions, nevertheless of a diversity that matches with the existing cultural differences. From old or new manufacture, its social prevalence gives visibility to the existing identity between men.

    The bricks produced in Telheiro da Encosta do Castelo, Montemor-o-Novo, are of medieval influence, stemmed from the roman and byzantine traditions. From a sandy composition, made from a clay paste, earth and water, in a consistency similar to the mud, the bricks present a solid aspect and highlight the manual manufacture by the hand marks on its surface. Being of old production, the bricks are also part of the vernacular constructions of Alentejo. Nevertheless, as a result of the disciplinary intersections developed by the Oficinas do Convento and its artistic context. It is investigated the use of brick in the artistic creation and to value the existent resources in Telheiro da Encosta do Castelo, in a material production context and as a support for the artistic creation.

    Such contexts of approach can be explored in different languages of creation – sculpture, installation, video, photography, drawing, and more – crossing or touching in a casual way the borders of architecture and design.

     

    Application Process

    The main aim of Brica-Artistic Residencies is to think and explore this product in its most immediate dimension – objective and constructive – highlighting the production aspects, formation, conformation or application, or in its poetical, social, historical or cultural aspect, exploring the diversity and the formal and conceptual potentialities of the brick, through different languages of creation.

    Therefore, this call is destined to artistic proposals in the following areas:

    • Plastic arts: sculpture and/or painting
    • Architecture
    • Ceramics
    • Drawing
    • Design
    • Writing
    • Photography
    • Installation
    • Video

    Regulation

    Application Form

     

    + informação
  • Residência Castle Jam

    On: 03/20/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    CASTLE JAM

    De 29 a 31 de Março 2019

    castlejamA Castle Jam é uma residência artística orientada para a criação colectiva de jogos digitais e analógicos, que vai ocorrer no Convento de S. Francisco (Oficinas do Convento).

    O evento decorre de dia 29 de Março 8PM a 31 de Março 8PM, decorrendo ao longo de cerca de 48h contínuas.

    Existem 15 vagas para participantes para a Castle Jam, providenciando-se acesso a duches e uma sala de descanso (os participantes devem trazer os seus próprios sacos de cama e produtos de higiene).

    A Castle Jam é uma iniciativa de A Ludoteca e Oficinas do Convento.

    Inscrições

     

    + informação
  • Residência Artística Rosa Mimosa y Sus Mariposas

    On: 03/11/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Durante os dias 11, 12 e 13 de Março, a Oficinas do Convento recebe Rosa Mimosa y Sus Mariposas em residência artística, onde estarão focados na criação de temas, com o intuito de vir a gravar o seu primeiro álbum.

    FB_IMG_1552054853659Paixão, fervura de dançar, alegria e cultura Latino-Americana para aquecer os corações!
    Rosa Mimosa y sus mariposas! Nasce em Lisboa em Março de 2016, num lugar de encontro de amigos,  que através da influência da Cumbia se tornou num espaço de intercâmbio e de partilha de diferentes raízes culturais e musicais que cada integrante leva consigo.
    “Rosa” é o significado da floração dos ensaios, jams de muitas pessoas que desfrutam e dançam a frequência que a Cumbia transmite.
    Rosa Mimosa y Sus Mariposas, leva-nos pelos diversos ritmos cumbieros da América-latina desde a Cumbia tradicional colombiana, passando pela Chicha peruana, o Punk-cumbiero argentino, Nueva Cumbia chilena, a Cumbia criolla,
    “Las mariposas” contam com um set de sopros, percussões, cordas e duas vozes. Os seus integrantes vêm de diversas partes, desde Lisboa ao Norte de Portugal, como Angola, Uruguay e Argentina.
    + informação
  • Residência Artística “Wearing bricks – a body landscape”

    On: 12/04/2018
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

     

    Residência Artística “Wearing bricks – a body landscape”

    project-outline-009Inicia-se hoje a Residência Artística “Wearing bricks – a body landscape” de Cristina Gallizioli e Marco Ferrari, que se vai dividir em duas fases. A primeira fase vai decorrer entre os dias 3 e 10 de Dezembro de 2018, enquanto que a segunda fase terá lugar no início do próximo ano.

    Este projecto insere-se no concurso de Residência Artística do Tijolo,  onde a abordagem ao Tijolo vai ser o ponto fulcral no desenvolvimento deste trabalho e vai consistir na instalação de pequenos tijolos, para criar estruturas arquitectónicas em torno do corpo como se este se tratasse de uma paisagem. A instalação transforma-se numa performance através da presença da figura humana, da mesma forma que os artistas vão usar os projectos dos pequenos tijolos  na criação de um cenário para as suas histórias tomarem lugar.

    Segundo os artistas, o projecto é uma experimentação da imaginação, da mesma forma que estará aberto para discussão e receptivo a ideias no que diz respeito ao uso de pequenos tijolos no design, na arquitectura, na produção de detalhe e objecto, como forma de tirar proveito da modularidade e das características tácteis do tijolo.

     

     

     

     

     

    + informação
  • Residência Artística Nadia and Raphaël

    On: 11/28/2018
    In: Residências
    Views: 0
     Like

     

    Residência Artística Nadia e Raphaël na Oficinas do Convento

    De 29 de Novembro a 5 de Dezembro

    Improvisação em música e dança

     

    nadia e raphaelNadia e Raphaël começaram a trabalhar juntos em 2017 na Malásia, no sexto No Borders Project, uma performance colaborativa em residência. Criaram o seu primeiro dueto baseado na improvisação e na dança: dueto, apresentado em Kuala Lumpur Performing Art Center, em Janeiro 2018.

    Estão agora a desenvolver uma nova peça baseada na improvisação através da questão da inspiração e da influência. O que é que me afecta enquanto danço? De que forma confio no meu parceiro, na audiência e nos meus sentidos? De que forma é que o ambiente, o cheiro, a luz, os sons, transformam a dança criada por nós?

    A sua investigação foca-se na qualidade da presença. a sua intenção é convidar a audiência a mergulhar nesta qualidade com eles, para sentir a experiência colectiva efémera ao qual eles chama de performance. Querem ligar esta investigação com a natureza e os seus sons, luzes e cheiro. É por isso que têm a intenção de convidar a audiência a gostar da música e da performance de dança num espaço aberto.

     

    Biografias

    Nadia Funes

    Nasceu na Argentina, em 1981 e vive agora no Brasil. Instrutora de Yoga e Acroyoga, Nadia Funes actuou como educadora e performer na investigação da consciencialização do corpo nas áreas de Improvisação de Contacto, Body Music e técnicas circenses há mais de 13 anos. Começou os seus estudos nas áreas performativas em 1998 e deixou o seu país em 2006 com o objectivo de expandir o seu conhecimento através de culturas mundiais, acreditando na integração das artes com o caminho espiritual. Viajou enquanto performer na Europa e na América Latina, viveu 3 anos na Ásia onde aperfeiçoou os seus estudos espirituais e graduou-se em terapias Thai. Actualmente vive no Brasil onde dá cursos, assistência Thau e apresentações de performances na AguaTai e no núcleo Conexão Tailandia, onde, constantemente, lhe é providenciado melhores técnicas que contribuem para a melhoria da qualidade de vida e relações, honrando os pilares do amor, respeito, aceitação e alegria. Hoje em dia é uma das professoras do movimento AcroContacThai em São Paulo, Brasil.

    Trabalha com especial atenção com Tok Sen e terapia Thai Yoga.

     

    Raphaël Holt

    Nasceu em 1987, em França e vive actualmente em Paris. Raphaël Holté um improvisador, cineaasta e impulsionador. Em 2011 graduou-se na Escola Francesa de Filme Nacional Louis Lumière, onde escreveu a sua tese sobre a improvisação no cinema. É aí que começa a desenvolver a sua própria linguagem em ficção, realizando curtas metragens usando improvisação colectiva e “open scores”. Raphaël continuou a aprender enquanto assistente em filmes realizados por Woody Allen, Yves Angelo, Fernando Meirelles e Michel Gondry em Paris e Nova Iorque.

    De 2012 a 2014, em residência no Estúdio de Arte Contemporânea Le Fresnoy, integrou dança com cinema através da práctica filmica e performance. Explorou o movimento através da improvisação e improvisação de contactp com Karen Nelson, Tal Avni, Malcolm Manning e Vangelis Legakis.

    Desde 2015, Raphaël tem dançado, viajado e filmado em vários projectos trasnpondo o ritual, a performance e o film na América do Sul, Ásia e Europa.

     

    + informação