• Exposição 4096_cm3

    On: 10/07/2019
    In: Exposições, OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Exposição 4096_cm3: a look at artisinal brick

    Por Mathias Vincent, Thomas Flores e Marlon Bagnou Beido.

    11 de Outubro | 17h

    Oficinas do Convento

    layout-poster_24096 cm3, um projecto interdisciplinar sobre a produção artesanal de tijolo.
    O projecto “4096 cm3” é o resultado do diálogo que surgiu entre um arquitecto, um designer e um artista ao desenvolverem uma residência na Oficinas do Convento, mais precisamente, no Centro de Investigação de Cerâmica, em Montemor-o-Novo.

    4096 cm3 é a quantidade de matéria (barro, água e areia) que é necessária para encher um molde de tijolo de burro, um tijolo artesanal produzido pela OCT. Ao usar o volume deste tijolo, um novo elemento modular surgiu, com o propósito de transportar o tijolo para a esfera doméstica.

    O preenchimento enquanto lógica de reunião e a modularidade, ligada ao tijolo, foram usados de forma a chegar a uma variedade de formas capazes de sugerir um propósito, sem declarar uma função específica. Conduzidos pelo desejo de chegarem a volumes capazes de acolher uma ambiguidade entre mobília, material de construção e escultura, o projecto pretende aproximar-se à possibilidade de uma forma “grau zero”.
    O diálogo com o sítio de produção e os seus intervenientes, conceptualmente e tecnicamente, ditaram a evolução do projecto. A pilha de tijolos, prateleiras e ferramentas de produção, definiram o vocabulário que alimentou continuamente este diálogo. O sistema de empilhamento tradicionalmente usado para dispor o tijolo e a cerâmica no forno, inspirou directamente a lógica de reunião usada para organizar os elementos entre eles.
     
    As curvaturas da cerâmica, racham e deformam-se quando secam. Ao aceitar e ultrapassar o método de produção artesanal do tijolo usado na OCT, o projecto pretende desafiar as propriedades do barro, operando no limite do material, com uma relação próxima com o conhecimento local.
     –EN–
    4096 cm3, an interdisciplinary pro- ject about the craft of brick making

    The project “4096 cm3”is the results of the dialogue that emerged between an architect, a designer and an artist when spending a month of residency in the facili- ties of OCT (oficinas da ceramica e terra), the artisanal brick factory of Montemor-o-novo in Alentejo, PT.

    4096 cm3 is the quantity of matter (clay, water and sand) that is required to fill the mold of a tijolo burro, a traditional brick produced by OCT. Using the volume of this brick a new modular element emerged, aiming to bring the brick into domestic sphere.

    The stacking as logic of assembly and the modularity, inherent to the brick, were used to reach a variety of shapes capable of suggesting a purpose, without stating a specific function. Led by the desire to reach volumes capable to foster an ambiguity between furniture, con- struction material and sculpture, the project wants to approach the possibility of a form’s “degree zero”.

    The dialogue with the site of production and its actors conceptually as well as technically dictated the evolu- tion of the project. Sleeping stack of bricks, racks and production tools, defined a sculptural vocabulary that continually fed this dialogue. The stacking system tradi- tionally used to dispose brick and ceramics in the Kiln directly inspired the logic of assembly used to organize the elements with each other.

    Ceramics bends, crack and deforms when drying. By embracing and exceeding the method of artisanal brick making used in OCT, the project wants to challenge the clay’s properties, operating at the limit of the material, in close relation with the local expertise.

     

    + informação
  • Curso de Cerâmica 2019-2020

    On: 09/09/2019
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    4ªs FEIRAS, DAS 18h ÀS 20h

    CENTRO DE INVESTIGAÇÃO CERÂMICA OCT

    MONTEMOR-O-NOVO

     

    cartaz-cursoFORMADORES

    Leonor Mire/ Ana Almeida

     

    PÚBLICO-ALVO

    Público em geral, maiores de 16 anos.

    DONATIVO/INSCRIÇÕES – 30,75€ (inclui IVA a taxa em vigor)A inscrição inclui um Manual de Iniciação à Cerâmica de autoria de Ana Almeida.

     

    Donativo/Mensalidade – 4 aulas: 55,35€ (inclui IVA a taxa em vigor)

    (10% desconto para sócios, estudantes e desempregados)

    Materiais e fornadas incluídos

     

    MAIS INFORMAÇÕES

    www.oficinasdoconvento.com

    telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    OBJETIVOS

    Conhecer o barro e as suas principais propriedades;

    Aprender as principais técnicas de modelação e decoração;

    Criar peças em cerâmica utilizando a técnica ao serviço da criação;

     

    APRESENTAÇÃO (30 Outubro)

    Apresentação do programa.

    Visita guiada aos espaços das Oficinas da Cerâmica e da Terra.

     

    MÓDULO 1 (Novembro)

    6/11 – Origem e formação do barro. Como identificar e recolher barro no campo. As propriedades do barro. Os engobes naturais.

    13/11 – Introdução às técnicas de conformação. As ferramentas. Modelação livre. Técnica do maciço ocado. Barro vermelho (baixa temperatura). Pintura com engobes.

    20/11 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/11 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Acabamentos, brunidura, resinas naturais, ceras e óleos. Secagem, enforna e cozedura.

     

    MÓDULO 2   (Dezembro)

    4/12 – Técnica do rolo. Planos e curvas – Barro vermelho (baixa temperatura).

    11/12 – Técnicas de decoração com engobes: reservas, manchado, rendilhado.

    18/12 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 3 (Janeiro)

    8/1 – Técnica da lastra. Azulejos artesanais – Faiança/ Barro branco (baixa temperatura)

    15/1 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de um pequeno painel de azulejos. Lastra e corte.

    22/1 – Decorações: Pintura tradicional alentejana. Pintura do painel com engobes – esgrafitado.

    29/1 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Vidragem do painel.

     

    MÓDULO 4   (Fevereiro)

    5/2 – Técnica da lastra. Colagem. Volumes a partir de planos. Barro Vermelho (baixa temperatura)

    12/2 – Técnicas de decoração em relevo: Incisão, colagem, estampagem, empedrado, perfuração. Carimbos. Lavagens.

    19/2 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma caixa ou outra peça a partir dos conteúdos dados.

    26/2 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 5   (Março)

    4/3 – Pastas coradas. Elaboração de testes e amostras de cores. O marmorizado. Faiança (baixa temperatura)

    11/3 – Nerikomi.

    18/3 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    25/3 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 6   (Abril)

    1/4 – Reprodução em série. Moldes de gesso: enchimento com pasta e com barbotina. A porcelana (alta temperatura).

    8/4 – CRIAÇÃO: Exercício criativo. Construção de moldes de gesso.

    15/4 – Enchimento de moldes – acabamentos.

    22/4 – Enchimento de moldes. Vidrar peças. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 7   (Maio)

    6/5 – Grés, alta temperatura. Os vidrados. Suportes para testes.

    13/5 – Técnicas de decoração sobre chacota: Estresido (transferência de imagem), Corda seca, Majólica, Minas cerâmicas.

    20/5 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/5 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 8 (Junho)

    3/6 – Técnicas de transferência de imagens: decalque com carimbos.

    17/6 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    24/6 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

    1/7 – Vidragem. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    EXPOSIÇÃO COLECTIVA (Julho)

    Apresentação dos trabalhos realizados.

     

     OBJECTIVOS:

    • Aproximar o indivíduo dos processos criativos e artísticos na cerâmica e na arte.

    Focar o prazer de pensar e criar e usar a técnica ao serviço da criação.

     

    • Conhecer o barro, a sua origem e as suas propriedades

    Plasticidade, cor, endurecimento, contracção, sinterização e porosidade.

     

    • Trabalhar os diferentes métodos de conformação do barro e saber usar o mais indicado para cada situação.

    Modelação, maciço ocado, lastra, colagem, rolo, roda, moldagem.

     

    • Aprender as principais técnicas de decoração, pintura cerâmica, engobes e vidrados. Esgrafitado, estampagem, reservas, manchado, minas cerâmicas, nerikomi, etc..

     

    • Conhecer os diferentes tipos de fornos e as suas possibilidades.

    Forno eléctrico, Forno de campânula a gás (Raku), Forno de papel, Forno de serradura.

     

    • Realizar um trabalho no final do curso, a ser apresentado numa exposição colectiva.

     

     

     

    + informação
  • International Clown Summer Lab

    On: 07/29/2019
    In: Oficinas, Residências
    Views: 0
     Like

    International Clown Summer Lab in Portugal with Tom Roos

    De 29 de Julho a 9 de Agosto 2019

    Oficinas do Convento

     

    PrintEstá a decorrer o International Clown Summer Lab na Oficinas do Convento até ao dia 9 de Agosto. Este encontro é dirigido a palhaços, actores, bailarinos, professores…., quem quiser aprofundar a sua presença humana para uma audiência. As sessões decorrem de manhã e durante a tarde, os participantes têm tempo para pesquisar e trabalhar juntos em pequenos grupos. A noite fica reservada para o convívio e partilha de ideias.

     

     

     

    + informação
  • Pre0cupada Programa Completo

    Pre0cupada 2019

    De 12 a 21 de Julho 2019

    Montemor-o-Novo | Casa Branca

     

    O evento Pre0cupada propõe “ocupar” e dinamizar a cidade de Montemor-o-Novo e a localidade de Casa Branca, com novos e diferentes projetos nas mais variadas áreas de criação artística contemporânea, trazendo para o exterior o legado da Oficinas do Convento.
    Pela primeira vez, o evento rompe com os limites da cidade de Montemor-o-Novo! Casa Branca está em destaque nesta edição devido ao seu potencial. Uma antiga aldeia ferroviária, localidade estereótipo da desertificação do Alentejo, com estruturas, escolas e casas desabitadas, com ligação a Lisboa, Évora e Baixo Alentejo, e num concelho com massa crítica disposta a construir um centro de criação. Este é o mote para este evento que agora se reinventa.

     

    Programa completo:

    Montemor-o-Novo

    2web12 de Julho:

    Oficina de Streaming

    Oficina de Videomapping

     

    13 de Julho:

    Siga! Oficina de Placas de Sinalização

    Exposição OCT 2018-2019

    Concerto Mazarin

    Concerto Don Pie Pie

    Performance DJ/VJ Fiestaylers

     

    De 15 a 19 de Julho:

    Oficina Instrumentos Utópicos

     

    Casa Branca

    1web

    18 de Julho:

    Cinema Heritales – International Heritage Film Festival

    19 de Julho:

    Oficina Serigrafar um Livro

    Acção + Exposição O Desenho nas Paredes

    Inauguração da Exposição Não Há Casos em Branco

    Concerto Toma Lá Jazz!

    Oficina Construir um Formigueiro

    Acção + Exposição Wearing Bricks – A Body Landscape

    Concerto Ruído Vário

    Concerto Montanhas Azuis

    20 de Julho:

    Oficina Serigrafar um Livro

    Oficina Próxima Paragem: Casa Branca

    Conversas à Volta da Sustentabilidade

    Jogos Tradicionais pela Associação de Amigos Unidos pelo Escoural

    Oficina Desenhar com a Fuligem

    Concerto Royal Bermuda

    Concerto La Miseria Deluxe

    Concerto João Berhan

    Concerto Rosa Mimosa y sus Mariposas

    Performance Dj Selecta Alice

    21 de Julho:

    Círculo de Ideias para Casa Branca

    Concerto Bantabaa

    Concerto Adufe Lisboa

    Exposições Permantes

    expoCB

    + informação
  • Dança de Materiais Inertes

    On: 06/13/2019
    In: Espectáculos, Residências
    Views: 0
     Like

    Espectáculo/Instalação “Dança de Materiais Inertes”

    15 de Junho 2019 | 21h

    Oficinas do Convento

    cartaz inertes tourNo dia 15 de Junho Marta Cerqueira e Simão Costa apresentam o espectáculo/instalação “Dança de Materiais Inertes”, um projecto desenvolvido em residência na Oficinas do Convento com a sua estreia marcada para esse dia.

    “Dança de Materiais Inertes” é uma criação de Marta Cerqueira e Simão Costa.
    Um olhar coreográfico, cinético e musical sobre coisas inertes.
    Marta Cerqueira e Simão Costa são presenças assíduas nos palcos nacionais e internacionais como interpretes e criadores/ co-criadores, tanto a solo e em nome próprio como em colaboração com outros artistas.
    Bailarina e pianista, ambos com formação de base clássica, partilham também um percurso caracterizado por múltiplas colaborações com outros criadores, juntando nas suas carreiras experiências de interpretação e/ou criação nas quais se incluem interacções com outras áreas como o cinema, artes visuais, teatro, novo circo, arquitetura.
    O trabalho desta dupla explora uma transdisciplinaridade profícua e uma certa dose de obsessão pelo rigor e detalhe.
    Deste modo “Dança de Materiais Inertes” explora as fronteiras do trabalho com o som e com o movimento. Investiga as dimensões em que o Som é Movimento e o Movimento é Som, criando danças em que os “bailarinos” por vezes são inertes e em que o seu ânimo e o movimento causado pelo som de altifalantes e pelo impacto destes no corpo.

     

    + informação
  • Residência Dança de Materiais Inertes

    On: 04/22/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Residência Artística Danças de Materiais Inertes

    De 19 a 22 de Abril, Simão Costa e Marta Cerqueira vão estar em residência da Oficinas do Convento a desenvolver o seu projecto “Dança de Materiais Inertes”.

    _MG_5743Dança de Materiais Inertes é uma colecção de peças que tem início em 2016.
    #1 Vento | #2 Placas Tetónicas | #3 MOVEDIÇO | #4 Ar
    Tem como premissa geral compor roteiros de movimentos que compõem uma dança, usando o som como precursor, ou seja som que percute e gera movimento.
    Nasce da vontade de contemplar. De observar a realidade como se de um espetáculo se tratasse. Olhar para as coisas inertes e ver nelas vida, sempre que há nelas movimento. Reflete poeticamente sobre a influencia mecânica do homem e suas máquinas sobre o planeta. Deste modo é sobre a poeira, o cosmos, o mar, o vento, o plástico, sobre todas as partículas micro e macro.

    Dança de Materiais Inertes é uma criação de Marta Cerqueira e Simão Costa.
    Um olhar coreográfico, cinético e musical sobre coisas inertes.
    Marta Cerqueira e Simão Costa são presenças assíduas nos palcos nacionais e internacionais como interpretes e criadores/ co-criadores, tanto a solo e em nome próprio como em colaboração com outros artistas.
    Bailarina e pianista, ambos com formação de base clássica, partilham também um percurso caracterizado por múltiplas colaborações com outros criadores, juntando nas suas carreiras experiências de interpretação e/ou criação nas quais se incluem interações com outras áreas como o cinema, artes visuais, teatro, novo circo, arquitetura.
    O trabalho desta dupla explora uma transdisciplinaridade profícua e uma certa dose de
    obsessão pelo rigor e detalhe.
    Deste modo “Dança de Materiais Inertes” explora as fronteiras do trabalho com o som e com o movimento. Investiga as dimensões em que o Som é Movimento e o Movimento é Som, criando danças em que os “bailarinos” por vezes são inertes e em que o seu ânimo e o movimento causado pelo som de altifalantes e pelo impacto destes no corpo.

    + informação
  • Residência Artística Sofia Pires

    On: 04/22/2019
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Residência Artística de Sofia Pires na Oficinas do Convento

    sofia piresDe 22 de Abril a 1 de Maio, a Oficinas do Convento recebe Sofia Pires, que estará em residência no Convento de S. Francisco a concretizar a fase de edição da sua curta-metragem “Sines ou a amizade, aos papéis”.

    O seu trabalho circula entre a colagem, a fotografia e a imagem em movimento. Neste momento, Sofia Pires encontra- se em processo de produção de um filme rodado – como um conjunto de fotografias em película de 35mm – durante um fim de semana, na edição do ano passado do Festival Músicas do Mundo em Sines. Esta curta- metragem é uma espécie de álbum em movimento a partir de um fim de semana de Verão onde três velhas amigas se (re)descobrem suspensas e em transição para a idade adulta.

    + informação
  • Tradição >< Contemporâneo

    On: 04/15/2019
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Tradição >< Contemporâneo

    Programa de residências artísticas para criadores da Região

    – Alentejo –

    Artes plásticas: Cerâmica, Terra e/ou novos media

     

     

    cartaz-residencias-locais1Enquadrado pelo programa quadrienal Técnica, Artes e Lugares, A Oficinas do Convento abre em 2019 possibilidade de novas relações potenciando-as através de uma bolsa anual para a produção artística regional.

    Através deste concurso anual, a OC com os seus recursos técnicos permitirá o desenvolvimento de um projeto em residência artística dirigido a jovens criadores residentes no Alentejo.

    Pretende-se potenciar a aproximação entre a comunidade jovem artística e a OC, disponibilizando recursos e aprendizagens como forma de desenvolvimento do seu trabalho.

    Em 2019 a OC lança pela segunda vez o concurso tendo como tema a Tradição e Contemporâneo.

    Pretende-se desafiar, artistas, designers e arquitetos, para a criação de obras que contribuam para um processo continuado de reinterpretação, cruzamento e inovação de técnicas.

    Dar-se-á relevância a propostas a desenvolver em regime de Residência que tenham preferencialmente referências à região, património histórico e natural, cultura local e recursos e que contemplem modos de produção tradicional bem como “novos media”, refletindo a sua atualização na metodologia e na forma.

     

     

     

     

     

     

    Objectivos

     

    Potenciar a criação de jovens artistas regionais, através de um processo formal que lhes permite beneficiar dos recursos locais.

    Estreitar relações com a comunidade artística jovem regional;

    Promover a criação artística e produção de projetos inovadores revitalizando as técnicas tradicionais e artesanais;

    Apoiar criadores emergentes da nossa região;

    Potenciar a interação entre a produção artística e a comunidade local, contribuindo para a promoção dos recursos naturais, culturais e económicos da região;

    Contribuir para o desenvolvimento de processos participativos promovendo o envolvimento da população;

    Aproximar os cidadãos das práticas artísticas contemporâneas. Valorizar a cultura local promovendo o desenvolvimento sócio cultural e a criação de objetos com valor poético.

    Regulamento

    Ficha de Inscrição

    + informação