• SEEDS – Means for a Sustainable Art Practice

    On: 09/20/2023
    In: Projectos, Residências
    Views: 0
     Like

    Financiado pelo programa EUROPA CRIATIVA, o projeto SEEDS é coordenado pela Associação Quinta das Relvas e conta com a colaboração de três parceiros internacionais de destaque: Oficinas do Convento, CHORUS e Associação RURAL-C.

    IMG_8951

     

     

     “SEEDS – Means for a Sustainable Art Practice”  é um projeto inovador que une dois campos cruciais de atuação – Arte e Sustentabilidade. O seu principal objetivo é apoiar jovens artistas emergentes, centrando-se na partilha de conhecimentos e na aquisição de competências para a criação de materiais artísticos, enquanto também visa aumentar a conscientização sobre os desafios ambientais e as alterações climáticas. Além disso, o projeto fomenta nos artistas a adoção de práticas mais “verdes” e promove a cidadania ativa por meio da aprendizagem participativa.

    Os intervenientes estão empenhados em contribuir para a mudança urgente que tem que ocorrer, apresentando soluções locais, em pequena escala, dinamizadas por cidadãos ativos e Organizações Não Governamentais.

    Como parte deste esforço colaborativo, a Oficinas do Convento, enquanto parceira do projeto SEEDS, receberá, durante o mês de Outubro, 12 participantes de Portugal, Grécia e Espanha, numa emocionante residência artística. Durante este período, serão promovidos diversos workshops e sessões de mentoria com formadores e facilitadores experientes, que partilharam técnicas para a prática da arte sustentável, utilizando materiais ecologicamente corretos que minimizam o desperdício.

    A culminância do período de residências será uma Exposição, aberta ao público, no dia 28 de outubro, no Convento de S. Francisco, onde serão apresentados os trabalhos desenvolvidos pelos jovens participantes. Esta exposição será uma oportunidade única para a comunidade local e o público em geral apreciarem o resultado do trabalho e da criatividade destes jovens artistas comprometidos com a sustentabilidade.

    Para saber mais sobre o projeto SEEDS e suas atividades, visite o site oficial em [https://projectseeds.eu/].

    Este projeto representa um passo significativo em direção a um futuro mais sustentável, dando a entender como a criatividade e a consciência ambiental podem ser articuladas para inspirar mudanças positivas.

    + informação
  • Espetáculo – Os mortos têm todos as mesmas penas

    On: 09/05/2023
    In: Espectáculos, Residências
    Views: 0
     Like

    Truta no Buraco apresenta “Os mortos têm todos as mesmas penas”.

    Espetáculo de Teatro em Residência na Oficinas do Convento

     

    23 de Setembro

    21h30

    Convento de S.Francisco, Montemor-o-Novo

    *Contribuição para os artistas 5€

     

    Sinopse

    “Ao longo do tempo das nossas vidas humanas há um ponto em que sentimos claramente que o chão começa a puxar,
    devagarinho, o corpo começa a ganhar peso.
    Então atiramos os olhos para cima, as mãos erguidas em flor a abocanhar o céu, a implorar tréguas à gravidade.
    Para uns é assim que se encontra Deus, para outros é assim que se descobrem as aves.
    É sobre o céu que nos inclinamos nesta peça, para que possamos, antes que seja tarde demais, aprender algo com os
    que, realmente, cagam de alto.”

     

    Crítica do Gonçalo Frota no jornal Público:  Mas aquilo de que este espectáculo fala, sobretudo, é da estupidez e do ridículo humanos, destilados a um ritmo delirante.

     

    Reservas – comunicacao@oficinasdoconvento.com

     

    Mais informações – http://trutanoburaco.com/

    FORMATO INSTA VERTICAL

     

    + informação
  • Terranossa Patrimony 2023

    On: 07/27/2023
    In: Oficinas, Projectos, Residências
    Views: 0
     Like

    Campo de Trabalho Internacional Terranossa Patrimony 2023

    De 21 de Agosto a 1 de Setembro
    CTI CARTAZ PT v2 jpgEste campo de trabalho pretende despertar os jovens para as técnicas tradicionais de construção e para o património edificado envolvente. Tem uma abordagem prática no que diz respeito a técnicas de construção antigas e com materiais naturais, especialmente argamassas de argila e de cal. Teremos também introdução a técnicas de construção em terra crua (adobe, CEB) e cerâmicas (modelagem, queima de raku, entre outras técnicas de queima).
    No decorrer deste campo de trabalho haverá intervenção em estruturas no sentido da sua reparação e manutenção, nomeadamente no Centro de Investigação Cerâmica, no Laboratório de Terra, no Telheiro da Encosta do Castelo e no Convento de S. Francisco, assim como co-criação de novos bens coletivos.
    Cooperação e comunicação para superação de desafios, esforço coletivo e tomada de decisões são competências que o grupo vai trabalhar entre si, enquanto reparam e (re)constroem – para e com – a Terra que é sua, nossa.
    Mais informações: laboratorioterra@oficinasdoconvento.com
    + informação
  • Splicing time

    On: 05/16/2023
    In: Oficinas, Projectos, Residências
    Views: 0
     Like

    Splicing time

    Projecto de residência e workshop colaborativo focado na fita analógica como meio de exploração sonora com Ana Guedes

    12 a 21 de Junho 2023

    Inscrições até 2 de Junho 2023

    Oficinas do Convento, Montemor-o-Novo

     

    splicing-timesplicing time_projecto de residência e workshop de criação artística, de exploração sonora com recurso a meios de fita analógica, focado nas possibilidades plásticas do som e processos de escuta na criação plástica.

    Para este workshop propõem-se uma exploração de meios como a fita magnética, reel-to reel, e as possibilidades que a repetição e o tape loop – (um circuito fechado em repetição). Explorando as possibilidades criativas e plásticas do som, arquivos sonoros e formatos analógicos, field recordings e  possibilidades acústicas dos espaços das Oficinas do Convento, abre-se o convite a uma partilha colectiva de processos artísticos.

    Esta é uma experiência essencialmente low -fi, onde se privilegia a partilha dos processos de fazer.

    Com duração de 10 dias, uma experiência participativa na criação de uma peça de exploração sonora aberta ao colectivo, a ser exposta na galeria Municipal.

     

     

    Inscrições:

    Projeto limitado a 6 participantes.

    Obrigatório o envio de C.V e Carta de Motivação até 2 de Junho 2023

    Mais informações e inscrições para comunicacao@oficinasdoconvento.com

    A todos os participantes será prestado o serviço de alojamento e alimentação (almoço e jantar) durante os dias de residência.

     

    Bio.  Ana Guedes, b.1981, Braga – Portugal

    Vive e trabalha entre Portugal e os Países Baixos.

    A prática artística de Ana Guedes explora plasticidades sonoras em formatos como a performance e a instalação, interligando temporalidades e narrativas, noções de arquivo e perspectivas históricas explorando estruturas sociais e políticas.

    Formada em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, obteve um Mestrado em Investigação Artística pela Academia Reals de Arte e o Conservatório Real de Haia, nos Países Baixos.

    Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian entre 2015 e 2016 e artista selecionada para o prémio EDP Novos Artistas 2017, tendo-lhe sido atribuída uma Menção Honrosa. 

    Em 2018, foi congratulada com o prémio Piedra de Sal na Bienal de Cuenca, Equador.

    Entre 2018 e 2019 participou do programa anual de residências artísticas da Jan Van Eyck Academie, em Maastricht, nos Países Baixos, e foi selecionada para o programa inaugural da Hartwig Art Foundation Production|Collection Fund Amsterdão, 2021.

    Participou em diversos programas de residência artística como o programa Scale Travels sob a colaboração do Laboratório Ibérico de Nanotecnologia com o Gnration, Braga, Portugal 2022-2023.

    Make Eindhoven, Países Baixos, 2022; nas Oficinas do Convento em Montemor-o-Novo 2023.

    As suas obras, performances e instalações foram apresentadas na Galeria Kunstraum Botschaft / Camões Berlin / Museu Maat, Berlim, Alemanha, 2019; Frequência Singular Plural – CentroCentro, Madrid, Espanha, 2019; Next Arts Festival, Kortrijk, Bélgica, 2019;  Sonic Dawn – Festival Huomo Novos, Riga, Letónia, 2019; November Music Festival, s’Hertogenbosch, Países Baixos, 2019; TAC -Eindhoven, Eindhoven, Países Baixos, 2020;  Oude Kerk Amsterdam – Hartwig Art Foundation Production|Collection Fund, Amsterdão, 2021; Gnration, Scale Travels, Braga, Portugal, 2022.

    + informação
  • OPEN CALL: SEEDS – means for a sustainable art practice

    On: 05/16/2023
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    Quinta das Relvas (PT), Oficinas do Convento (PT), Rural Contemporánea (ES) and Chorus NPO (GR) têm o prazer de anunciar esta open cal para o seu projeto comum: SEEDS – means for a sustainable art practice

     

    Até 16 de Junho 2023

     

    _Seeds Poster completoDescrição do Projeto

    “SEEDS – means for a sustainable art practice” é um projeto que combina dois principais campos de ação – Arte e Sustentabilidade. O objetivo principal é juntar artistas que vão participar em residências artísticas onde o foco principal será a partilha de conhecimento e aquisição de competências para a criação de materiais artísticos e ferramentas desenvolvidos através de técnicas e metodologias sustentáveis.

    Este projeto vai acolher 12 participantes, escolhidos pelas organizações parceiras, assegurando que diversas nacionalidades, géneros e etnicidades estarão representadas. Estas residências artísticas vão promover diferentes workshops e sessões de mentoria com formadores e facilitadores, que vão partilhar como praticar arte sustentável com técnicas que podem ser usadas no desenho, pintura, impressão, e escultura, usando apenas materiais amigos do ambiente e que não criem desperdício. A estes worskhops serão seguidos períodos de produção livre, onde os artistas vão experimentar desenvolver os seus projetos usando as competências recém-adquiridas. Durante o projeto, os artistas vão ter a oportunidade de partilhar o seu trabalho e o seu progresso artístico em exposições e apresentações. De forma a criar mais consciencialização sobre os problemas ambientais não apenas entre os participantes, mas também entre as comunidades onde as atividades têm lugar, e para chegar a uma maior audiência, os artistas vão participar em atividades e eventos que os desafiem a partilhar e disseminar o conhecimento na prática da arte sustentável. Isto inclui a conceção de diferentes formatos do resultado digital, e a participação em residências que deem prioridade ao envolvimento com a comunidade, para gerar um ambiente de partilha de experiências e mudanças potenciais.

     

    Objetivos

    O SEEDS tem como propósito apoiar artistas jovens e emergentes; criar um aumento de sensibilização sobre os desafios ambientais e alterações climáticas aos jovens artistas e empoderá-los a adotar práticas mais “verdes” , ao mesmo tempo que promove uma cidadania ativa através da aprendizagem ativa. Uma grande mudança tem de ocorrer e a solução deve ser local, em pequena escala, trazida por cidadãos ativos e Organizações não governamentais, e envolver grupos específicos, especialmente jovens, no processo.

    Com o descrito em mente, o consórcio une aptidões, motivação e  conhecimentos para desenvolver ações drásticas, em colaboração com os artistas participantes para criar algo que ajude a expôr grupos específicos a enfrentar os problemas ambientais.

    Objetivo 1: Implementar modelos orientados para soluções holísticas, usando metodologias como a Permacultura e a educação informal para abordar a sustentabilidade no mundo da arte.

    Objetivo 2: Desenvolver conhecimentos e competências usando ferramentas e materiais sustentáveis.

    Objetivo 3: Desenvolvimento de diferentes resultados (digital, exposições, publicações, websites) que servem como meio para desenvolver e partilhar conhecimento e competências usando ferramentas e materiais sustentáveis.

     

    Quem se pode candidatar?

    Jovens artistas visuais (18>30 anos), formados ou no início das suas carreiras, de Portugal, Espanha e Grécia, com muita motivação para discutir, experimentar e aprender mais sobre possíveis alternativas para uma prática da arte mais sustentável.

    Embora encorajemos candidaturas de todas as áreas da arte visual, é favor considerar que os workshops vão dar prioridade ao desenho, pintura, escultura, instalação e cerâmica.

    Duos também estão convidados a submeter uma candidatura.

    Espera-se que os artistas:

    • Tenham um conhecimento básico em inglês;
    • Respeitem a equipa de trabalho, regras, visão e métodos, outras atividades, horário e outros artistas;
    • Estejam presentes e envolvidos nas atividades calendarizadas.

     

    Como candidatar?

    As candidaturas devem ser submetidas aqui: https://projectseeds.eu/

     

    O que está incluído?

    • Acesso a todas as diferentes fases do projeto e às suas atividades, sessões práticas e teóricas, visitas de estudo e exposições;
    • Custos de viagem para ir e voltar dos locais onde decorrem as atividades até à residência dos participantes*;
    • Estadia;
    • Refeições;
    • Material básico para participar nas atividades;
    • Bolsa para materiais. 100€ por período de residência durante a Fase I;
    • Pocket Money (5€ por dia de atividade);
    • Transporte das peças de arte da Fase I (Residências Artísticas) para os locais de exposição (Albergaria-a-Velha e Montemor-o-Novo) e exposição final (Lisboa)

     

    *Para assegurar que não existem cancelamentos de última hora, os voos são adquiridos pelos participantes e reembolsados no destino ao apresentarem os seus cartões de embarque e prova de compra.

     

    O que não está incluído?

    • Transporte das peças de arte até aos seus autores (depois na exposição final, em Lisboa – Maio 2024 – as peças de arte podem ser recolhidas em Lisboa ou Quinta das Relvas, onde podem estar guardadas até Dezembro 2024. O envio das peças por correio, ou por outros meios de transporte pode ser acordado, sendo que os custos associados serão cobertos pelos artistas. Peças que não sejam recolhidas até ao final do ano de 2024 tornam-se propriedade da Organização não governamental responsável pela participação do autor);
    • Seguro de viagem e saúde;

     

    Prazos

    Período de candidatura: De 10 de Abril até 16 de Junho 2023, 23:59 CTZ

    Entrevistas aos artistas pré-selecionados: 17 a 27 de Junho 2023

    Resultados finais: Entre 3 e 7 de Julho 2023

     

    Atividades e Cronologia

    FASE I – Residências Artísticas e exposições Locais

    Quando e onde?

    1 a 28 de Setembro 2023 na Quinta das Relvas (Albergaria-a-Velha, Portugal)

    1 a 28 de Outubro 2023 na Oficinas do Convento (Montemor-o-Novo, Portugal)

    O que?

    Ao longo de dois meses, os participantes são convidados a investigar e desenvolver materiais e técnicas artísticas para uma prática da arte mais sustentável no enquadramento da residência artística.

    Este período vai ser dividido em duas residências independentes: a primeira terá lugar na Quinta das Relvas (Albergaria-a-Velha, Portugal), e vai ter como foco técnicas/matriais de desenho e pintura; a segunda terá lugar na Oficinas do Convento (Montemor-o-Novo, Portugal) com foco em técnicas/materiais de escultura e cerâmica.

    Na Quinta das Relvas, o projeto começa com sessões teóricas para abrir discussão no que toca aos problemas a serem considerados. Estas sessões, presenciais e online, vão contar com convidados especiais e oradores-chave. Depois disso, a primeira semana será composta por workshops e visitas de estudo. As três semanas seguintes, vão ser de experimentação e produção individual, enriquecidas pelas visitas de estudo e que vão culminar numa exposição local no Cineteatro Alba.

    A segunda residência artística vai permitir aos participantes a continuidade da sua investigação artística através de outros meios, agora a um nível 3D. Conhecida pela sua experiência vasta no que toca a materiais relacionados com a terra, a Oficinas do Convento vai promover vários workshops focados nessas técnicas. No final da residência, os resultados vão ser expostos na sua sede (um convento antigo no centro da cidade de Montemor-o-Novo).

     

    FASE II – Atividades que envolvam a comunidade e disseminação do projeto.

    Quando e onde?

    29 de Fevereiro a 6 de Março 2024 no Chorus (Eleusis, Grécia)

    7 a 18 de Março 2024 na Rural Contemporànea (Monfero, Espanha)

    Durante este período, artistas e Organizações não governamentais vão viajar para a Grécia e Espanha para criar ações conduzidas para a comunidade com o conhecimento adquirido, workshops, conferências e exposições. Neste período vão também ser concluídos os materiais relacionados com os principais resultados digitais e partilhar pelos canais de comunicação (canais oficiais e parceiros).

     

    FASE III – Exposição final e outros resultados de disseminação

    Quando e onde?

    Maio 2024 – Lisboa, Portugal

    Em Maio 2024, na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, vão ser recolhidos e apresentados todos os resultados do projeto numa exposição final*.

    Os resultados esperados são:

    • Trabalhos artísticos (criados na FASE I ma Quinta das Relvas e Oficinas do Convento);
    • Um documentário;
    • Um kit de ferramentas;
    • Uma publicação

    *Esta será a sessão final onde os participantes não estão obrigados a estar presentes. Ainda assim, a participação online será encorajada.

     

    Contactos

    Para mais informação, por favor contata: info@projectseeds.eu

     

    Outras informações úteis

    Mais sobre Quinta das Relvas at: www.quintadasrelvas.pt

    Mais sobre Oficinas do Convento at: www.oficinasdoconvento.com

    Mais sobre Rural Contemporánea at: www.ruralc.com

    Mais sobre Chorus at: www.chorus.org.gr

    Para uma comparação do custo de vida, por favor visita www.numbeo.com/cost-of-living/comparison.jps ;

    Para mais informação sobre o tempo visita climate-data.org.

    + informação
  • Residência Artística “Mapa Vegetal”

    On: 05/16/2023
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like
    IMAGEM_COMUNICAÇÃO(1)

     

    Carolina Calheiros consagrou-se a vencedora do Concurso de Residências Artísticas Design de Produto 2023, e vai desenvolver o seu projecto “Mapa Vegetal” na Oficinas do Convento.

    A fotossíntese é um processo fotoquímico que consiste na captura de energia luminosa pelos pigmentos fotossintéticos, presentes em plantas, e na sua transformação em energia química. Este processo, impercetível ao olhar, é responsável, direta ou indiretamente, por todas as formas de vida no mundo – transforma a luz do sol em toda a matéria viva.

    No projeto ‘Mapa Vegetal’, a luz é inserida através da apropriação de diversos fatores biológicos ligados à fotossíntese, nomeadamente a capacidade das plantas em absorver e refletir os vários comprimentos de onda de luz – esta capacidade é mimetizada para o mundo artificial, usando o design como ferramenta, e a cerâmica como material mediador da experiência gerada.

     

    Como?
    A partir do resgate e adaptação de um método fotográfico histórico designado antotipia, a artista desenvolveu um processo de geração preservação de imagens sobre faiança. A cerâmica torna-se fotossensível, quando revestida por uma ‘emulsão fotográfica’ extraída de plantas, sendo que esta sensibilidade à luz provém de pigmentos fotossintéticos, presentes em folhas, flores ou vegetais. A cerâmica realiza depois o seu processo de ‘fotossíntese’, onde a capacidade alquímica do sol permite a tradução da energia de outra forma – criando imagens monocromáticas na superfície cerâmica através da impressão por contacto direto. O tempo de exposição das imagens depende da planta utilizada para produzir a emulsão e das condições meteorológicas existentes, podendo variar de minutos a semanas.

    Esta forma de impressão produz imagens frágeis, difíceis de fixar, que estão em constante transformação – a luz que permite que elas sejam vistas irá também destruí-las ao longo do tempo. Esta constante absorção de luz por parte dos objetos cerâmicos possibilita a
    abertura para outro processo exploratório:
    durante o processo da fotossíntese, as plantas não absorvem a luz na sua totalidade, nem de forma igualitária – é possível mimetizar esta captura natural da luz usando filtros de iluminação coloridos, que bloqueiam ou transmitem apenas determinados comprimentos de onda de luz para as peças cerâmicas (transmissão seletiva). Cada cor de filtro influenciará a intensidade das cores das imagens, em diferentes percentagens, e, enquanto uns retardam o seu desvanecimento, outros irão acelerá-lo.

    + informação
  • Residência Artística “Kilim from the kiln”

    On: 05/16/2023
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like
    Photo_Kilim from the kiln

     

    Katarina Zivkovic consagrou-se a vencedora do Concurso de Residências Artísticas Tijolo 2023, e vai desenvolver o seu projecto “Kilim from the kiln” na Oficinas do Convento.

     

    O projeto “Kilim from the Kiln” tem como objetivo juntar várias técnicas artesanais, que incluem materiais de construção feitos à mão e tapetes kilim com tecidos artesanais, comprando as semelhanças entre dois materiais naturais – terra e lã. O propósito do projeto é criar um chão de tijolo em mosaico que sublinhe o potencial destes simples, embora versáteis, materiais, ao mesmo tempo que são replicados os design comuns encontrados nestes tapetes tradicionais.

    A inspiração para este projeto advém de uma herança cultural vinda da Sérvia e Portugal, particularmente no uso de materiais naturais em contexto de construção e design. Os padrões geométricos e decorativos dos kilims sérvios servem como ponto de partida para o projeto, embora a artista esteja interessada em na manufatura tradicional de tapetes e mantas do Alentejo. Através da exploração destas tradições, a artista espera identificar semelhanças e investigar a forma como podem ser incorporadas e apresentadas através do design do tijolo.

    Katarina considera a relação entre a tecelagem de kilims e a alvenaria de tijolo interessante, uma vez que ambas dependem de materiais naturais como a lã e a terra, ao mesmo tempo que seguem uma progressão linear semelhante da base para o topo, resultando numa matriz graficamente comparável. O design do chão de tijolo baseia-se na análise dos tapetes sérvios tradicionais e na incorporação dos seus padrões geométricos e decorações. Este processo vai permitir à artista experimentar diferentes tamanhos, formas e tonalidades dos tijolos, ao usar todo o conhecimento  e tecnologias disponíveis no Telheiro da Encosta do Castelo para atingir o efeito desejado

    Recentemente, Katarina interessou-se profundamente na arte tradicional da tecelagem dos tapetes kilims na Sérvia. Estudou técnicas, decorações, e os propósitos por de trás destas criações. Um dos aspetos mais distintos dos tapetes sérvios é o uso de padrões geométricos, que muitas vezes representam boa sorte, bem-estar e prosperidade. Tendo em conta a sua significância, estes kilims são muitas vezes mantidos como amuletos das casas ou oferecidos como presentes. O que fascina mais a artista relativamente a estas técnicas de tecelagem é que oferecem a estes tapetes o mesmo design dos dois lados, tornando-os conhecidos como “kilims de duas caras”.
    De acordo com um ditado antigo, estes tapetes podiam ser usados até 200 anos – os primeiros 100 anos com uma das faces do tapete para cima, e os 100 anos seguintes com a outra face.

    Historicamente, a tecelagem era considerada uma profissão masculina, mas ao longo do tempo ficou associada predominantemente às mulheres. Em contraste, a construção tem sido considerada uma profissão masculina, mas muitas mulheres estão agora a anetrar nesse território. Na Sérvia não é do conhecimento geral de que no passado as mulheres eram responsáveis por manter os rebocos nas casas de terra. O projeto procura combinar estes papéis de género tradicionais de forma a explorar semelhanças entre tecelagem e construção com materiais naturais.

    Ao mesmo tempo que a artista está interessada em aprender e experimentar com os tijolos cozidos, também tem curiosidade em explorar a área de Montemor-o-novo e colecionar pigmenteos que podem ser usados  para criar uma palette única para tijolos adobe. Ao adicionar recursos locais disponíveis como a cal ou freixo, é esperado que se crie uma gama de cores que possam refletir a paisageme envolvente.

    Quer sejam usados os tijolos cozidos ou secos, o chão será construído sem o uso de cimento. Em vez disso, os tijolos vão ser dispostos numa camada de areia.

    A artista crê que os objetos feitos à mão estão profundamente ligados à comunidade, aos recursos locais, à tradição e ao trabalho artesanal. Este tipo de objetos têm como intenção durar e serem valorizados na transmissão de histórias.

    + informação
  • Open Call for Artistic Residencies – Product Design / Design de Produto

    On: 04/06/2023
    In: Residências
    Views: 0
     Like

    OPEN CALL 

    (please scroll down to read in English)

     

    PT//


    POST_PT_CALLDESIGNBOLSAS PARA CRIAÇÃO EM RESIDÊNCIA –  
    LÚMEN –  DESIGN DE PRODUTO

    OFICINAS DO CONVENTO, MONTEMOR-O-NOVO, 2023

    Candidaturas abertas até dia 30 de Abril 2023

     

    A associação Oficinas do Convento (OC) abre concurso de Bolsas para Criação em Residência na área do design de produto. Esta edição intitulada LÚMEN é dedicada à luz – de dentro e de fora (emitida, incidida, refletida) – e procura propostas que a explorem e apliquem a novos objectos. O projeto selecionado será desenvolvido ao longo de 4 semanas nos espaços da associação, em Montemor-o-Novo, onde a pessoa ou dupla selecionada pode usufruir e explorar as oficinas, materiais e tecnologias disponíveis.

    O concurso está aberto a todos os estudantes de design, designers, ceramistas e outros criadores, maiores de 18 anos, nacionais ou estrangeiros.

     

    Descrição

    O objectivo da residência é a criação e desenvolvimento de um produto em CERÂMICA que ilumine, seja acionado ou que trabalhe com LUZ.

    O projecto selecionado deverá pensar nas fases de criação, prototipagem, produção em série, embalagem, fotografia do produto e design de comunicação, bem como outros aspectos necessários à completa realização e divulgação do projecto.

    A residência tem a duração de 4 semanas, que podem ser contínuas ou divididas em 2 momentos, em SETEMBRO ou NOVEMBRO de 2023.

    A título indicativo, as propostas poderão contemplar a modelação, criação de moldes para tiragem de peças por via líquida (barbotina), a impressão 3D com polímeros ou cerâmica, a cozedura em fornos elétricos, a gás ou a lenha, o recurso a CNC (corte a laser), a utilização de câmara fotográfica profissional, a impressão de grande formato (fine print), além de serralharia, carpintaria, serigrafia, eletrónica e outros.

    A equipa da OC acompanhará e dará apoio pontual ao projecto mas espera-se que a pessoa candidata seja razoavelmente autónoma para realizar e produzir todas as fases do projecto, avaliado pela apresentação de portfólio dos últimos anos.

    O projeto será apresentado no final da residência, em local a definir em Montemor-o-Novo e fará parte da coleção da OC.

    A possível reprodução e distribuição do objeto final é da responsabilidade da OC, segundo um acordo a definir entre esta e a pessoa ou dupla selecionada

     

    LUMEN: REGULAMENTO + FICHA DE INSCRIÇÃO

     

    EN//

    POST_EN_CALLDESIGNGRANTS FOR CREATION RESIDENCY –  LÚMEN – PRODUCT DESIGN

    OFICINAS DO CONVENTO, MONTEMOR-O-NOVO, 2023

    Open until April 30th, 2023

     

    Oficinas do Convento (OC) – Cultural Association of Arts and Communication opens the contest for grants for creation residency in product design. This edition, entitled LUMEN, is dedicated to light – from inside and outside (emitted, incident, reflected) – and seeks proposals that explore and apply it to new objects. The selected proposal will have a total duration of 4 weeks. It will be developed in the association’s spaces in Montemor-o-Novo (Portugal) so that the chosen person or duo can work and explore the available workshops, materials, and technologies.

    The contest is open to all design students, designers, ceramists, and other national or international creators over 18 years old.

     

    Description

    The residency’s goal is to create and develop a CERAMIC product that illuminates, is activated, or works with LIGHT.

    The selected project must consider the stages of creation, prototyping, manufacturing/production, packaging, product photography, communication design and other aspects necessary for the complete realization and presentation of the project. 

    The residency will last for 4 weeks, which can be continuous or divided into 2 moments, in SEPTEMBER or NOVEMBER of 2023.

    As an indication, proposals may include modeling, the creation of molds for slip casting, 3D printing with polymers or ceramics, firing in electric, gas, or wood kilns, the use of CNC (laser cutting), the use of a professional camera, large format printing (fine print), as well as metalwork, carpentry, serigraphy, electronics, and others.

    The OC team will monitor and provide occasional support to the project. Still, it is expected that the candidate is reasonably autonomous to carry out and produce all phases of the project, as assessed by their portfolio of recent years.

    LUMEN:_REGULATION + APPLICATION FORM

    + informação