• Two ways to freedom na BREVE MENTE

    On: 12/16/2021
    In: Exposições
    Views: 0
     Like

    “Two ways to freedom” de Delta N.A. na Galeria de Rua BREVE MENTE

    22 de Dezembro 2021 | BREVE MENTE

    The romantic loss of freedomOs artistas Delta N.A. apresentam duas séries diferentes de pinturas a óleo que descrevem duas maneiras diferentes de alcançar a liberdade: uma é viajar pelo mundo e abrir a mente, a outra é seguir o caminho de instrospeção de forma a enriquecer o reconhecimento próprio; mas as duas têm algo em comum: revelar que a vida é uma viagem sem fôlego.

     

    Os artistas: Enquanto casal na arte e na vida,  Delta N.A. trabalham juntos em cada projeto artístico, criando uma linguagem comum que fala pelo coração. A sua viagem emocional nas cores suaves e encantadas dá  vida a sonhos intemporais da vida, uma chave única para a harmonia eterna.

    A sua arte está presente em várias coleções públicas e privadas e tem sido exibida a solo e em grupo em Galerias e Museus na Europa, Estados Unidos da América e Ásia.

     

     

    liberate gli alberiWebsite: www.dnartists.com

    Instagram: delta_na

     

    “Two ways to freedom” de Delta N.A. na Galeria de Rua BREVE MENTE, na MOVE Magazine (IT)

    “Two ways to freedom” de Delta N.A. na Galeria de Rua BREVE MENTE, na Palazzi a Venezia Art Magazine (Paris, França)

    + informação
  • Ana Almeida Pinto na BREVE MENTE

    On: 11/23/2021
    In: Exposições
    Views: 0
     Like

    Ana Almeida Pinto da Galeria de Rua BREVE MENTE

    25 de Outubro 2021 | Galeria BREVE MENTE

    image0(4)“Agora que o âmago se encontra exposto, a palavra espalhou-se como vento pelos seus súbditos; a Raínha e a sua corte mantiveram a beleza, mesmo depois de mortas.”

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    image1(1) + informação
  • Casa Paisagem na BREVE MENTE

    On: 11/23/2021
    In: Exposições
    Views: 0
     Like

    “Casa Paisagem” de Cristina Gallizioli e Marco Ferrari na Galeria de Rua BREVE MENTE

    10 de Setembro 2021 | Galeria BREVE MENTE

     

    Projeto itinerante de habitação no aberto, para ler a paisagem como um espaço doméstico. Cristina Gallizioli e Marco Ferrari vão viver em sítios públicos da paisagem de Montemor, instalando mobília e usando estes sítios como casas sem paredes. A Galeria Brevemente vai funcionar como ligação do projeto a cidade, com a possibilidade de entrar em contacto com os artistas e arranjar visitas da casa.

    casa1 casa2 casa3

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    + informação
  • Kateryna Repa na BREVE MENTE

    On: 11/23/2021
    In: Exposições
    Views: 0
     Like

    Kateryna Repa na Galeria de Rua BREVE MENTE

    1 de Setembro 2021 | Galeria BREVE MENTE

     

    image0(3)Kateryna Repa (1979, Odessa, Ucrânia) estudou na Universidade Hydrometereological, Odessa. Vive em Odessa.
    Trabalha com pintura, gráficos, media art, escultura, objectos de arte e fotografia.
    Kateryna Repa_ 2 ,Gorilla, 100x50 cm, acrylic on canvas 2018

     

    + informação
  • Fotografias com Asas

    On: 11/10/2021
    In: Exposições
    Views: 0
     Like

    Exposição Fotografias com Asas

    Acção de Inclusão pela Cultura

    De 22 de Outubro a 30 de Novembro 2021 – Biblioteca Municipal de Vendas Novas

    De 1 de Dezembro de 2021 a 10 de Janeiro de 2022 – Biblioteca Municipal de Viana do Alentejo

    De 14 de Fevereiro a 28 de Fevereiro 2022 – Biblioteca Municipal de Montemor-o-Novo

     

    cartaz_cimac_a3_2

    Fotografia com Asas é um projecto que se desenvolve no âmbito de Acção de inclusão pela Cultura, promovido pela CIMAC e realizado pela Oficinas do Convento, que contou com participantes do Lar de Betânia (Vendas Novas), Porta Mágica (Montemor-o-Novo) e Terras Dentro (Viana do Alentejo).

    O projecto consistiu na formação da prática fotográfica e na criação e troca de cartas-postais entre participantes desconhecidos.
    Em cada postal recebido foi realizada uma intervenção, que se sobrepõe à fotografia nele existente, sendo depois enviada para alguém diferente, onde se repete o processo, agora com uma diferente técnica.
    Por fim cada carta-postal é constituida por 3 técnicas sobrepostas (velocidade, Bulb e técnica livre) realizada nos 3 concelhos por 3 jovens diferentes.

    Nesta exposição iremos apresentar o processo e resultados do projecto.

     

    + informação
  • Conversas à Volta do Centro I

    On: 10/19/2021
    In: Conversas, Exposições
    Views: 0
     Like

    Apres_CentroMutavel_041

    Conversas à Volta do Centro I – Centro Mutável

    6 de Novembro 2021

    Cineteatro Curvo Semedo, Montemor-o-Novo

    Post_INSTA_01As Conversas à Volta do Centro I reúnem no Cine-Teatro Curvo Semedo quatro artistas que irão dialogar com especialistas de várias áreas científicas e artísticas – da astrofísica à arquitetura – para refletir a partir de processos e práticas artísticas, a dissolução do centro enquanto referência absoluta e imutável do mundo. As Conversas à volta do Centro I apresentam quatro painéis: Armanda Duarte + Cristina Azevedo Tavares (dimensão Microscópica), Inês Teles + Diogo Saldanha e Marta Maranha (dimensão Retiniana), Os Espacialistas + Sérgio Fazenda Rodrigues (escala Arquitetónica) e Ricardo Jacinto + Cédric Pereira (Subtil).


    Depois das conversas, no final do dia serão apresentados os resultados dos workshops do
    Centro Mutável numa exposição coletiva que reúne os trabalhos desenvolvidos pelos participantes em colaboração com os artistas convidados, na Galeria Municipal de Montemor-o-Novo.

    O evento tem um valor de inscrição de 15e inclui um almoço no Convento de S. Francisco (tradicional Cozido da Panela em Lume de Chão). A Exposição Centro Mutável tem entrada livre e estará patente até 26 de  Novembro. A inscrição no evento pode ser feita antecipadamente através do site www.centromutavel.com ou presencialmente nas Oficinas do Convento – Associação Cultural de Arte e Comunicação (Montemor-o-Novo).

     

     

     

    Programa:

    10h15: Boas vindas e apresentação Centro Mutável – João Rolaça e Margarida Alves.
    10h30:
    Microscópico – Armanda Duarte + Cristina Azevedo Tavares
    (11h30: Pausa para café)
    12h00: Retiniano – Inês Teles + Diogo Saldanha e Marta Maranha
    13h00 Almoço: Cozido da Panela em Lume de Chão, Convento de S. Francisco
    15h00:
    Arquitectónico – Os Espacialistas + Sérgio Fazenda Rodrigues
    (16h00: Pausa para café)
    16h30: Subtil – Ricardo Jacinto + Cédric Pereira
    17h30: Fim das conversas
    18h: Inauguração da exposição Centro Mutável, na Galeria Municipal de Montemor-o-Novo

    O projeto Centro Mutável continua em março de 2022, em Lisboa, com as Conversas à volta do Centro II, em parceria com a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e o Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado.Mais informações em breve.

    O projecto Centro Mutável é uma co-produção Oficinas do Convento – Associação Cultural de Arte e Comunicação e Vicarte- Vidro e Cerâmica para Artes, a Faculdade de Belas Artes, Universidade de Lisboa, com o apoio da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

    + informação
  • CENTRO MUTÁVEL

    On: 09/20/2021
    In: Conversas, Exposições, OCT, Oficinas, Projectos
    Views: 0
     Like
    logotipo

     

     

     

    O projecto Centro Mutávelum ciclo de workshops ministrados por artistas convidad@s, conversas com especialistas de áreas diversas e uma exposição, tudo a acontecer no biénio 2021/2022 em Montemor-o-Novo e Lisboa.

     

    Artistas convidad@s:

    Ana Cardoso

    Armanda Duarte

    Belén Uriel 

    Guarda Rios

    Inês Teles 

    Os Espacialistas

    Ricardo Jacinto

     

    O projecto é uma iniciativa Oficinas do Convento – Associação Cultural de Arte e Comunicação, estrutura financiada por Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e DgArtes, em co-produção com Vicarte- Vidro e Cerâmica para Artes, a Faculdade de Belas Artes, Universidade de Lisboa.

    Os curadores do projeto são os artistas e investigadores João Rolaça e Margarida Alves, doutorandos em Escultura da Faculdade de Belas Artes e membros Vicarte.

     

    @s Artistas foram convidados a desenvolver um workshop, utilizando os espaços e recursos da Oficinas do Convento e da Vicarte, numa partilha do seu processo criativo com @s participantes, de forma a abordar de forma expandida o tema central deste projecto – uma ideia mutável de centro, que pode ser observada por várias perspectivas e pontos de vista críticos e conceptuais:

     

    1. a) geométricos, onde o Centro se afasta da equidistância imutável e assume uma oscilação inerente à natureza poiética da matéria;
    2. b) atómicos, nos quais as partículas ínfimas se expressam através de uma condição corpuscular e ondulatória, inferindo-se a presença, o Centro da existência, através da sua ausência, do rasto das suas acções;
    3. c) heterotópicos, onde diferentes espaços (reais ou imaginários) nos habitam; 
    4. d) culturais, nos quais os grandes pólos têm o potencial de se deslocalizar e expandir; 
    5. e) geográficos, incidindo-se em reflexões acerca do território e do lugar; 
    6. f) existenciais, nos quais o Centro do Ser decorre da consciencialização do(s) sentido(s) que o mesmo dá à sua vida; 
    7. g) metafísicos, onde o princípio ontológico se desdobra numa natureza sensível e num envolvimento supra-sensível, transcendente, que permeia e constitui o Ser.

     

    Os workshops vão acontecer em vários lugares e ambientes de Montemor-o-Novo entre Maio e Outubro de 2021, e duram entre 1 a 5 dias, mediante decisão d@ artista.

     

    carrocel_STORY_1

     

    OLHO NO DEDO – Inês Teles

    4 e 5 de Setembro 2021

    Para “colapsar a distância que separa o observador do local de experiência óptica”1, realizamos neste workshop um conjunto de experiências que procuram incluir o movimento, a mão e o olho na criação de um objecto artístico.

    Após uma visita ao rio Almansor, usaremos a referência da água como superfície refletora, instável e amorfa que, tal como uma lente, distorce a realidade e permite criar instrumentos mediadores da experiência visual. Durante as duas sessões, teremos acesso a objectos de vidro, formas côncavas e assimétricas que funcionarão como contentores de água. Estas formas serão usadas para construir dispositivos de captação de imagem, recorrendo também a outros materiais, como pigmentos naturais (coloração da água), tilose (densidade líquida), objetos/estruturas  (inclinação, derrame e equilíbrio/contenção da água).

    Os exercícios práticos focam-se na observação e procura de imagens que permitem criar e experimentar outros processos criativos – desenhos, aguarelas, papel marmorizado, vídeos, performance, fotografia, land art, etc.

    Referência Bibliográfica:

    1 – Jonathan Crary, Técnicas do Observador, tradução Nuno Quintas, Edição Orpheu Negro, 2017, p. 216.

    Locais: Rio Almansor e Oficinas da Cerâmica e da Terra 

    Horário: 10h-18h (2 dias)

    Lotação: 12 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    90€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    +INFO/INSCRIÇÕES

     

    AMBIENTE FLUTUANTE – Ana Cardoso

    18 de Setembro 2021 (online) | 25 de Setembro 2021 

    Pensamos o legado conceptual de Sol LeWitt enquanto exploramos a relação entre pictórico e virtual através da composição de uma pintura sobre cerâmica. O azulejo é em si um módulo, ou um pixel, e um painel de azulejos forma uma imagem mutável, passível de ser reconfigurada indefinidamente.

    Neste workshop, vamos definir um conjunto de parâmetros, um alfabeto de gestos e sensações para criar uma obra colaborativa: um painel de azulejos pintados à mão a partir da reinterpretação de Wall Drawing #122 (1972) – um desenho com instruções de Sol LeWitt. As instruções propõem a execução de um desenho (sobre a totalidade duma parede, de escala arquitectónica), e apresentam pares de quatro tipos de linhas — rectas, onduladas, arqueadas e tracejadas — que se cruzam a partir dos cantos ou lados dos quadrados que ocupam em todas as 190 possíveis combinações dentro de uma grelha regular.

    Num encontro preliminar e online, Ana Cardoso faz uma introdução à sua Obra e à de LeWitt e propõe alguns exercícios, reflexões e leituras aos participantes. Na sessão presencial aplicam-se as ideias e executa-se a pintura sobre azulejo.

    AMBIENTE FLUTUANTE será concluído com a instalação da peça colaborativa num espaço público da cidade de Montemor-o-Novo.

    AMBIENTE FLUTUANTE acontece em duas sessões:

    18 de Setembro (online) 14h-15:30h

    25 de Setembro nas Oficinas da Cerâmica e da Terra, em Montemor-o-Novo, 10h – 16h (almoço 13h-14h)

    Lotação: 9 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    65€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    +INFO/INSCRIÇÕES

    PROCURA-SE CASA – Os Espacialistas

    18 e 19 de Setembro 2021

    As casas nascem, crescem, vivem, reproduzem(-nos), envelhecem e morrem como nós. Visitam-se umas às outras através dos sonhos e das memórias de quem se demora nelas.

    Têm corpo. São corpo. São o v/entre doméstico da vida e da morte. São sopros i/materiais. São a resposta poética do corpo às contingências i/morais da natureza. Têm de ser r/existência. São máquinas ontológicas de re/produção de desejo e afectos. Têm chaminés e lar/eiras de tijolo. São “tomadas” de hesitação e consciência.

    Conscientes de que uma casa é o reflexo fisiológico das necessidades reais e imaginárias do corpo humano, Os Espacialistas partem em direcção ao espaço à procura de casa, à procura do lugar do corpo que faz casa, do lugar do corpo que é casa, da casa anatómica amassada do corpo.

    Entre corpos e casas, a partir das palavras e das coisas que nos entornam vamos esgotar todas as possibilidades de errar, esvaziar, falhar, hesitar, ligar e reparar cada vez melhor n/as casas invisíveis que nos envolvem e que só a intensidade da visitação de cada gesto físico/imaginário da nossa atenção pode fazer aparecer.

    As casas querem corpo. Quem casa quer corpo. O corpo quer casa.

    O que pode um corpo? Pode ser uma casa (de jogo). O que pode uma casa? Pode ser um corpo em jogo (sem orgãos).

    Os Espacialistas são pro/curadores de casas. Não há casas sem corpo nem corpo sem ca(u)sas.

    Venham PRO/CURAR casas connosco!

    Locais: Telheiro da Encosta do Castelo + Castelo de Montemor + Cidade

    Horário: 10h-18h

    Lotação: 12 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    90€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    EM TORNO DE OBJECTOS COMUNS – Belén Uriel

    2 e 3 de Outubro | 9 e 10 de Outubro 2021

    Este workshop consiste num exercício de experimentação plástica em torno de objectos comuns, de uso quotidiano, entendidos como extensões do próprio corpo.

    Propomos explorar o potencial escultórico destes objectos, tomando em consideração as relações inerentes à sua produção, materialidade e uso. Estes objectos serão transformados, alterando a materialidade e forma, mantendo ainda assim, a referência à sua origem.

    Através da criação de moldes de gesso, as formas serão replicadas, reorganizadas e reconfiguradas, de modo a conceber um novo objecto. A tiragem por via líquida de peças cerâmicas – um processo intimamente ligado aos meios de produção em massa de objectos comuns – é a técnica adoptada neste workshop.

    Será potenciado o trabalho em torno da relação recíproca entre um objecto e o corpo que o usa, salientando-se a ideia de ‘impressão corporal’ que se preserva e explora nos objetos aqui produzidos.

    Oficinas da Cerâmica e da Terra 

    Horário: 10h-18h (4 dias)

    Lotação: 8 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    160€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    SILÊNCIO E HORIZONTE ACÚSTICO – Ricardo Jacinto

    5 de Outubro 2021

    Sendo o horizonte acústico definido pela “maior distância, em todas as direções, de onde os sons podem ser ouvidos”, podemos sugerir que só além desse limite perceptivo existe silêncio, e que este é imaginado. O Silêncio torna-se assim um exercício de especulação e apresenta-se como o horizonte do som. Como podemos explorar criativamente este horizonte?

    Esta oficina terá inicio na blackbox das Oficinas do Convento, estendo-se a uma caminhada passando por várias localizações na cidade de Montemor-o-Novo e arredores, e terminando numa instalação colectiva no espaço da blackbox. Terá a duração de um dia e será dividida em 3 momentos:

    10h às 13h – o primeiro compreende o contacto e discussão do conceito de Horizonte Acústico, acompanhado por exercícios de escuta e gravações sonoras em diferentes localizações da cidade de Montemor-o-Novo, que conduzirão os participantes a experimentar e materializar esta noção associando-a a lugares e situações específicas.

    13h às 14h – Pausa para refeição

    14h às 18h – o segundo momento centra-se na exploração de objectos cerâmicos como corpos ressonantes, através da utilização de tecnologias de emissão e captação sonora de contacto (transdutores e microfones), numa articulação desses objectos com as gravações de campo recolhidas no primeiro momento. Cada participante será convidado a pensar criativamente a relação entre os “corpos cerâmicos vibratórios”, o material sonoro recolhido e o espaço da blackbox.

    18h às 19h – Pausa para refeição

    19h às 21h – concretização de uma instalação recorrendo aos materiais recolhidos e experimentados ao longo do dia.

    a partir das 21h – apresentação livre do resultado da Oficina.

    Local: Oficinas do Convento

    Horário: 10h-21h (1 dia)

    Lotação: 8 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    Sugestões de Alojamento

    90€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    +INFO/INSCRIÇÕES

    NO BORDO DA LENTE – Armanda Duarte

    16 de Outubro 2021

    A ideia de microscópico, embora não dissociada da sua matriz científica, é aqui entendida como um movimento ínfimo, sujeito a gestos como abrir, destapar, esburacar, cavar, ou outros. Trata-se de uma abordagem de desenho – nas suas múltiplas expressões – em que uma ideia vinda do interior do corpo sofrerá novas e progressivas fases de transformação e aprofundamento.

    Um primeiro momento dá-se no interior de uma antiga cisterna na encosta do castelo.

    Aos participantes, é-lhes dito, previamente, para trazerem uma ideia de pequenas dimensões. Durante o encontro, essa ideia deverá encontrar, numa prega de sombra, numa concavidade da pele ou no vestuário, um lugar que a guarde. Neste movimento de transmutação, a ideia corporiza-se, tornando-se ideia coisa e tomando expressão (materialidade, configuração e medida), adequada ao lugar no corpo que a aloja.

    Um segundo momento acontece ao longo da descida do monte encimado pelas ruínas do castelo. Aí, a ideia guardada e transportada encontra uma outra morada: é introduzida no interior da terra, por baixo da pedra, entre as folhas, no interior da árvore, na toca da formiga, no estômago do gafanhoto, no vento ou no corpo de outro participante…

    Sofrerá, tal como no primeiro momento, uma adequação ao novo lugar.

    Finalmente, num terceiro momento, um novo desenho – representação (síntese sensível) das sucessivas transmutações da ideia original – será preparado e apresentado na exposição colectiva.

    Locais: Castelo de Montemor-o-Novo e Telheiro da Encosta do Castelo

    Horário: 10h-18h

    Lotação: 12 pessoas

    Almoço vegetariano incluído

    65€ (-10% estudantes, desempregad@s e reformad@s)

    +INFO/INSCRIÇÕES

     

    CONVERSAS À VOLTA DO CENTRO

    Agenda_2momento Agenda_3momento

    Além d@s 7 artistas, foram convidad@s 7 orador@s de várias áreas científicas e artísticas – astrofísica, filosofia, dança, programação cultural, arquitectura, curadoria e fotografia – para apresentar uma reflexão nas  CONVERSAS À VOLTA DO CENTRO.

    As CONVERSAS À VOLTA DO CENTRO acontecem em dois momentos:

    I

    6 de Novembro de 2021 em Montemor-o-Novo

    II

    Março de 2022 na Faculdade de Belas Artes, Universidade de Lisboa

    Nos mesmos dias das CONVERSAS, inauguramos a EXPOSIÇÃO com os trabalhos realizados nos WORKSHOPS e uma PERFORMANCE/ INSTALAÇÃO realizada para este evento por artistas convidados.

    Mais informações em breve.

     

    + informação
  • Exposição Pré-Histórias Queers

    On: 09/13/2021
    In: Exposições, OCT
    Views: 0
     Like

    Exposição Pré-Histórias Queers

    Inauguração – 17 de Setembro 2021 | 18h

    Exposição patente de 17 de Setembro a 17 de Outubro

    Horário: de Terça-Feira (apenas tardes) a Domingo, das 10h às 12h e das 14h às 17:30h

    Convento de S. Domingos (Museu Arqueológico), Montemor-o-Novo

    cartaz a3“Usando artefactos de tempos passados da pré-história, outras narrativas arqueológicas são imaginadas e construídas dentro do museu. Pode o fantasma de um passado e património queer de sociedades pagãs distantes ser reativado, em coexistência e por apropriação de narrativas arqueológicas? Em produção com as Oficinas do Convento de Montemor-o-Novo, Pedro Queirós apresenta sobre a forma de artefactos cerâmicos, uma distorção de narrativas arqueológicas e passados distantes pré-históricos.”

     

    Pedro Queirós:

    Ceramista e artista visual, tem explorado o seu trabalho na área da escultura nos formatos da Cerâmica e Joalharia, onde aborda os temas da reativação do património queer através de reinterpretações de narrativas arqueológicas, o abandono do interior do território português a sua desertificação e ocupação destes espaços por identidades queers, e extractivismos da matéria em tempos de Antropoceno. Licenciou-se na ESAD das Caldas da Rainha em Design Gráfico e Multimédia, e posteriormente frequentou o curso de Joalharia do Ar.co em Lisboa, em 2017, onde desde então tem criado e exibido as suas obras.

    Vídeo da Residência 

    Pedro Queirós

     

     

     

     

     

     

     

    + informação