• Oficinas do Convento no Há Conversa #5 no Lisbon Busking Festival

    On: 09/06/2018
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    39024135_1086806414828111_3160143112836218880_oNo dia 13 de Setembro, a Oficinas do Convento vai marcar presença no Há Conversa #5 no Lisbon Busking Festival, onde, entre conversas e partilha, se falará da Associação, e do seu papel na comunidade.

    O Há Conversa é um evento de palestras curtas, com 10 minutos cada, onde pessoas comuns partilham histórias sobre seus projectos incríveis. O objectivo é ser um ponto de conexão entre os criativos locais, através de conversas, para inspirar a criação de novas ideias.

    Nesta quinta edição, pensada especialmente para o Chapéus Na Rua Lisbon Busking Festival, o evento quer promover a ligação entre os agentes culturais, artistas e todos os interessados para discutir sobre o tema “O papel das artes de rua nos processos de regeneração urbana e social”.

    Para além da Oficinas do Convento, o evento vai contar com os convidados Bússola e Jardins Abertos.

    Mais informações

    + informação
  • Bi0n Talks

    On: 08/13/2018
    In: Conversas, Noticias, OCT
    Views: 0
     Like
    38999885_2113591698719479_751668935211876352_oDia 18 de Agosto venham celebrar connosco o final de um ciclo que trará certamente novos inícios!
    Depois de mais uma semana de trabalho árduo, dia 18.08.18 celebramos num dia intenso de partilhas, conversas, comida, música, dança a conclusão do projecto LearnBIØN que decorreu durante os últimos dois anos e meio.
    Construímos juntos para além das estruturas físicas que ficam espalhadas pelos 5 países do projecto, laços de colaboração e partilha que transcendem fronteiras.
    Apartir das 10:00 às 18:00 nas Oficinas da Cerâmica e da Terra, conversas com os parceiros e com o convidado Miguel Mendes.
    Apartir das 23:00 nas Oficinas Do Convento vamos dançar com os Ohxalá!
    A entrada é livre (almoço/ jantar por 5€ com reserva até dia 16.08 at learnbion@gmail.com – no dia, sujeito à disponibilidade existente)
    Oxalá apesar do final deste ciclo a energia deste colectivo perdure no tempo no tempo!
    Um bem-haja a todos os que de alguma maneira tornaram mais rica e possível esta aventura!
    www.bi0n.eu
    CONVERSAS COM:
    AES Architectural Environmental Strategies (SE)
    AK0 Architecttura a Km Zero (IT)
    ARCò Architettura Cooperazione (IT)
    Canyaviva (ES)
    Dehesa Tierra (ES)
    HE2B Haute École de Bruxelles et Barbant (BE)
    Oficinas do Convento (PT)
    Com convidado especial Arq. Miguel Mendes

    Come to celebrate with us the end of a cycle that hopefully will bring new beginnings!
    After another week of hard work, on the 18.08.18 we will celebrate the conclusion of two and a half years of the LearnBIØN project, with an intense day of sharing, talks, good food, music and dance.
    Apart from building physical structures and spaces that are spread across the 5 project countries, we built a network of collaboration and sharing that goes beyond boundaries.
    From 10:00 to 18:00 at Oficinas da Cerâmica e da Terra there will be talks with the project partners and the special guest Miguel Mendes.
    From 23:00 at Oficinas Do Convento we will dance with Ohxalá!
    Free entrance (lunch/dinner 5€, under reservation until 16.08 at learnbion@gmail.com > reservations on the same day will be subject to availability)
    Oxalá (hopefully) the energy of this collective will continue for many years to come!
    our immense gratitude goes out to everyone that made this adventure possible and in anyway richer!
    www.bi0n.eu

    TALKS WITH:

    AES Architectural Environmental Strategies (SE)
    AK0 Architecttura a Km Zero (IT)
    ARCò Architettura Cooperazione (IT)
    Canyaviva (SP)
    Dehesa Tierra (SP)
    HE2B Haute École de Bruxelles et Barbant (BE)
    Oficinas do Convento (PT)
    Special Guest Arch. Miguel Mendes
    + informação
  • O Ecossistema Cultural de Montemor-o-Novo de Vanesa Castro

    On: 07/09/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Conversas
    Views: 0
     Like

    O Ecossistema Cultural de Montemor-o-Novo de Vanesa Castro

    14 Julho/14th July | 16:00h | Auditório da Biblioteca Municipal

    IMG_2392

    Num formato de conversa e debate, Vanesa Castro apresenta uma página web contendo uma investigação, fruto dos estudos realizados entre Outubro 2017 e Abril 2018 sobre a cultura no meio rural. Os estudos foram feitos com apoio da Deputación da Coruña.

    O tema de fundo é a cultura no rural, e o caso de análise é a cidade de Montemor-o-Novo. A conversa contará com a presença de pessoas implicadas nas políticas culturais locais, da Galiza e de Portugal.


     

    In a talking and debate format, Vanessa Castro presents a web page containing an investigation, as a result of her accomplished studies between October, 2017 and April, 2018 about the culture in the rural area. The studies were made with the Deputación da Coruña support.

    The foundation theme is the rural culture, and the case of analysis is the City of Montemor-o-Novo. The discussion will have the presence of people related to local culture politics from Galiza and Portugal.

    + informação
  • Conversas em Torno da Cerâmica no Brasil

    On: 07/06/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Conversas, OCT
    Views: 0
     Like

    Conversas em Torno da Cerâmica no Brasil

    6 Julho/6th July | 18:00h | Convento de S. Francisco

    2018-05-01 16.56.05ESPAÇO E MEMÓRIA  – INVESTIGAÇÕES PLÁSTICAS DA PAISAGEM CULTURAL DE SÃO JOÃO DEL REI – BRASIL

    Zandra Miranda

    A artista apresentará a experiência de implantação do Museu do Barro no Fortim dos Emboabas e parte do seu acervo em cerâmica, experiência fundadora do seu interesse pela paisagem local e sua longa e fecunda história. O espaço do entorno, notadamente a Serra do Lenheiro e o morro crivado de betas conhecido como Alto das Mercês, assiste a deslocamentos de culturas seminômades desde cerca de 8.000 de anos atrás, estabelecendo caminhos e rotas que seriam apropriadas pelos colonizadores em busca do ouro, metal que marca a implantação da cidade de São João del Rei no período colonial, quando se apropriam do território os portugueses e africanos escravizados. A artista busca abordagens diversas para revolver plasticamente as diversas camadas de memória que se sobrepõe na paisagem local, e apresentará o processo criativo de seu Pós – Doc em desenvolvimento junto à Unesp, tendo a cerâmica e a pintura em terra e ouro como materiais expressivos.

     

     

    OLARIAS (TELHEIROS) EM SÃO JOÃO DEL REI E EM CUNHA – O LEGADO DA CULTURA PORTUGUESA NO BRASIL

    Virgínia Fróis

    OLYMPUS DIGITAL CAMERAA artista vai apresentar os resultados da visita a três olarias em Cunha e em São João del Rei, as tecnologias da construção em terra de origem europeia, as arquitecturas comuns nos dois países, e terminará com um oleiro nascido no norte de Portugal, a sua oficina no fundo do quintal, as suas mãos e os seus passarinhos .

    Falar-se-á de reencontros de viagens e de abraços.

     

     


     

    ESPAÇO E MEMÓRIA  – INVESTIGAÇÕES PLÁSTICAS DA PAISAGEM CULTURAL DE SÃO JOÃO DEL REI – BRASIL (SPACE AND MEMORY – PLASTIC INVESTIGATIONS OF THE CULTURAL LANDSCAPE OF SÃO JOÃO DEL REI-BRAZIL)

    Zandra Miranda

    The artist will present the implementation experience of the Museu do Barro in Fortim dos Emboabas and partly her ceramic’s collection, founding experience of her local landscape and its long and fertile history interest. The surrounding space, particularly Serra do Lenheiro and sieved hill known as Alto das Mercês, witnesses semi-nomads cultures displacements from 8.000 years ago, setting paths and routes that would be appropriated by colonists in search of gold, metal that mark the implementation of São João del Rei city during the colonial period, when the Portuguese and the enslaved Africans appropriate the terrirory. The artist looks for various approaches to plastically revolve the different memory layers which overlap the local landscape, and will present the creative process of her developing post-Doc alongside Unesp, having ceramics and earth and gold painting as expressive materials.

     

    OLARIAS (TELHEIROS) EM SÃO JOÃO DEL REI E EM CUNHA – O LEGADO DA CULTURA PORTUGUESA NO BRASIL (POTTERIES IN SÃO JOÃO DEL REI AND IN CUNHA – THE LEGACY OF THE PORTUGUESE CULTURE IN BRAZIL)

    Virgínia Fróis

    The artist will present the results from the visit to three potteries in Cunha and in São João del Rei, the construction technologies in earth deriving from Europe, the common architectures from both countries, and will finish with a pottery born North of Portugal, her workshop down the yard, and her hands and birds.

    The artist will talk about trip reunions and hugs.

    + informação
  • Conversa “Projecções de uma Utopia Expandida”

    On: 06/27/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Conversas
    Views: 0
     Like

    Conversa “Projecções de uma Utopia Expandida”

    2 Julho/2nd July | 21:30h | Convento de S. Francisco

    CE_C

     

    CE_C_01Esta é uma apresentação de uma breve abordagem da utopia apresentada no livro “Expanded Cinema” de Gene Youngblood  que propõe uma extensão da consciência do homem e não apenas como um compêndio de artifícios tecnológicos que nos permite explorar quão e como algumas dessas previsões tecnológicas foram cumpridas e como outras sofreram mutações e transformaram o próprio conceito de realidade.

    Explora o sonho de um mundo ordenado ou atravessado pela graça das redes, interpelado pelas possibilidades de geração de imagens electrónicas, cinema cinestésico e a sua efectivação no propósito de expandir uma consciência

    Mas consciência sobre o que?

    O autor vai apresentar reflexões sobre esses conceitos conjurados por Youngblood para abrir questões sobre como estas interferiram na compreensão da realidade das imagens em movimento e na percepção da informação, articulando cruzamentos entre cinema, performatividade e outras práticas.

     

    Conversa: A conversa expõe o discurso preliminar, as ideais e os contextos do Cinema Expandido fornecendo alguns dos modos em que as práticas artísticas expandidas têm relação com propostas éticas, e cosmológicas que podem ser experimentadas através da análise do sonho da utopia tecnológica.

    Convidado: Andrés Jurado


    This is a presentation of a brief approach of the utopia presented in the book “Expanded Cinema”, by Gene Youngblood, which suggests an extension of men’s consciousness and not only as a technological artifices compedium that allow us to explore how much and how some of that technological predictions were fulfilled and how the mutations suffered and transformed the concept of reality itself.

    Explores the dream of an ordained world or crossed by the networks grace, challenged by the possibilities of the electronic images generation, kinesthetic cinema and its implementation on the purpose of expanding the conscience.

    But the conscience of what?

    The author will present reflexions on these concepts conjured by Youngblood to open questions about how these interfered in the understanding of reality of the motion images and in the perception of information, articulating intersections between cinema, performativity and other practices.

     

    Conversation: The discussion exposes the preliminary speach, the ideas and contexts of the Expanded Cinema providing some methods where artistic practices are expanded in relation to the ethic and cosmological proposals that can be experimented through the analysis of the technological utopian dream.

    Guest: Andrés Jurado

    + informação
  • OC no V Congresso Oleiros do Sul

    On: 03/02/2018
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    A Oficinas do Convento foram convidadas a fazer parte do V Congresso Oleiros do Sul que se realiza dia 23 de Março em Beringel.

    CapturaUm encontro com conversas sobre o barro nas artes antigas, no artesanato, na arte contemporânea e como factor de desenvolvimento local. Este ano com uma oficina de cerâmica gratuita.

    Público: Oleiros, ceramistas, artesãos, estudantes, educadores, animadores, professores, técnicos de turismo, arqueólogos, técnicos de património e publico em geral.

    Iniciativa inserida nos SABORES NO BARRO 23,24,25 de Março

    [Inscrição gratuita e obrigatória  em  http://beringel.wixsite.com/saboresnobarro/congresso] Contactos 966 659 787 | Email  executivo.jfberingel@gmail.com

    Saiba mais sobre o evento

     

     

    + informação
  • Construir com TERRA

    On: 02/26/2018
    In: Conversas, Oficinas
    Views: 0
     Like

    2 Março 2018 – Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa

    Seminário dedicado à construção em terra, com componente teórico-prática.

    orientadora: Arq.Tânia Teixeira – OCT – Oficinas do Convento

    construircomterraEntrada Livre

    Programa:
    – Mistérios da fisica da construção com terra
    exemplificados;
    – As técnicas de construção com terra;
    – Exemplos da arquitectura vernacular e
    contemporânea;
    – Vantages e desvantagens da utilização do
    material terra;
    – Realização do teste Carazas.

    Lotação: Condicionada à capacidade da sala. Será dada prioridade aos alunos da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa.

    + informação
  • “Jorge Calado na Oficinas do Convento” por Gerbert Verheij

    On: 11/22/2017
    In: Conversas, Noticias
    Views: 0
     Like

    _MG_8139“No dia 21 de Outubro Jorge Calado – coleccionador e crítico de fotografia, entre muitas outras coisas – esteve nas Oficinas do Convento, trazido por José M. Rodrigues para uma conversa à volta da luz. Literalmente: o público assistiu na penumbra à volta de uma mesa iluminada, onde se amontoavam fotografias que ao sabor da conversa iam saindo do seu invólucro de plástico-bolha.

    A vida de Jorge Calado, já quase octogenário, junta um currículo científico muito relevante a um persistente interesse pelas artes, com uma predilecção especial pela fotografia. Como recordou o próprio, começou a coleccionar esta arte na primavera de 1980, em Nova Iorque, quase ao acaso: foi seduzido pelas obras de Robert Mapplethorpe, soube da sua galeria e lá comprou a sua primeira fotografia. José M. Rodrigues, na sua breve apresentação, insistiu na singularidade da colecção de Calado, construída na senda destes acasos e encontros com o gosto próprio por único critério, e que no entanto contempla todas as fases da história da fotografia.

    O conversante ia mostrando algumas que trouxe “lá de casa” – Walker Evans, Nicholas Nixon, Brassaï, Gérard Castello-Lopes, André Kertész, William Henry Jackson, Vivian Maier… Pelo meio do festim visual falava da fotografia, da ciência, de gostos e desgostos. O que o atrai na fotografia é que (falamos da fotografia analógica) de todas as artes é a mais próxima à vida: nasce, revelando-se na penumbra por um processo químico, envelhece, amarelando, descolorando, até desaparecer, morrendo. São coisas vivas, e por isso Calado prefere as imagens vintage (originais feitos perto do momento da revelação, que se distinguem de impressões posteriores a partir dos negativos), não por que são mais raras mas porque têm idade, rugas, descoloração, marcas de uso, história.

    Já para o fim Calado deixou uma pista para a secreta ordem que rege a sua colecção, e para a relação que ele próprio forjou com a fotografia: gosta de ser seduzido pela imagem, de ser surpreendido, e foi desde este desejo que nos falou da mais democrática e liberal das artes.”

    por Gerbert Verheij, publicado no jornal Folha de Montemor, Novembro 2017

    + informação