• viveracidade- Conversas à Volta da Resiliencia e Tenacidade || 23 e 24 novembro

    On: 10/30/2013
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    Lançar a discussão sobre os tempos que vivemos, numa perspectiva de mudança para uma nova ordem onde a criação permita avançar para novas conexões com o global, ancestral, tecnológico, centrando no desenvolvimento local integrado da Cidade a criação e promoção a partir do lugar.

    CARTAZ-FINAL-CVRT

     

     

    + informação
  • 15º e 16º encontro Conversas à Volta da Luz | 2 novembro e 9 novembro

    On: 10/28/2013
    In: Conversas
    Views: 0
     Like
    Biografias dos Oradores:
    
    *Augusto Brázio*
    
    Nasceu em 1964 em Brinches-Serpa, frequentou a Escola Superior de Belas
    Artes de Lisboa. Actualmente vive e trabalha em Lisboa.
    
    Exposições colectivas:
    - 'Trabalho' Centro de Artes Visuais, Coimbra,
    - Extensão do Olhar Colecção PLMJ
    - Em Jogo on side Centro de Artes Visuais, Coimbra
    - Medos, Centro de Arte Contemporânea da Amadora,
    - Madalena Kameraphoto, 2006
    - Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou? Kameraphoto - Casa
    Fernando Pessoa,
    - Alentejo Elementar, Fundação Alentejo Terra Mãe - Évora
    - Madalena, Kgaleria, Lisboa
    - Veado, Lisboa; Critério Visivel – 150 Anos de Fotografia Portuguesa,
    - O presente: Uma dimensão infinita – BESart Colecção Banco Espírito
    Santo. Museu Colecção Berardo, Lisboa
    - Povo, Museu da Electricidade Lisboa
    - 450, Palácio da Inquisição, Évora
    - Um Diário da República, PhotoEspaña, Fundación António Saura/Casa
    Zavala, Cuenca
    - Galeria Slovenskej, Bratislava
    - Fundação EDP, Porto
    - Danos colaterais , Museu D.Diogo de Sousa e  NDT80  no Mosteiro de Tibãoes
    - Encontros da Imagem Braga.
    - Hospital, Panóptico do Hospital Miguel Bombarda, Lisboa.
    
    Exposições individuais:
    
    - 'De Pedra a Pedra' (Museu de Mineralogia, 1997);
    - FNAC- Colombo, 1999;
    - 'Inicial, o dia, a noite' (Oficina Municipal de Artes Soares Branco -
    Complexo Cultural Quinta da Raposa, Mafra, 2004).
    - 'Os Olhos Azuis do Mar' (Centro de Artes de Sines, 2005).
    - STILL LIFE, Galeria das Salgadeiras, Lisboa, 2012
    Volto já, Kgaleria,2013
    
    Publicações:
    
    - 'No Jardim do Mundo' - Câmara Municipal de Portel, 1996;
    - 'O Fado Operário no Alentejo'- Edições Tradisom, 2004;
    - 'Os Olhos Azuis do Mar' -Centro de Artes de Sines, 2005;
    - 'Olha pra mim' - Oficina do Livro, 2006.
    - 30.365.24, ARS-LVN, 2009
    - Bang, Kameraphoto/DR. 2013
    
    Colecções:
    
    - Centro de Artes Visuais;
    - PLMJ;
    - Centro de Artes de Sines;
    - BESArte.
    
    *Valter Vinagre*
    
    Nascido em Avelãs de Caminho, no concelho de Anadia, em 1954. Valter
    Vinagre estudou fotografia no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual,
    em Lisboa.
    Iniciou o seu percurso em finais dos anos 1980, realizando exposições
    individuais e participando em mostras e iniciativas de cariz colectivo.
    
    Exposições:
    
    - Cá na Terra, Arquivo Fotográfico Municipal, Lisboa
    - Bored in the USA, Centro Cultural Emmerico Nunes, Sines
    - Auto Cigano, Mosteiro de Alcobaça; Carta do Sentir, Museu da Imagem Braga
    - Sob a Pele, 1996|2007 Voyeur Project View Lisboa
    - Espírito nas Ilhas, Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro
    - Variações para um Fruto, Museu Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo
    Branco
    - Para, Cineteatro de Vila Real
    - Húmus, Centro Cultural de Cascais, Fundação D.Luis I, Cascais
    - Sítio, Museu Bernardo, Caldas da Rainha
    - OLHA, Galeria Torreão Nascente da Cordoaria Nacional,
    -  Lisboa, Galeria Fonseca Macedo, Ponta Delgada, Açores
    - Animais de estimação Kgaleria, Lisboa
    
    Mostras colectivas:
    
    - Topografias da Vinha e do Vinho, Cordoaria Nacional, Lisboa
    - Uma Extensão do Olhar, CAV-Centro de Artes Visuais, Coimbra
    - My own private pictures|Imagens Privadas Plataforma Revólver, Lisboa
    - Pedras e Rochas, Fundação Eugénio de Almeida, Évora
    - Fragmentos do Prazer, Centro Cultural Raiano, Idanha-a-Nova
    - Madalena, Kgaleria, Lisboa
    - Stigmata, Sala do Veado, Lisboa
    - Critério Visivel – 150 Anos de Fotografia Portuguesa, Edifício da Cadeia
    da Relação, CPF, Porto
    - O presente: Uma dimensão infinita – BESart Colecção Banco Espírito
    Santo. Museu Colecção Berardo, Lisboa
    - Povo, Museu da Electricidade Lisboa
    - 450, Palácio da Inquisição, Évora
    - Um Diário da República, PhotoEspaña, Fundación António Saura/Casa
    Zavala, Cuenca
    - Galeria Slovenskej, Bratislava
    - Fundação EDP, Porto
    - Danos colaterais , Museu D.Diogo de Sousa
    - NDT80  no Mosteiro de Tibãoes
    - Encontros da Imagem Braga.
    - Hospital, Panóptico do Hospital Miguel Bombarda, Lisboa
    
    Colecções: (selecção)
    - Encontros da Imagem, Braga, Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa
    - Fototeca Nacional de Cuba | Havana
    - Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
    -  Festival de l’Image Ville du Mans, França,Instituto Camões, Lisboa
    - Musée de la Photographie – Charleroi, Bélgica, PLMJ – Sociedade de
    Advogados, Lisboa
    - Colecção Nacional de Fotografia | Centro Português de Fotografia
    - Câmara Municipal de Idanha-a-Nova / Centro Cultural Raiano, , Câmara
    Municipal de Nazaré, Fundação D.Luis I, Cascais
    - BES Art Collection,Banco Espírito Santo, Fundação EDP
    
    Bibliografia (selecção):
    
    - Comboio -pretexto para um olhar, cartaz/catálogo, ed.Autor, texto de
    Arq. Nuno Teotónio Pereira, 1988.
    - Notas Pessoais,  ed. Autor, 1990.
    - Telheiras- Lisboa, ed. Autor, 1992.
    - Momentos, textos de Hermínio de Oliveira, ed. Grafiartes, Rio Maior, 1994.
    - Cá Na Terra,  texto de Manuel Hermínio Monteiro, Assírio & Alvim,
    Lisboa, 1998
    - Auto Cigano, texto de Isabel Rufino, Barafunda Associação Juvenil
    Benedita, 2000.
    - Cavalhadas no Rosmaninhal, Centro Cultural Raiano, Idanha-a-Nova, 2000.
    - Espírito nas Ilhas, textos de Álamo Oliveira e Hermínio Monteiro
    ,Instituto Camões, Lisboa, 2001.
    - Carta do Sentir, texto de Maria Armandina Maia, ed. Grafiartes, Rio
    Maior, 2001
    - Na Cidade, Texto de Jorge Calado, IST Press, 2002.
    - Bored in the U.S.A., texto de Lúcia Marques, Assírio & Alvim, 2004.
    - Variações para um fruto, texto de Ana Ruivo, Assírio & Alvim, 2004.
    - Monte Siano, texto de Hélia Correia, Assírio & Alvim, 2004.
    - Para , texto de Celso Martins, Assírio&Alvim,2006
    - HÚMUS, texto Alexandro Castellote, Centro Cultural de Cascais, 2009
    - OLHA, texto de Celso Martins, APAV, Lisboa, 2011
    - Animais de Estimação,Texto de Sérgio Gomes/Valter Vinagre, Kameraphoto,
    Lisboa, 2013
    - Barra das Almas, texto de Luisa Soares Oliveira de Oliveira,
    - Kameraphoto/Huggly Books,2013
    É membro do Colectivo de fotógrafos: Kameraphoto, Lisboa
    
    *Filipe Casaca*

    Nascido em Lisboa e 1983. Formado em Artes-Plásticas Escultura na Faculdade de Belas Artes (Lisboa) e em fotografia no Instituto Português de Fotografia (Lisboa), em 2008. Fez uma residência artística na Artist in Residence Yamanashi (AIRY) no Japão, em 2011. No mesmo ano ganhou uma Bolsa de Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian.

    Expôs a minha casa é onde estás em 2010 na K-Galeria (Lisboa), em 2011 na galeria Pente 10 (Lisboa), na Artist in Residence Yamanashi (AIRY) e no Begira Foto Festival (Espanha), e em 2013 na Bipielle Arte (Itália).

    Em 2012, expôs Blue Mud Swamp na galeria Pente 10, e em 2013 no Museu da Imagem (Braga) e na Hors Format (Bélgica).

    Em 2013 foi selecionado para a exposição Young Portfolio Acquisitions do Museu de Fotografia de Kiyosato (KMoPA), no Japão, e expôs Affections no Instituto Cervantes de Tóquio.

    Autor dos livros a minha casa é onde estás em 2011 e Blue Mud Swamp em 2012.

    Filipe Casaca está representado nas colecções públicas do BESart (Portugal) e do Museu de Fotografia de Kiyosato (Japão).

     

    *Renato Roque*

    Arquivo de Babel ou Retratário Universal

    Arquivo de Babel é um projecto fotográfico/artístico centrado no conceito de identidade humana associada à imagem da face, em particular através da utilização de retratos fotográficos. Foi construído a partir da tese de mestrado em Multimédia, obtida na Universidade do Porto em 2009, chamada Espelhos Matriciais.

    A fotografia – um espelho com memória, como Daguerre descrevia o processo a pessoas que não o conheciam, quando ele foi inventado – permitiu uma representação simples e perene da face humana. A tese e este projecto têm portanto uma relação de grande proximidade com a história da fotografia e com a forma como ela tem sido usada, desde o seu aparecimento, para identificar uma pessoa, utilizando retratos. De certa forma o projecto usa espelhos especiais (matriciais), que correspondem a matrizes numéricas, também chamadas componentes, que foram identificado no trabalho da tese, e que conseguem reflectir de várias formas a informação essencial contida nas faces humanas.

     

    Conversas-a_-Volta-da-Luz-2013-15º-e-16ºb
    + informação
  • viveracidade – ALTERAÇÃO DE DATAS

    On: 08/01/2013
    In: Conversas, Oficinas
    Views: 1
     Like

     

     

     

     

    INSCRIÇÕES ABERTAS!! Carta de motivação, CV e portefólio (se aplicável) para oc@oficinasdoconvento.com

    cartaz-viver-a-cidade-2 + informação
  • 13º ENCONTRO CONVERSAS À VOLTA DA LUZ, 1 DE DEZ., 15H

    On: 11/27/2012
    In: Conversas, Noticias
    Views: 0
     Like

    Sábado, dia 1 de Dezembro | 15H às 19H
    13º Encontro “Conversas à Volta da Luz”

    ‘FOTO GRAFIAS’
    Apresentação de trabalhos e projectos de Fotografia: Modus e Inquietudes
    com os fotógrafos Pedro Gil e Pedro Lobo
    Curadoria de José Manuel Rodrigues

    // Programa Formas e Técnicas na Transição

     

    Pedro Gil

     

    Pedro Gil nasceu em 1967, em Luanda (Angola). Vive e trabalha em Lisboa. Fotografa desde 1975. Iniciou a sua formação académica em Fotografia com o Plano de Estudos Completo, do Ar.Co, em 1986. Em 1989, ao participar no workshop Fotografia Estenopeica, leccionado por Manuel Miranda nos 10º Encontros de Fotografia, em Coimbra, inicia o seu percurso na fotografia estenopeica. Em 2009, concluiu a Licenciatura em Fotografia e Cultura Visual, no IADE e, no ano seguinte, a Pós-Graduação em Estudos de Fotografia.

    Entre as exposições em que participou, e diversas vezes o fez com fotografia estenopeica ou zone plate, destaca-se a sua participação (desde a 4ª edição em 2004) nas Worldwide Pinhole Photography Day Exhibition. De referir também Iniciativa X, na Galeria Arte Contempo, em Lisboa (nas diversas edições entre 2005 e 2010); 09 Projectos 2005, inserida na LisboaPhoto (2005); VI Bienal de Fotografia/03, na Moita (2003); Mostra de Artes Plásticas do Festival X2, em Cacilhas (1996) e Jovem Fotografia Portuguesa, exposição itinerante na URSS (1990). Os seus vídeos, também alguns executados com recurso a zone plate ou estenopeicos, foram exibidos em diversas mostras e festivais, salientando-se a sua presença em Panorama – 2ª Mostra do Documentário Português, no Cinema S. Jorge em Lisboa (2008), Festival de Performance e Artes da Terra – Escrita na Paisagem, em Évora (2006) e nas edições 2005 e 2006 dos Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia de Avanca.

     

    Pedro Lobo

     

    Pedro Lobo estudou na School of the Museum of Fine Arts, Boston e no International Center of Photography (ICP), em Nova Iorque. Entre 1978 e 1985 foi fotografo/investigador do Centro Nacional de Referência Cultural (CNRC com Aloísio Magalhães e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) onde foi o responsável pela documentação fotográfica para os processos de inclusão na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO das cidades de Olinda, Ouro Preto, Salvador, Santuário do Bom Jesus doe Matosinhos e São Miguel das Missões. Em suas séries fotográficas,nas favelas cariocas – “Arquitetura de Sobrevivência” – nas prisões de Carandiru e Medellin – “Espaços Aprisionados” – utiliza a fotografia de arquitetura como meio de retratar a condição humana. Tem exposto regularmente seu trabalho, em individuais ou em colectivas, no Brasi, em Portugal, nos Estados Unidos, na Dinamarca, na Alemanha, na China e na Colômbia. Sua obra figura em diversas coleções públicas e particulares. Recebeu o V prêmio Marc Ferrez, as bolsas CAPES-Fulbright e a Vitae de Fotografia. Atualmente reside em Évora, Portugal, trabalhando na Europa e no Brasil.

    + informação
  • 12º Conversas à Volta da Luz | 7 Abril | 15h

    On: 03/26/2012
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    Estes encontros tiveram início em 2009, com o Programa ‘Da Terra e o Ar’, sob a curadoria de José Manuel Rodrigues (actual curador). Cumprem um importante papel de mobilização de fotógrafos e outros profissionais e apaixonados da área, acabando assim por contribuir para a constituição de uma rede de interessados pela temática da Fotografia. Estes encontros marcaram positivamente a programação da Associação e o seu papel inovador e pedagogo na programação geral da cidade.

    Neste 12º encontro teremos a apresentação de trabalhos e projectos de Fotografia e Curadoria por Filipa Valladares e Paulo Catrica e com apresentação do projecto STET – Livros e fotografia: Uma conversa sobre edições de fotografia, publicações independentes, livros de autor e livros de artista.

    + informação
  • XI Encontro Conversas à Volta da Luz | 4 Fev

    On: 01/23/2012
    In: Conversas
    Views: 0
     Like
    XI Conversas à Volta da Luz
    4 Fevereiro | 15h | Entrada livre
    Convento de S. Francisco
    A Pierre von Kleist editions é uma editora portuguesa especializada em livros de fotografia. Interessa-se por produzir livros que trascendam a qualidade documental normalmente associada ao médium fotográfico. Interessa-se pelas possiblidades artísticas que o livro de fotografia oferece. Produz livros que contenham histórias e que lidem com o mundo de hoje.
    Neste XI Encontro contamos com a presença de dois dos membros da Pierre von Kleist Editions – André Principe e José Cortes.

    15h | Entrada livre

    Convento de S. Francisco

    A Pierre von Kleist editions é uma editora portuguesa especializada em livros de fotografia. Interessa-se por produzir livros que trascendam a qualidade documental normalmente associada ao médium fotográfico. Interessa-se pelas possiblidades artísticas que o livro de fotografia oferece. Produz livros que contenham histórias e que lidem com o mundo de hoje.

    Neste XI Encontro contamos com a presença de dois dos membros da Pierre von Kleist Editions – André Principe e José Cortes.

    + informação
  • 9º Encontro “Conversas à Volta da Luz”

    On: 09/20/2011
    In: Conversas
    Views: 0
     Like

    Conversas-a_-Volta-da-Luz-9º


    Sábado, 24 de Setembro | 15H00 às 19H00
    Convento de S. Francisco
    Entrada Livre

    Com a participação das fotógrafas Susana Mendes Silva e Sílvia Rosado.

    Curadoria de José Manuel Rodrigues

    O ciclo de “Conversas à Volta da Luz” assume a forma de diversos seminários e propõe explorar a necessidade de registo e de inscrição no paradigma artístico contemporâneo. Os fotógrafos convidados lançarão o debate, a partir da apresentação dos seus trabalhos ou de temas escolhidos.

    + informação

  • 8º Encontro “Conversas à Volta da Luz”

    On: 07/11/2011
    In: Conversas
    Views: 0
     Like
    Conversas à Volta da Luz 8º

    Sábado, 23 de Julho | 15H00 às 19H00
    Convento de S. Francisco
    Entrada Livre

    Com a participação dos oradores Maria Judite Santos e Pedro Magalhães.

    Curadoria de José Manuel Rodrigues

    O ciclo de “Conversas à Volta da Luz” assume a forma de diversos seminários e propõe explorar a necessidade de registo e de inscrição no paradigma artístico contemporâneo. Os fotógrafos convidados lançarão o debate, a partir da apresentação dos seus trabalhos ou de temas escolhidos.

    PEDRO MAGALHÃES

    Nasceu em 1975 no Porto, cidade onde vive e trabalha.

    A sua prática artística é maioritariamente fotográfica, e tem uma aproximação serial a cada tema.

    As suas últimas séries, e o seu trabalho em processo, desenvolvem-se em torno de práticas amadoras: a palavra amador(a) remete aqui para a pessoa que é apaixonada ou até mesmo obsessiva com uma actividade como a patinagem artística ou car tuning.

    Exposições Individuais:

    2011 “E só quer mais uma canção de amor” – Galeria Nuno Centeno, Porto

    2009 “axel-toe loop-euler-flip” – Galeria Reflexus, Porto

    2009 “lutz-ritberg-euler-salchow” – Galeria Reflexus, Porto

    2008 “Belo Abismo” – A Certain Lack of Coherence”, Porto

    Exposições Colectivas:

    2010 “Private Lives” – Centro Cultural de Cascais, Cascais

    2010 “Absolut Creative House” – Palacete Pinto Leite, Porto

    2009 “Está a morrer e não quer ver” – Espaço Campanhã, Porto




    JUDITE SANTOS

    Maria Judite dos Santos nasceu no Porto, cresceu no Rio de Janeiro e vive em Nova Iorque desde 1975.
    Desde o início da sua carreira que desenvolve um trabalho interdisciplinar e neo-conceptualista, desenvolvendo estruturas e significados de expressão particulares, mantendo-se afastada de qualquer tradicionalismo.
    Explora e usa imagens fotográficas de variadas formas criando metáforas narrativas. É uma constante no seu trabalho conceitos como espaço arquitectural, sítio e contexto, assim como a metáfora, ritual, espaço, materiais, processo e a interligação entre os elementos.
    Desde 1981 que, nas suas instalações, explora pinturas, objectos tridimensionais e fotografia, incorporando som e projecções de imagens.
    Recebeu vários prémios da NYFA, NJSCA, NEA-Mid Atlantic, Fundação Gulbenkian e Fundação Pollock/Krasner, entre outros. Tem exposto intensivamente e em vários locais do mundo desde 1984.
    Para mais informações, http://www.juditedossantos.com

    Maria Judite dos Santos nasceu no Porto, cresceu no Rio de Janeiro e vive em Nova Iorque desde 1975.

    Desde o início da sua carreira que desenvolve um trabalho interdisciplinar e neo-conceptualista, desenvolvendo estruturas e significados de expressão particulares, mantendo-se afastada de qualquer tradicionalismo.

    Explora e usa imagens fotográficas de variadas formas criando metáforas narrativas. É uma constante no seu trabalho conceitos como espaço arquitectural, sítio e contexto, assim como a metáfora, ritual, espaço, materiais, processo e a interligação entre os elementos.

    Desde 1981 que, nas suas instalações, explora pinturas, objectos tridimensionais e fotografia, incorporando som e projecções de imagens.

    Recebeu vários prémios da NYFA, NJSCA, NEA-Mid Atlantic, Fundação Gulbenkian e Fundação Pollock/Krasner, entre outros. Tem exposto intensivamente e em vários locais do mundo desde 1984.

    Para mais informações, http://www.juditedossantos.com

    + informação