• Open Call for Artistic Residencies – Tijolo |Brick

    On: 01/27/2020
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Residências Artística Tijolo | Artistic Residency Brick

    (please scroll down to read in English)

     

    PT//

    PrintTijolo | Residências Artísticas

    CONCURSO PARA RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS NA OFICINAS DO CONVENTO

    Candidaturas abertas até dia 15 de Abril 2020

    Duração da residência: 1 mês

    Enquadrado pelo programa quadrienal Técnicas, Artes e Lugares, A Oficinas do Convento abre em 2020, pela terceira vez, um Concurso para Residências Artística na Oficinas do Convento tendo como mote o Tijolo enquanto elemento base para a criação artística.

    CONTEXTUALIZAÇÃO

    Fabricado e utilizado por todas as culturas do mundo, o tijolo é um objecto intemporal, de formatos e dimensões relativamente regulares, porém de uma diversidade que condiz com as diferenças culturais existentes. De fabrico antigo ou moderno, a sua prevalência social torna também visível a identidade existente entre os homens.

    Os tijolos produzidos no Telheiro da Encosta do Castelo, Montemor-o-Novo, são de influência medieval, proveniente ainda da tradição romana e bizantina[1]. De uma constituição arenosa, feitos de uma pasta de argila, terra e água, numa consistência próxima à da lama, os tijolos apresentam aspecto maciço e evidenciam a manufactura artesanal, pelas marcas da mão inscritas na superfície. Sendo de produção antiga, os tijolos têm também a característica de fazerem parte da imagem das construções vernaculares do Alentejo. No entanto, a propósito dos cruzamentos disciplinares desenrolados pelas Oficinas do Convento e o contexto artístico onde se insere a associação, pretende-se fomentar a utilização do tijolo na criação artística e valorizar os recursos existentes no Telheiro da Encosta do Castelo, quer no âmbito da produção de materiais de construção, quer no âmbito do apoio à criação artística, propondo assim a realização de residências na área artística que tenham o tijolo como base para a criação.

     

    Aqui, o tijolo, além de poder ser pensado na sua dimensão mais imediata — objectual e construtiva — evidenciando aspectos de produção, formação, conformação ou aplicação, poderá ser considerado também na sua vertente poética, social, histórica ou cultural.

    Tais âmbitos de abordagem poderão ser explorados em diferentes linguagens da criação — escultura, instalação, vídeo, fotografia, desenho, entre outros — cruzando ou tocando casualmente as fronteiras da arquitectura e do design.

    Sem desmerecer ou preterir a elaboração de esculturas de índole objectual, no caso de projectos de maior escala, dar-se-á prioridade a propostas de carácter efémero, processual ou de índole colaborativa que resolvam, neste último caso, eventuais questões práticas da cidade.

    APRESENTAÇÃO BREVE

    O tijolo pode ser pensado e usado na sua dimensão mais imediata — objectual e construtiva — evidenciando aspectos de produção, formação, conformação ou aplicação ou ser considerado na sua vertente poética, social, histórica ou cultural, explorando a diversidade e as potencialidades formais e conceptuais do tijolo, através de diferentes linguagens da criação.

    Assim, este concurso destina-se a autores das seguintes áreas:

    • artes-plásticas: escultura e/ou pintura
    • arquitectura
    • cerâmica
    • desenho
    • design
    • escrita
    • fotografia
    • instalação
    • vídeo

    [1] FRÓIS, Virgínia, SILVA, Vasco Fernando Dias, Realibitação de um Telheiro em Montemor- o-

    Novo, In ArteTeoria, Revista do CIEBA – Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes –

    Secção Francisco de Holanda, no 14/15, 2011/2012, Lisboa, p. 101.

    Regulamento

    Ficha de Inscrição

     

    EN//

    PrintBrick | Artistic Residencies

    Open Call for Artistic Residencies in Oficinas do Convento

    Last day for the applications is on the 15th of April 2020

    These Artistic Residencies are part of the program “Técnicas, Artes and Lugares”, the project,opens, once again, in 2020, an open call for Artistic Residencies in Oficinas do Convento having as a motto the Brick as a basis element for artistic creation.

    Contextualization

    Manufactured and used by all of the cultures in the world, the brick is a timeless object, with relatively regular formats and dimensions, nevertheless of a diversity that matches with the existing cultural differences. From old or new manufacture, its social prevalence gives visibility to the existing identity between men.

    The bricks produced in Telheiro da Encosta do Castelo, Montemor-o-Novo, are of medieval influence, stemmed from the roman and byzantine traditions. From a sandy composition, made from a clay paste, earth and water, in a consistency similar to the mud, the bricks present a solid aspect and highlight the manual manufacture by the hand marks on its surface. Being of old production, the bricks are also part of the vernacular constructions of Alentejo. Nevertheless, as a result of the disciplinary intersections developed by the Oficinas do Convento and its artistic context. It is investigated the use of brick in the artistic creation and to value the existent resources in Telheiro da Encosta do Castelo, in a material production context and as a support for the artistic creation.

    Such contexts of approach can be explored in different languages of creation – sculpture, installation, video, photography, drawing, and more – crossing or touching in a casual way the borders of architecture and design.

     

    Application Process

    The main aim of Brica-Artistic Residencies is to think and explore this product in its most immediate dimension – objective and constructive – highlighting the production aspects, formation, conformation or application, or in its poetical, social, historical or cultural aspect, exploring the diversity and the formal and conceptual potentialities of the brick, through different languages of creation.

    Therefore, this call is destined to artistic proposals in the following areas:

    • Plastic arts: sculpture and/or painting
    • Architecture
    • Ceramics
    • Drawing
    • Design
    • Writing
    • Photography
    • Installation
    • Video

     

    Regulation

    Application Form

    + informação
  • Tradição >< Contemporâneo

    On: 01/27/2020
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Tradição >< Contemporâneo

    Programa de residências artísticas para criadores da Região

    – Alentejo –

    Artes plásticas: Cerâmica, Terra e/ou novos media

    Candidaturas abertas até dia 15 Abril 2020

     

    tradicao contemporaneo 2020(2)Enquadrado pelo programa quadrienal Técnica, Artes e Lugares, A Oficinas do Convento abre em 2020 possibilidade de novas relações potenciando-as através de uma bolsa anual para a produção artística regional.

    Através deste concurso anual, a OC com os seus recursos técnicos permitirá o desenvolvimento de um projeto em residência artística dirigido a jovens criadores residentes no Alentejo.

    Pretende-se potenciar a aproximação entre a comunidade jovem artística e a OC, disponibilizando recursos e aprendizagens como forma de desenvolvimento do seu trabalho.

    Em 2020 a OC lança pela terceira vez o concurso tendo como tema a Tradição e Contemporâneo.

    Pretende-se desafiar, artistas, designers e arquitetos, para a criação de obras que contribuam para um processo continuado de reinterpretação, cruzamento e inovação de técnicas.

    Dar-se-á relevância a propostas a desenvolver em regime de Residência que tenham preferencialmente referências à região, património histórico e natural, cultura local e recursos e que contemplem modos de produção tradicional bem como “novos media”, refletindo a sua atualização na metodologia e na forma.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Objectivos

     

    Potenciar a criação de jovens artistas regionais, através de um processo formal que lhes permite beneficiar dos recursos locais.

    Estreitar relações com a comunidade artística jovem regional;

    Promover a criação artística e produção de projetos inovadores revitalizando as técnicas tradicionais e artesanais;

    Apoiar criadores emergentes da nossa região;

    Potenciar a interação entre a produção artística e a comunidade local, contribuindo para a promoção dos recursos naturais, culturais e económicos da região;

    Contribuir para o desenvolvimento de processos participativos promovendo o envolvimento da população;

    Aproximar os cidadãos das práticas artísticas contemporâneas. Valorizar a cultura local promovendo o desenvolvimento sócio cultural e a criação de objetos com valor poético.

     

    Regulamento

    Ficha de Inscrição

    + informação
  • Manual de Iniciação à Cerâmica

    On: 12/02/2019
    In: OCT, Publicações
    Views: 0
     Like

    Manual de Iniciação à Cerâmica

     

    capafrenteA segunda tiragem do Manual de Iniciação à Cerâmica, de Ana João Almeida já está disponível e pode ser adquirido em vários espaços como:

    Centro de Investigação de Cerâmica OCT, Montemor-o-Novo

    Convento de São Francisco (Oficinas do Convento), Montemor-o-Novo

    Casa Viana, Lisboa

    Saber Fazer

     

    Mais informações para: telheiro@oficinasdoconvento.com

     

     

    + informação
  • Exposição Terra

    On: 10/23/2019
    In: Exposições, OCT
    Views: 0
     Like

    Exposição Terra

    Por Tiago Canário

    26 Outubro 2019 | 15h

    Ermida de S. Pedro, Montemor-o-Novo

    Exposicao-TerraDurante o mês de Agosto, o artista Tiago Canário desenvolveu em residência artística na Oficinas do Convento, o seu projecto “Terra”.
    A exploração da terra como matéria que define e transmite carácter. O solo como agente construtivo e deformador.
    A materialização de formas típicas da cultura cerâmica alentejana, em busca da sua relação material e temporal no espaço contemporâneo.

     

    + informação
  • Oficina de Raku

    On: 10/23/2019
    In: OCT, Oficinas
    Views: 0
     Like

    Oficina de Raku

    5 de Outubro 2019

    16 de Novembro 2019

    OCT

     

    raku copy []

     

    Esta oficina divide-se em dois momentos, sendo que no primeiro momento as peças serão modeladas e após a sua secagem e cozedura, num segundo momento, iremos realizar diferentes modalidades de queimas de Raku.

     

    Datas:

    Modelação: 5 de Outubro (Sábado), das 10h às 18h

    Vidragem e queimas: 16 de Novembro (Sábado), das 10h às 18h

    LOCAL: Centro de Investigação Cerâmica + Telheiro da Encosta do Castelo / Montemor-o-Novo

     

    Formadores: João Rolaça / Leonor Mire

    Público-alvo: Público em geral

     

    Inscrições: 70€

    Não inclui almoço / Existe cozinha no atelier

    Inscrições para telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    MAIS INFORMAÇÕES:

    telheiro@oficinasdoconvento.com

    www.oficinasdoconvento.com

    + informação
  • Exposição 4096_cm3

    On: 10/07/2019
    In: Exposições, OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    Exposição 4096_cm3: a look at artisinal brick

    Por Mathias Vincent, Thomas Flores e Marlon Bagnou Beido.

    11 de Outubro | 17h

    Oficinas do Convento

    layout-poster_24096 cm3, um projecto interdisciplinar sobre a produção artesanal de tijolo.
    O projecto “4096 cm3” é o resultado do diálogo que surgiu entre um arquitecto, um designer e um artista ao desenvolverem uma residência na Oficinas do Convento, mais precisamente, no Centro de Investigação de Cerâmica, em Montemor-o-Novo.

    4096 cm3 é a quantidade de matéria (barro, água e areia) que é necessária para encher um molde de tijolo de burro, um tijolo artesanal produzido pela OCT. Ao usar o volume deste tijolo, um novo elemento modular surgiu, com o propósito de transportar o tijolo para a esfera doméstica.

    O preenchimento enquanto lógica de reunião e a modularidade, ligada ao tijolo, foram usados de forma a chegar a uma variedade de formas capazes de sugerir um propósito, sem declarar uma função específica. Conduzidos pelo desejo de chegarem a volumes capazes de acolher uma ambiguidade entre mobília, material de construção e escultura, o projecto pretende aproximar-se à possibilidade de uma forma “grau zero”.
    O diálogo com o sítio de produção e os seus intervenientes, conceptualmente e tecnicamente, ditaram a evolução do projecto. A pilha de tijolos, prateleiras e ferramentas de produção, definiram o vocabulário que alimentou continuamente este diálogo. O sistema de empilhamento tradicionalmente usado para dispor o tijolo e a cerâmica no forno, inspirou directamente a lógica de reunião usada para organizar os elementos entre eles.
     
    As curvaturas da cerâmica, racham e deformam-se quando secam. Ao aceitar e ultrapassar o método de produção artesanal do tijolo usado na OCT, o projecto pretende desafiar as propriedades do barro, operando no limite do material, com uma relação próxima com o conhecimento local.
     –EN–
    4096 cm3, an interdisciplinary pro- ject about the craft of brick making

    The project “4096 cm3”is the results of the dialogue that emerged between an architect, a designer and an artist when spending a month of residency in the facili- ties of OCT (oficinas da ceramica e terra), the artisanal brick factory of Montemor-o-novo in Alentejo, PT.

    4096 cm3 is the quantity of matter (clay, water and sand) that is required to fill the mold of a tijolo burro, a traditional brick produced by OCT. Using the volume of this brick a new modular element emerged, aiming to bring the brick into domestic sphere.

    The stacking as logic of assembly and the modularity, inherent to the brick, were used to reach a variety of shapes capable of suggesting a purpose, without stating a specific function. Led by the desire to reach volumes capable to foster an ambiguity between furniture, con- struction material and sculpture, the project wants to approach the possibility of a form’s “degree zero”.

    The dialogue with the site of production and its actors conceptually as well as technically dictated the evolu- tion of the project. Sleeping stack of bricks, racks and production tools, defined a sculptural vocabulary that continually fed this dialogue. The stacking system tradi- tionally used to dispose brick and ceramics in the Kiln directly inspired the logic of assembly used to organize the elements with each other.

    Ceramics bends, crack and deforms when drying. By embracing and exceeding the method of artisanal brick making used in OCT, the project wants to challenge the clay’s properties, operating at the limit of the material, in close relation with the local expertise.

     

    + informação
  • Curso de Cerâmica 2019-2020

    On: 09/09/2019
    In: OCT, Residências
    Views: 0
     Like

    4ªs FEIRAS, DAS 18h ÀS 20h

    CENTRO DE INVESTIGAÇÃO CERÂMICA OCT

    MONTEMOR-O-NOVO

     

    cartaz-cursoFORMADORES

    Leonor Mire/ Ana Almeida

     

    PÚBLICO-ALVO

    Público em geral, maiores de 16 anos.

    DONATIVO/INSCRIÇÕES – 30,75€ (inclui IVA a taxa em vigor)A inscrição inclui um Manual de Iniciação à Cerâmica de autoria de Ana Almeida.

     

    Donativo/Mensalidade – 4 aulas: 55,35€

    (10% desconto para sócios, estudantes e desempregados)

    Materiais e fornadas incluídos

     

    MAIS INFORMAÇÕES

    www.oficinasdoconvento.com

    telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    OBJETIVOS

    Conhecer o barro e as suas principais propriedades;

    Aprender as principais técnicas de modelação e decoração;

    Criar peças em cerâmica utilizando a técnica ao serviço da criação;

     

    APRESENTAÇÃO (30 Outubro)

    Apresentação do programa.

    Visita guiada aos espaços das Oficinas da Cerâmica e da Terra.

     

    MÓDULO 1 (Novembro)

    6/11 – Origem e formação do barro. Como identificar e recolher barro no campo. As propriedades do barro. Os engobes naturais.

    13/11 – Introdução às técnicas de conformação. As ferramentas. Modelação livre. Técnica do maciço ocado. Barro vermelho (baixa temperatura). Pintura com engobes.

    20/11 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/11 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Acabamentos, brunidura, resinas naturais, ceras e óleos. Secagem, enforna e cozedura.

     

    MÓDULO 2   (Dezembro)

    4/12 – Técnica do rolo. Planos e curvas – Barro vermelho (baixa temperatura).

    11/12 – Técnicas de decoração com engobes: reservas, manchado, rendilhado.

    18/12 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 3 (Janeiro)

    8/1 – Técnica da lastra. Azulejos artesanais – Faiança/ Barro branco (baixa temperatura)

    15/1 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de um pequeno painel de azulejos. Lastra e corte.

    22/1 – Decorações: Pintura tradicional alentejana. Pintura do painel com engobes – esgrafitado.

    29/1 – Continuação e conclusão dos trabalhos. Vidragem do painel.

     

    MÓDULO 4   (Fevereiro)

    5/2 – Técnica da lastra. Colagem. Volumes a partir de planos. Barro Vermelho (baixa temperatura)

    12/2 – Técnicas de decoração em relevo: Incisão, colagem, estampagem, empedrado, perfuração. Carimbos. Lavagens.

    19/2 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma caixa ou outra peça a partir dos conteúdos dados.

    26/2 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 5   (Março)

    4/3 – Pastas coradas. Elaboração de testes e amostras de cores. O marmorizado. Faiança (baixa temperatura)

    11/3 – Nerikomi.

    18/3 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    25/3 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 6   (Abril)

    1/4 – Reprodução em série. Moldes de gesso: enchimento com pasta e com barbotina. A porcelana (alta temperatura).

    8/4 – CRIAÇÃO: Exercício criativo. Construção de moldes de gesso.

    15/4 – Enchimento de moldes – acabamentos.

    22/4 – Enchimento de moldes. Vidrar peças. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 7   (Maio)

    6/5 – Grés, alta temperatura. Os vidrados. Suportes para testes.

    13/5 – Técnicas de decoração sobre chacota: Estresido (transferência de imagem), Corda seca, Majólica, Minas cerâmicas.

    20/5 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    27/5 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    MÓDULO 8 (Junho)

    3/6 – Técnicas de transferência de imagens: decalque com carimbos.

    17/6 – CRIAÇÃO: Exercício criativo, realização de uma peça a partir dos conteúdos dados.

    24/6 – Continuação e conclusão dos trabalhos.

    1/7 – Vidragem. Continuação e conclusão dos trabalhos.

     

    EXPOSIÇÃO COLECTIVA (Julho)

    Apresentação dos trabalhos realizados.

     

     OBJECTIVOS:

    • Aproximar o indivíduo dos processos criativos e artísticos na cerâmica e na arte.

    Focar o prazer de pensar e criar e usar a técnica ao serviço da criação.

     

    • Conhecer o barro, a sua origem e as suas propriedades

    Plasticidade, cor, endurecimento, contracção, sinterização e porosidade.

     

    • Trabalhar os diferentes métodos de conformação do barro e saber usar o mais indicado para cada situação.

    Modelação, maciço ocado, lastra, colagem, rolo, roda, moldagem.

     

    • Aprender as principais técnicas de decoração, pintura cerâmica, engobes e vidrados. Esgrafitado, estampagem, reservas, manchado, minas cerâmicas, nerikomi, etc..

     

    • Conhecer os diferentes tipos de fornos e as suas possibilidades.

    Forno eléctrico, Forno de campânula a gás (Raku), Forno de papel, Forno de serradura.

     

    • Realizar um trabalho no final do curso, a ser apresentado numa exposição colectiva.

     

     

     

    + informação
  • Oficina Grés de Sal

    On: 08/21/2019
    In: OCT, Oficinas
    Views: 0
     Like

    Cozedura de Grés de Sal

    20, 21 e 22 de Setembro 2019

    Telheiro da Encosta do Castelo e OCT

    Inscrições até dia 12 Setembro.

     

    cartaz_sal []A Oficina de Cozedura de Grés de Sal pretende partilhar o conhecimento sobre esta técnica de cozedura a lenha de alta temperatura e possibilitar a todos os interessados a experiência de cozer peças neste forno único.

     

    DATA: 20, 21 e 22 de Setembro (Sexta, Sábado e Domingo)

    LOCAL: Telheiro da Encosta do Castelo / OCT / Montemor-o-Novo

     

    Para a participação nesta oficina, os interessados são convidados a trazer peças de sua autoria, de pasta cerâmica que suporte 1260ºC ou superior, de tamanho pequeno a médio, já chacotadas. Poderão ter engobes ou vidrados crús adequados à temperatura, aplicados pelos autores.

    Este forno e técnica de cozedura é muito interessante e diferente, algo imprevisível e por isso mesmo, um fascínio para muitos ceramistas e artistas.  Consiste em cozer peças a lenha e na parte final da cozedura, já com temperaturas muito altas, introduzir sal na câmara de queima, que deixa um vidrado sobre as peças, impossível de replicar com outras técnicas.

    Todos têm a oportunidade de introduzir peças e/ou ensaios de todos os tipos para futuras referências.

    Caso não possam chacotar as peças, ou precisem de trabalhar nos engobes ou vidrados nas nossas instalações,  poderão contactar as Oficinas da Cerâmica e da Terra (OCT) com antecedência, ou consultar a página www.oficinasdoconvento.com

    O valor da inscrição contempla a cozedura de uma peça de aproximadamente 30 x 30 x 30 cm ou várias de volume total equivalente. Para várias peças ou uma muito grande, será calculado o valor com base no mesmo módulo.

    Atenção: é da responsabilidade dos participantes assegurar que a pasta utilizada nas suas peças comporta a temperatura de 1260º ou superior, por forma a evitar estragos no forno e nas peças de outros participantes.

     

    Formadores: João Rolaça / Leonor Mire

     

    Público-alvo: Artistas, ceramistas, estudantes em geral, estudantes de cursos artísticos, professores, investigadores, curiosos e público em geral.

     

    Nº mínimo de participantes: 12

     

    Programa:

    6ª Feira, 20:

    9h30 – Apresentação, observação e análise das peças a cozer

    10h – Introdução ao Forno de Grés de Sal: características, especificidades e resultados

    11h – Enforna

    13h – Almoço

    14h – Enforna (continuação)

    17h30 – Construção da porta do forno

    18h30 – Descanso

     

    Sábado, 21:

    8h – Planificação da Cozedura, distribuição de tarefas

    8h30 – Acender o Fogo, Cozedura

    13h – Almoço

    14h – Cozedura (continuação)

    19h – Fim da Cozedura (hora estimada) e Descanso

     

    Domingo, 22:

    10h – Abertura ligeira da porta do forno e tempo livre

    16h – Abertura do Forno (pública)

    17h – Observação, análise de resultados, reflexão coletiva

    18h – Organização do espaço

    18h30 – Fim dos trabalhos

     

    Inscrições: 100 €

    Inscrições para telheiro@oficinasdoconvento.com

     

    A inscrição neste workshop inclui alojamento e não inclui alimentação

    Alojamento:

    – Camarata do Convento de S. Francisco; mista; com acesso a cozinha, casa de banho e wi-fi. Trazer saco cama ou roupa de cama e toalha. Indicar no ato de inscrição.

    Alimentação:

    – Disponibilizamos a nossa cozinha para confeccionar as refeições.

    – Restauração local.

     

    MAIS INFORMAÇÕES:

    telheiro@oficinasdoconvento.com

    www.oficinasdoconvento.com

    + informação