• Muyassar Kurdi na Oficinas do Convento

    On: 10/10/2018
    In: Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Muyassar Kurdi

    11 Outubro | 22h

    Oficinas do Convento

    Contribuição para a artista: 3€

     

    11

     

     

    A artista Muyassar Kurdi marca presença no Convento de S. Francisco no dia 11 de Outubro para dar a conhecer a sua performance que mistura cinema, dança e música, num só espaço. Traz consigo duas curtas-metragens, da sua autoria, que vão servir de pano de fundo neste fantástico espectáculo.

    ‘Completely concentrated upon her bizarre ritual, the singer – dressed in black – emits tortured vocalisations and cries worthy of Yoko Ono in full flight… It’s incredibly in-­your-­face and perturbing but makes you smile too: the sheer pleasure of making a racket.’ L’Alsace (France)

     

     

     

     

    Filmes:

    Travelling (10m9s, 2017)

    É uma curta de movimento de 16mm, uma peregrinação, um ritual: explorando gravidade, vulnerabilidade, espaços entre espaços, ritmo visual e presença.

     

    A Song for Many Women (9m21s, 2018)

    É uma curta de movimento de 16mm que explora a gravidade, a percepção e a subtileza. A dança de uma mulher no rescaldo da guerra e destruição

     

    + informação
  • Ohxalá – Festa final do Projecto Bi0n

    On: 08/13/2018
    In: Concertos, Espectáculos, OCT
    Views: 0
     Like

    >>> Ohxalá<<<

    18 Agosto – 23:00 – Oficinas do Convento

    28238821_1207697029363453_1659807152304567593_o

    Maria e Luis apesar de viverem no Porto, as suas musicas ouvem-se por todo o mundo, fazendo parte da crescente onda do ethnobeats.

    Focados na cultura portuguesa, brasileira e africana, inspirados na forte base rítmica da música popular e antiga, as suas produções estão cheias de gravações de campo e incorporam elementos folclóricos, étnicos e tradicionais na música eletrónica contemporânea.
    Ohxalá é, sem duvida, uma experiência musical única.
    + informação
  • CV >< PT – Jantar / Concerto Jon Luz / Fados com Inês Villa-Lobos

    11 de julho – Convento de S. Francisco

    20hJantar Cabo Verde/Portugal

    Cachupa >< Caldo Verde e Pasteis de Bacalhau

    Doce de Papaia >< Arroz Doce

    Grogue e Ponche >< Vinho tinto e Aguardente

    Aceitam-se reservas para o comunicacao@oficinasdoconvento.com

    21:00h – Jon Luz

    jonNeste espectáculo, o público terá oportunidade de conhecer melhor a música de Jon Luz cuja originalidade advém justamente da combinação única entre ritmos tradicionais como a morna, a “coladera”, o funaná, o batuque, o “sanjon” e as letras das histórias que conta numa concepção original de arranjos.

    Jon Luz é indubitavelmente um jovem talento há muito descoberto pelo público português e o público internacional da “world music” procura beber a tradição de cabo verde. Um artista que ao explorar a riqueza musical da sua terra, cria uma nova perspectiva para a música actual cabo-verdiana.

    “Farrope d´Poesia” foi o seu primeiro trabalho original e nos últimos anos colaborou com artistas como Sara Tavares, António Zambujo, Cesária Évora, Maria Alice, Tito Paris, Júlio Pereira ou João Afonso.


    In this show, the audience will have the opportunity to get to know better the music from Jon Luz which originality comes from the unique combination between traditional rhythms such as morna, “coladera”, funana, “sanjon” and the lyrics from histories that tell in an original conception of arrangements.

    Jon Luz is, undoubtedly, a young talent found a long time ago by the portuguese audience and, the international audience of the “world music” seeks for the Cape Verde tradition. An artist that by exploring the music wealth of his own land, creates a new perspective for the current Cape Verde music.

    “Farrope d’ Poesia” was his first original work and in the past few years, he worked with artists such as Sara Tavares, António Zambujo, Cesária Évora, Maria Alice, Tito Paris, Júlio Pereira or João Afonso.

     

     22:30h  – Fados com Inês Villa-Lobos

    18814037_2044511329109339_6153720107606616279_n 2

     

    18814037_2044511329109339_6153720107606616279_n 2Com uma voz calma e melodiosa, Inês Villa-Lobos canta embalada pelos trinados da guitarra de António Villa-Lobos e conduzida pela marcação na viola de Hélder Azinheirinha. É assim, que com grande cumplicidade e amizade, criam um ambiente intimista e partilham o fado.


    With a peaceful and melodious voice, Inês Villa-Lobos sings cradled by the warble of the guitar of António Villa-Lobos and driven by the marking of Hélder Azinheirinha’s guitar. It is with great complicity and friendship that they create an intimate environment and share fado.

    + informação
  • Luca Argel

    On: 07/11/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Luca Argel

    Dia 13 Julho/ 13th July | 22:00h | Convento de S. Francisco

    31430327124_637925aab5_k

     

    32233280906_6f2d7ea569_kSabem os sábios que as palavras mais simples fazem as canções mais bonitas. O novo álbum de Luca Argel, poeta e cantautor carioca radicado no Porto, é um disco de sambas despidos que brilham na sua enganadora simplicidade. As canções contém somente voz e violão, mas é tudo quanto precisam. Dos subúrbios às galáxias do Star Wars, ele canta histórias com uma amável intimidade. Mas nada é verdadeiramente simples na música de Luca Argel – ele sabe trabalhar a carpintaria das palavras, o poder do ritmo e a sedução de uma melodia. Com subtileza e sentimento, enlaçada em mel, a voz saboreia a destreza dos poemas e respira o ardor das melodias. Bandeira é um carinho nos ouvidos.

    [Ana Patrícia Silva, Time Out Porto – Abril, 2017]Luca Argel (Rio de Janeiro, 1988), é formado em música pela UNIRIO e mestre em Literatura pela Universidade do Porto. É vocalista e compositor dos grupos “Samba Sem Fronteiras”, “Orquestra Bamba Social” e “Ruído Vário”, este último em parceria com a cantora Ana Deus. Tem livros de poesia publicados no Brasil, em Espanha e em Portugal, um dos quais foi semifinalista do Prémio Oceanos 2017. Em 2016 lançou seu primeiro disco a solo, “tipos que tendem para o silêncio”, e em seguida “Bandeira”, considerado pelo site Embrulhador como um dos melhores lançamentos da música brasileira em 2017.


    Luca Argel (Rio de Janeiro, 1988), is graduated in music by UNIRIO and mastered in Literature by the University of Porto. He’s the vocalist and the songwriter from the groups “Samba Sem Fronteiras”, “Orquestra Bamba Social” and “Ruído Vário”, this last one with a partnership with the singer Ana Deus. He has poetry books published in Brazil, Spain and Portugal, one of them being semifinalist of the Prémio Oceanos 2017. In 2016, he released his first solo record, “tipos que tendem para o silêncio”, followed by “Bandeira”, considered, by the site Embrulhador, one of the best releases in brazilian music in 2017.

    + informação
  • Galgo

    On: 07/11/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Galgo

    13 de Julho / 13th July | 23:00h | Convento de S. Francisco

    IMG_1961-2-web“Quebra Nuvens”, o novo disco dos Galgo, chegou às plataformas digitais no passado dia 16 de Abril. Bambaré é o primeiro single do mais recente trabalho da banda.

    Depois do lançamento de “EP5” em 2015 a banda de Oeiras fez-se à estrada e foi em Setembro de 2016 que os Galgo editaram o seu primeiro longa-duração “Pensar Faz Emagrecer’’. Chegam agora a 2018 de ouvidos postos no futuro e com novas roupagens musicais, assumindo um percurso com vista para o digitalismo moderno, mas sem desviar a crueza do rock que os caracteriza. O novo álbum do quarteto formado por Alexandre Moniz, João Figueiras, Miguel Figueiredo e Joana Batista foi produzido e gravado no estúdio HAUS, chegando naturalmente a uma mescla de paisagens sonoras refrescantes, onde as vozes ganham uma nova abordagem. As guitarras permanecem estrídulas, o baixo agiganta-se e a ferocidade do rock move-se por teclados cintilantes, felizes e afortunados. Por fim, decreta-se um confronto entre a impiedade orgânica e as modulações sintetizadas.

    Num mundo onde tudo é orgânico e natural, Galgo convive com transeuntes. Uma nuvem de origem electro-digital ameaça provocar uma tempestade que transformará todos os seres em robô-dançantes. Galgo é o único que tenta confrontar a nuvem. Ambos se envolvem numa batalha final onde o Galgo é atingido e sofre a grande transformação.

     

     


     

    “Quebra Nuvens”, the new record from Galgo, arrived in the digital platforms on the 16th of April. Bambaré is the first single and the most recent work of the band.

    After launching the “EP5?, in 2015, the band from Oeiras went on tour and it was in September, 2016, that Galgo edited their first long duration “Pensar Faz Emagrecer”. They arrive in 2018 with ears placed in the future and with new musical garments, assuming a path focused on modern digitalism, but without turning to the side the rawness of rock that portrays them. The new album of the quartet constituted by Alexandre Moniz, João Figueiras, Miguel Figueiredo e Joana Batista was produced and recorded in the HAUS studio reaching naturally to a mixture of refreshing sonorous landscapes, where the voices gain a new approach. The guitars remain shrilled, the bass enlarges itself and the ferocity of rock moves through shining keyboards, happily and luckily. By the end, is proclaimed a confrontation between the organic impiety and the synthesized modulations.

    + informação
  • Os Compotas

    On: 07/11/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Os Compotas

    13 de Julho/13th July | 00:00h | Convento de S. Francisco

    _MG_0060sc0pia

     

    “2012! Sete irmãos de mães diferentes foram encontrados ao largo da costa algarvia,
    flutuando dentro de um gigante frasco de compota.
    Afirmavam terem vindo de uma viagem no tempo.
    Do Funk dos 70, para pregá-lo de novo.
    As gentes apelidaram-nos de: Os Compotas.

    Depois de 5 anos a prestar tributo aos clássicos dos guardiões do Funk,
    a multidão que acompanhou o crescer da banda com lealdade chora agora por compota original.
    As receitas estão a ser cozinhadas e algumas já podem ser degustadas ao vivo.
    É altura de procurar cada vez mais apóstolos e testemunhos desta missão imparável.

    Afinal, todos os limites do espaço são pequenos, quando a barreira do tempo foi quebrada.
    A Nave Mãe está de partida, outra e outra vez.”


     

    “2012! Seven brothers, all from different mothers were found by the Algarve shore, floating inside a giant jam jar. They claimed to have travelled from the past, from the 70’s Funk, to preach it again. People named them: Os Compotas.

    After 5 years rendering tribute to the classic Funk guardians, the crowd who kept track of the band’s growth with loyalty cries for original jam. The recepies are being cooked and some of them are already being tasted live. It’s time to look for even more apostles and witnesses for this unstoppable mission.

    After all, all space limits are small, when the barrier of time was broken. The Mother Ship is ready to go, over and over again.”

    + informação
  • DJ Magau

    On: 07/11/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    DJ Magau

    13 Julho/13th July | 01:00h | Convento de S. Francisco

    1912362_10152491171100746_4613744280195725350_oEclético, o DJ Magau tem marcado presença regular no Convento de S. Francisco. Funk, Electro-funk, Break Beat, Dub Step ou Drum’n’Bass são algumas das suas propostas, para um set variado e surpreendente.


     

    Eclectic, DJ Magau has been an ongoing presence in Convento de S. Francisco. Funk, Electro-funk, Break Beat, Dub Step or Drum’n’Bass are some of his proposals for a varied and surprising set.

    + informação
  • Sculpture

    On: 07/09/2018
    In: Cidade Pre0cupada, Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Sculpture

    14 de Julho/14th July | 22:30h | Convento de S. Francisco

    SC-PressShot3Sculpture são os músicos Dan Hayhurst e o artista visual Reuben Sutherland, cujo trabalho une o  audível e o visível, o físico e o digital através de práticas exploratórias na música electrónica, na arte do vídeo e na animação.

    As actuações A/V (Audio/Video), ao vivo, da banda são centrais para este processo. Utilizando uma vasta biblioteca de marcas zootrópias, o turntablism visual de Sutherland combina tecnologia mecânica de imagem com um software base de técnicas em ciclos e saltos alucinatórios. Existe uma clara relação com a fisicalidade caótica de Hayhurst em relação à sua abordagem sónica – permutações instáveis de gravações em ciclo, aparelhos electrónicos e sequências digitais Lo-fi (baixa fidelidade) tocados com uma bobina gasta para uma outra de gravação em fita, um computador, um walkman, uma amostra e unidades FX.

    Descobrindo as possibilidades espontâneas no momento, ao mesmo tempo que assumem formas temporárias do techno moderno, aparelhos analógicos, filmes abstractos, sci-fi, pop, psicadelismo surreal, música visual e tiras cómicas, a sua produção é divertida, inesperada e multissensorial.


     

    Sculpture is musician, Dan Hayhurst and visual artist, Reuben Sutherland, whose work unites audible and visible, physical and digital through exploratory practice in electronic music, video art and animation.

    Sculpture’s live A/V performances are central to this process. Utilizing an ever expanding library of zoetropic prints, Sutherland’s visual turntablism combines mechanical imaging technology with cutting-edge software based techniques in hallucinatory loops and jumps. There’s a clear connection with the chaotic physicality of Hayhurst’s approach to sonics – unstable permutations of tape loops, lo-fi electronics and digital sequences played with a battered reel to reel tape recorder, computer, walkman, sampler and FX units.

    Discovering spontaneous possibilities in the moment while assuming temporary forms of modern techno, analogue electronics, abstract film, sci-fi, pop, absurdist psychedelia, visual music and comic strips, their output is playful, unpredictable and multisensory.

    + informação