• Noites Curtas

    On: 06/12/2017
    In: Cidade Pre0cupada, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    Cidade PreOcupada 2017

    teatro | convento S. Francisco | 14, 15 e 16 junho | 22:00

     

    Curta mostra de performances teatrais nas noites mais curtas do ano.

    Oito espectáculos de curta duração em três noites consagradas às novas dramaturgias

     

    Este ano integram as noites curtas:

     

    noite_curtasDia 14, quarta-feira:?

    >>Trocamos?, Inês Cartaxo e Zé Bernardino
    “Conheci um tratador de canarios que, quando o canário dava à goela para pedir comida, ele aproximava-se da gaiola e dava um retoque na pintura.” Diálogos de “O Torcicologologista, Excelência”, de Gonçalo M. Tavares.

    Ficha Técnica e Artística

    Interpretação: Inês Cartaxo e Zé Bernardino Texto: Gonçalo M. Tavares

    >> Paragem 28, Teatro da Cidade

    Há um universo escatológico que permite a existência de três personagens.?Não dizem nada umas às outras, esqueceram-se de como comunicar, de como estar uns com os outros. Perante a sua própria solidão confrontam-se com a curiosidade pelo outro, porque apesar de tudo é o que os move a manterem-se vivos.

    Ficha Técnica e Artística

    Criação colectiva Teatro da Cidade

    Interpretacão: Bernardo Souto, Nídia Roque, Rita Cabaço

     

    >> PORQUE MOTIVO uma curta d’OS POSSESSOS, Os Possessos

    Será o nosso universo a sombra de outro? Mas aqui surge o problema de como visualizar e também de tentar compreender melhor o que é o amor.

    Ficha Técnica e Artística

    Com João Pedro Mamede e Isabel Costa Texto João Pedro Mamede e Nuno Gonçalo Rodrigues Produção Catarina Rôlo Salgueiro

     

     

    Dia 15, quinta-feira:

    >> Dust – Álbum de família, Ana Vilela da Costa

    Dust toma o seu nome a partir de um texto que Bataille escreveu em 1929 na revista Documents onde nos fala de pó. Os contadores de histórias nunca se aperceberam de que, quando a bela adormecida acordasse, estaria coberta por uma densa camada de pó.?Queremos penetrar nas camadas mais ocultas deste pó e pesquisar as memórias mais longínquas, mais distantes, aquelas que pulam constantemente entre a ficção e a realidade. Entre o concreto e aquilo que a imaginação vai preenchendo a seu bel-prazer, ocupando os espaços deixados em branco pela memória inconstante.

    Ficha Técnica e Artística

    Criação e Interpretação: Ana Vilela da Costa Apoio à criação: Martim Ramos?Apoio Técnico: Eduardo Breda e Mariana Portugal Dias

     

    >> Estudos para um performer que vende tempo, Marta Barahona Abreu

    Primeiro capitulo de um triptico chamado AIRPnP.?O performer confronta se com a falta de palco e pretende apropiar se do espaço publico qual emel, que cobra euros em troca de beneficios.?Neste caso, em troca de uma performance.

    O primeiro capitulo, aquele que se vai apresentar evoca a falta de tempo que o performer sente. A falta de espaço para ensaiar . E a necessidade de se dividir em mil outros oficios para poder continuar a falar em teatro/performance. Vende o que tem. Vende o seu tempo, apropria se do espaço, cria o seu palco, vende banha da cobra?

    Chegamos ao ponto de ruptura em que até a nossa casa alugamos para viver..?Que mundo é este com o qual compactuamos e no qual nos mergulhamos diariamente sem tempo para questionar…

    Ficha Técnica e Artística

    Performance escrita por Marta Barahona Abreu Performer Marta Barahona Abreu?Dramaturgia Stattmiller?Espaço cenico Ricardo Santana

    Video instalação Joao Moniz Com o Apoio Tigre de fogo

     

    >> Orfeu e Eurídice, Teatro da Cidade

    A partir do mito de Orfeu propomos-mos a pensar a efemeridade. A efemeridade como escolha. Nesse instante descobre-se o lugar do outro, escolhe-se ver o outro. O encontro com o outro é sempre um encontro connosco. Um desencontro. Efémero.

    Ficha Técnica e Artística

    Criação colectiva Teatro da Cidade. Adaptação do Mito: Guilherme Gomes. Interpretacão: Bernardo Souto, Nídia Roque, Rita Cabaço.

     

    Dia 16, sexta-feira:

    >> Acção:REPETIÇÃO, auéééu-Teatro

    Dois homens tentam gravar uma cena de cinema francês em italiano. Uma mistura de discursos entre as indicações do director e a liberdade do actor.

    Ficha Técnica e Artística

    Actores: João Oliveira Santos e Sérgio Coragem. Criação: auéééu-Teatro

     

    >>A Vila, Eduardo Breda e Sofia Vitória

    “A Vila é a mesma Vila, as pedras as mesmas pedras. Nós mesmo não mudámos. A nova vida obriga-nos apenas a discutir o que estava ao nosso lado. O drama não tem personagens nem gestos, nem regras, nem leis. Não tem acção. Passa-se no silêncio, despercebido. É um debate perpétuo.” em Húmus – de Raul Brandão?A partir de Húmus de Raul Brandão, no ano em que se celebra os 150 anos do nascimento do autor.

    Ficha Técnica e Artística

    Criação e Interpretação: Eduardo Breda e Sofia Vitória Adaptação: Eduardo Breda e Sofia Vitória?Fotografia: Eduardo Breda?Produção : Eduardo Breda e Sofia Vitória

    Apoio :Fundação GDA Parceiros : Projecto Ruínas | Primeiros Sintomas

    + informação
  • Cidade Pré0cupada 2017

    Cidade PréOcupada 2017 – IX edição
    14 junho a 9 de Julho – Montemor-o-Novo

     

    cp2017cmúsica, performance, oficinas, teatro, instalações, exposições e associativismo.
    A Oficinas do Convento espalhada pela Cidade!

    VEJA TODA A PROGRAMAÇÃO

    + informação
  • Dio3Estu na ADAO

    On: 11/21/2016
    In: Espectáculos, Residências
    Views: 0
     Like

    ESTUDIO3
    25 Novembro – 22h00 – ADAO – Associação Desenvolvimento Artes e Ofícios (BARREIRO)
    Entrada Livre

    Estudio3_A3(V2)-01A oficina em permanente funcionamento Dio3Stu (ou ESTUDIO3) resulta do contacto transfronteiriço entre colectivos de músicos e criadores, e tem lugar periodicamente nas Oficinas do Convento, em Montemor-O-Novo.

    Dedicada ao circuit-bending – a tranformação de brinquedos, sintetizadores ou aparelhos que produzam som a partir de circuitos, em novos instrumentos musicais e visuais – esta oficina concentra a sua pesquisa na descoberta de novos e motivantes mundos de criação plástica e sonora, empreendendo de forma regular residências por vários espaços do país.

    Em Novembro, estarão pela ADAO – Associação Desenvolvimento de Artes e Oficíos, onde, juntamente com alguns dos membros locais da associação prepararão um espectáculo único – com ênfase particular na espontaneidade e aleatoriedade geradas pela manipulação de tecnologias elementares que habitualmente constituem estas “electrónicas baratas”, redefinindo e reflectindo sobre a sua omnipresença através de novos propósitos artísticos.

    + informação
  • One Two Free Fall – Por Avant Garde Quartet

    On: 10/14/2016
    In: Concertos, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    One Two Free Fall

    por Avant Garde Quartet

    22 Outubro – 21:30 – Convento S. Francisco

    Contribuição para os músicos – 3€

    p08-001  19:30 – Jantar pela Cantina do Mambo

    (Reservas para Cantinadomambo@gmail.com)

    ONE TWO FREE FALL é a nova proposta em quarteto do trompetista espanhol Julián Sánchez (Perico Sambeat, Chano Domínguez, Jordi Rossy,
    Bruce Barth, Jorge Pardo, Dave Murray, etc.. ), um dos melhores jazzman da cena do jazz no sul da Europa em co-liderança com a violinista andaluza Luz Prado, o contrabaixista da Catalunha Joan Massana e o baterista da Extremadura Javier del Barco.

    A banda em pleno desenvolvimento combina a frescura e maturidade artística para um projeto donde a improvisação e as estéticas free são o principal veículo de expressão.

    Uma proposta de música ao vivo em estreia por quatro músicos com juventude, maturidade e experiência musical e que teem encontrado neste novo projeto um espaço de expressao e procura comum, onde a resposta é construída em conversa com o público, com o lugar, com o momento, através de todos eles.
    Salto sem pára-quedas e onde o público, o “momentum” e os instintos são o único motor. Emoção garantida.
    Um, Two..Free Fall!!

    + informação
  • OCCULT CLUB

    On: 09/30/2016
    In: Concertos, Espectáculos, Noticias
    Views: 0
     Like

    OCCULT CLUB

    7 Outubro 2016 – 23:00 – Convento S. Francisco

    occult oficinas web 2Há um ano, os Lucifer’s Ensemble estiveram na Oficinas do Convento em residencia e deram um concerto “assombroso”… e agora estao de volta com o OCCULT CLUB.

    In the sparkle of time and space, a cerimony randomly choose to exist…


    The Occult Club.


    Dionysiac nights dedicated to dark music explorations that seek by ritual and ecstasy to achieve transcendence.

    –<  Lucifer’s Ensemble  >–

    Lucifer’s Ensemble é um triângulo invertido constituído por dois performers (do colectivo DEMO) e um compositor (da Sonoscopia). Nos seus concertos performáticos gravitam músicos convidados para fechar o circulo das suas peças conceptuais dedicadas ao oculto. O Ritual, o Transe e a Transcendencia; A Noite, a Estrela da Manhã e o Anjo da Luz; A Viagem do Louco e o Desejo da Queda.

    Cláudio Vidal – Guitarra, processamento
    Gil Mac – Voz, sampler
    Nuno Marques Pinto – Voz, percussão
    Tiago Ângelo – Electrónica, processamento
    Violeta Lisboa – Voz, sintetizadores

    Lucifer´s Ensemble
    DEMO

     

    + informação
  • Holding it Together

    On: 07/02/2016
    In: Cidade Pre0cupada, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    dança/instalação Holding it Together
    1 julho | Convento de S. Francisco | 22:00
    8 julho | Convento de S. Francisco | 22:30

    holdingHolding it together é uma performance instalação que investiga as expectativas construídas na intrínseca relação entre visão e corpo. A partir de acç?es específicas, Kaufman e Tonguz convidam-nos a  uma dinâmica cúmplice que envolve risco, intimidade e uma negociação constante do espaço e dos seus limites.

     

    Holding it together é uma co-criação de  Daria Kaufman (bailarina / coreógrafa), Francisco Pinheiro (artista plástico) e Sezen Tonguz (performer / coreógrafa).

     

    Conceito:: Daria Kaufman, Francisco Pinheiro, Sezen Tonguz
    Coreografia,interpretação: Daria Kaufman, Sezen Tonguz
    Instalação, cenografia: Francisco Pinheiro
    Apoio a dramaturgia: Ana Trincão
    Residências: DEVIR/CaPa, Atelier Concorde, Polo Cultural Gaivotas, ÇATI Contemporary Dance Artists Association.
    Holding it together foi apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação GDA e European Cultural Foundation.

     

    Daria Kaufman
    Francisco Pinheiro
    Sezen Tonguz

    + informação
  • MANHOLE

    On: 07/02/2016
    In: Cidade Pre0cupada, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    performance MANHOLE
    6 julho | Galeria Municipal | 22:00

    manholeInterpretes: Ece Canli e Nina Jeppsson

    A palavra MANHOLE em inglês significa “um pequeno buraco coberto por uma área pavimentada permitindo atravessar por baixo, especialmente um buraco que conduz a um esgoto”. É uma porta que drena os excrementos, a urina e a sujidade das massas e esconde-os no subsolo. Por meio dela, a superfície, a fachada do mundo parece suave e limpa, e a merda permanece invisível.

    Ao mesmo tempo, MAN HOLE é o próprio mundo, um vórtice de lavar a porcaria enquanto faz merda fora dos “outros”. É esse buraco que tornou Aileen Wuornos num serial killer lunático, Valerie Solanas numa prostituta louca, e ambos num legado de Hollywood. É um lugar de segregação, assimilação, opressão e ilusão. Cria loucura e trauma. Ele unifica as subjetividades numa entidade e impõe uma certa verdade. Ele gera traumas e faz com que goste dele, que fique viciado nele. Leva o teu passado e presente embora e faz-te viver num futuro que nunca mais chega.

    No entanto, ele silencia as vozes vindas do subsolo.

    Esta performance é a manifestação do MAN HOLE, uma tentativa de abrir a porta do MANHOLE. É para criar outros buracos dentro deste vórtice, para encontrar formas de escapar através de vozes silenciadas.

    Com os métodos de localizar a voz no próprio corpo e no dos outros (corpo dos artistas e do público), destina-se a lidar com os traumas incontroláveis e muitos tons diferentes de emoções, trazendo a vida de todas aquelas loucas e lunáticos, assassinos, suicidas, escondidos e perdidos. Pretende-se perturbar e enganar o tempo e espaço deste buraco.

    Matar o passado, matar a nossa história, como um suicídio. Matar o futuro por nascer. Ao contrario do lema neoliberal “encontrar-se”, esta peça é esquecer o eu, fragmentar o auto em vários pedaços e personalidades, em muitas sombras através do passado, presente e futuro.

    A performance pretende funcionar como um lugar para a voz incorporada, como um meio para uma trip coletiva.

    + TIRGARDEN +

     

    + informação
  • Tzii

    On: 06/27/2016
    In: Cidade Pre0cupada, Espectáculos
    Views: 0
     Like

    concerto Tzii
    1 julho | Convento de S. Francisco | 23:00

    tziiDesde 1996 Tzii, músico compositor e cineasta Francês, espalhas as suas frequências pelo mundo fora, viajando do Easte ao Oeste da Europa, Australia, EUA, Canadá, Japão e alguns países de África.

    Tzii criou a sua própria label, NIGHT ON EARTH, em 2001 e é co-fundador e membro activo da label/colectuvo V-ATAK.

    O seu principal objectivo é atingir transcendência através do som transe, fazendo camadas e loops para outra dimensão evitando intelectualismo, deixando assim o corpo emocional fluir livremente nas ondas….

    Uma coisa permanece sempre nas suas obras: elas são impossíveis de caber em qualquer caixa. “Uma montanha de figuras múltiplas”, conforme definido pela Nyx.

    Faz parte ainda de muitos outros projetos como SOLAR SKELETONS, MS30, 1997EV, VIRIL, AEROBICONOISE e produz ainda para companhias de dança, performances ao vivo, bandas sonoras de cinema, e qualquer outra coisa que contenha som…

    + GALERIA VIDEOS +

    + informação