• Mostrar Pintar

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Exposição Mostrar Pintar de Manuel Casa Branca

    Todos os sábados do mês de Setembro | Aberto no horário da Galeria 9 OCRE: Das 15h-18h

    Galeria 9 OCRE

    *Obrigatório o uso de máscara

    mostrarpintarManuel Casa Branca promove um atelier aberto na Galeria 9ocre com visita guiada. Temos uma exposição de trabalhos de pintura e a pintura a ser trabalhada. O processo criativo aberto ao público nos sábados de Setembro.

    + informação
  • Retrô

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Instalação Retrô do colectivo SAS Orkestra de Rádios

    12/set | Aberto no período em que ocorrerem actividades no Convento de S. Francisco

    Convento de S. Franciso

    *Obrigatório o uso de máscara

    _instretroRêtro é uma Instalação sonora, criada para espaço/caixa escura.
    Esta instalação permitirá consolidar, dar continuidade e autonomia a um momento do espetáculo Pavão Albino, no qual os performers colocam todos os instrumentos a “tocar sozinhos” e se juntam ao público num momento de contemplação.
    Consiste em dispor os instrumentos (desenhados e fabricados pelo colectivo) construídos a partir de antenas e rádios (transistores), explorando seu sentido plástico, cenográfico e musical e desta forma propor um ambiente sonoro e estético intimista. As antenas, objectos de mediação de ondas invisíveis, saem dos telhados e são instaladas no chão.
    Tirando partido da volatilidade comportamental intrínseca a este instrumentos musicais inéditos (antenas) e das ondas rádio que nos envolvem, devidamente tratadas e “transformadas” pelo potencial dos instrumentos deste colectivo criam-se paisagens sonoras que investigam o inusitado e constroem uma dramaturgia sonora autónoma através de um processo de transformação lenta e automática.
    A base sonora desta instalação inclui assim a sintonização das ondas radiofónicas do lugar em diálogo com os instrumentos idiossincráticos dos SAS Orkestra de Rádios. Produz uma composição sonora variável de acordo com as condições, tempo de transmissão e inércia do sistema. Este sistema permite construções “musicais” de grande riqueza rítmica e textural. Desta forma, se cria em tempo real, um concerto sem músicos, onde os instrumentos são os únicos actores. O público é convidado a deambular ou permanecer o tempo que desejar no espaço na instalação, e desfrutar de um espectro sonoro, único inesperado e surpreendente.

    SAS Orkestra de Rádios
    Retrô é uma instalação sonora inédita da autoria do colectivo SAS Orkestra de Rádios .
    Este é um colectivo de génese transdisciplinar, criado por Sónia Moreira, Ana Trincão e Simão Costa, com formações em Artes Plásticas, Performance e Música, respectivamente.
    Paralelamente ao desenvolvimento dos seus percursos artísticos individuais, este colectivo, fundado em 2013, construiu e consolidou a sua identidade baseada numa lógica transdisciplinar, de co-criação e co-direção entre pares.
    O SAS Orkestra de Rádios, toca e cria instrumentos inusitados, constituídos por antenas analógicas e rádios de bolso modificados, transformadas em objectos estético-sonoros, que capturam e interagem com ondas rádio. Uma proposta no âmbito da arte sonora, essencialmente experimental, que cria sons a partir da manipulação das antenas, e cujas composições integram o ruído como elemento potenciador.
    Os SAS partilham a sua visão artística e linguagens com o público, através de concertos de música improvisada, proporcionando uma experiência sonora imersiva, convidam o público a desfrutar de viagens e devaneios sonoros. Participa e/ou organiza concertos e workshops desde 2013, dividindo a sua actividade entre o projeto “Concerto para Lugares” [concertos adaptados para lugares indoor ou out door] e “Pavão Albino” [espetáculo – concerto para black box].

    + informação
  • Monstros Urbanos

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Instalação Monstros Urbanos de Susana Marques e Renata Bueno

    12/set | Aberto no período em que ocorrerem actividades no Convento de S. Francisco

    Convento de S. Franciso

    *Obrigatório o uso de máscara

    monstrosurbanosAs artistas elegerão pontos de interesse (3 ou 4) na cidade de Montemor.
    Em cada ponto será projectada uma imagem, uma depois da outra na sequência dos dias.
    As imagens serão construídas com materiais diferentes sobre um retro projector.
    O trabalho poderá ser visto ao vivo no seu processo de construção.
    Os processo e o resultado final em cada ponto escolhido serão gravados passo a passo.
    Será editado um filme com o trabalho completo que será exibido dia 12 de Setembro no Convento de S. Francisco

    + informação
  • Liga Mole

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Exposição Liga Mole de Marco Franco

    De 11/set a 9/out | Aberto no horário da Galeria Municipal: Das 10h-12:30h e das 14:30h-18h

    Galeria Municipal

    *Obrigatório o uso de máscara

    ligamoleEsta série de exercícios tridimensionais resultam da experimentação da plasticidade destes materiais e das suas capacidades de serem modelados.

    Se numa peça de design ou de arquitectura o projecto é fundamental, aqui acontece o contrário, o resultado é definido pela possibilidade performática em atingir um design arquitetónico não racional.

    “Exercícios de parede com materiais não ferrosos. Agulhas e lâminas de estore, dimensões variáveis, 2020. ”

     

    Marco Franco 1972, Lisboa

    Músico e artista visual autodidata, iniciou o percurso musical colaborando e gravando como percussionista em múltiplos projectos. Entre 2006/2011 gravou os álbuns do seu grupo Mikado Lab, em 2017, editou “Mudra” para solo piano. Colaborou e criou música para teatro, dança e cinema. Recentemente fez a sua primeira exposição individual na Galeria ZDB com curadoria de Natxo Checa.

    + informação
  • Sombra Dormente

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Instalação Sombra Dormente de Paulo Morais

    De 11/set a 9/out | Aberto no horário da Galeria Municipal: Das 10h-12:30h e das 14:30h-18h

    Galeria Municipal

    *Obrigatório o uso de máscara

    expoguardariosEsta instalação de Paulo Morais é fruto de uma residência na Lagoa de Óbidos no contexto do projecto Guarda-Rios.

    A partir de várias caminhadas que o colectivo West Coast fez à volta da Lagoa o artista foi encontrando objectos, elementos orgânicos e vegetais , interessou-lhe a relação entre percepção, objeto-sombra e tempo.

    + informação
  • Exposição OCT

    On: 08/19/2020
    In: OCT, Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Exposição OCT

    De 16/set a 19/set | Actividade aberta no horário do Centro de Investigação de Cerâmica (OCT): Das 10h-13h e das 15h-18h

    Centro de Investigação de Cerâmica

    *Obrigatório o uso de máscara

    expooctEsta exposição visa dar a conhecer o trabalho efectuado ao longo do ano nas Oficinas da Cerâmica e da Terra em Montemor-o-novo durante o ano 2019/2020.
    Nos diferentes modelos de aprendizagem, conseguimos identificar as características pessoais de criação de cada participante.
    Esta apresentação reflecte a aprendizagem que proporcionamos ao longo do ano às mais diversas pessoas envolvidas.
    Uma viagem às técnicas de modelação e decoração cerâmicas que nos alegram e mostram que todos podemos criar.

    + informação
  • O Bolo

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Teatro “O Bolo” – Era Uma Vez

    19/set | 11h

    Praça de Touros

    *É obrigatório fazer reserva para esta actividade em: retomamultidisciplinar.pt 

    *Obrigatório o uso de máscara

    oboloUm dia o Sr. António e a Sra. Antónia fizeram um bolo. Deixaram-no a arrefecer e pediram aos meninos que tomassem conta dele enquanto o Sr. António dava de comer às galinhas. Quando o Bolo se levantou da mesa, os meninos chamaram o Sr. António, mas este foi incapaz de o agarrar e o Bolo fugiu para o floresta.
    Na floresta, o Bolo encontrou uma Lebre que o queria comer, cantou-lhe uma canção e aproveitou a distracção desta para fugir.
    Encontrou, depois um Urso e um Lobo de quem também escapou. Quando, todo seguro de si, se vangloriava de ser mais esperto do que todos os animais da floresta apareceu a dona Raposa que se mostrou muito mais esperta do que ele.
    Ficha Técnica
    Técnica – Teatro de Fantoches
    Texto – José Carlos Alegria a partir de um conto tradicional russo
    Bonecos – Vasco Fernando
    Cenários – António Canelas
    Guarda-Roupa – Cristina Roque
    Manipulação – José Carlos Alegria e Carlos Miguel Meira Alegria
    Duração do Espectáculo – 45 min
    Versões em Português e Castelhano

    Número máximo de participantes: 25 pessoas.

    + informação
  • E-nxada

    On: 08/19/2020
    In: Outros Eventos
    Views: 0
     Like

    Teatro E-nxada – Erva Daninha

    12/set | 21h

    Convento de S. Francisco

    *É obrigatório fazer reserva para esta actividade em: retomamultidisciplinar.pt Esta reserva inclui 2 actividades (Teatro E-nxada + Concerto Chão Maior)

    *Obrigatório o uso de máscara

    enxadaEspetáculo de circo contemporâneo que remete para a ruralidade, a sua desconstrução e imaginário sob um ponto de vista urbano e contemporâneo. Investigação artística através da relação do corpo e do objeto em cruzamento com a instalação plástica, composição sonora e iluminação.
    Partindo da ideia do trabalho original e primário e do seu lugar no espaço urbano atual, escolhemos um objeto que cava os tempos até hoje – a enxada. Símbolo de trabalho, de ligação entre o passado e o presente, de repetição e equilíbrio comuns ao circo contemporâneo.
    Uma alusão poética ao trabalho da terra através de um objeto/alfaia ancestral que relaciona o homem com a paisagem. Partimos do ritual, do esforço e resistência, para simbolicamente apresentar um qualquer ciclo agrícola. Cavar, semear, germinar, regar e colher. Através da desconstrução da enxada aludimos ao espírito da materialidade rural para o contexto urbano, crescentemente imaterial/evanescente. Recordar as origens, a importância da agricultura na fixação dos povos e do seu desenvolvimento e a relação do homem com a natureza.
    Dialéticas arcaicas/contemporâneas no território português em transformação acelerada.
    Onde fica o rural e para onde segue?
    Um encontro entre duas estruturas de regiões diferentes de contextos sociais, económicos e políticos distintos. A Erva Daninha uma companhia de novo circo da cidade do Porto integrada num contexto urbano cosmopolita em diálogo com a Binaural/Nodar uma estrutura da região de Lafões cujo trabalho incide sobre o experimental em contexto rural.

    Ficha Artística
    direção artística e conceção plástica VASCO GOMES, JULIETA GUIMARÃES
    interpretação JORGE LIX, RODRIGO MATOS, VASCO GOMES
    iluminação ROMEU GUIMARÃES
    composição sonora LUÍS COSTA
    cocriação ERVA DANINHA, BINAURAL/NODAR
    coprodução TEATRO NACIONAL SÃO JOÃO
    apoios TEATRO MUNICIPAL DO PORTO, INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

    Número máximo de participantes: 50 pessoas.

    + informação