“Uma Paisagem Vermelha” de Andrés Jurado

“Uma Paisagem Vermelha” de Andrés Jurado

5 Julho/5th July | 21:30h | Convento da Saudação

Uma paisagem vermelhaO autor propõe um universo de estímulos e sinais como uma aproximação ao universo cromatológio baseado em certos contos ancestrais de Sci-fi, histórias e cosmologias, por exemplo, a experiência de cor de Kris Kelvin em “Solaris”, a descrição da luz no ritual “Yuriparí”, a luz cor-de-rosa em “V.A.L.I.S.” descrito por Amacaballo Fat. Uma série de contos sobre o a forma como diferentes tipos de corpos sentem o espectro.

A performance é uma experimentação sinestética com cor e vídeo, considerando o filme como uma matéria viva. Isto acontece enquanto algumas vozes, sons e leituras sussurram para o espaço uma colecção vasta de diversas experiências sinestéticas retiradas a partir de fontes diferentes e aleatórias. Com uma 16mm e um projector de vídeo, é criada a performance – improvisação onde a luz cria diálogos delirantes com os dispositivos e evoca afectivamente as experiências cósmicas da cor.


 

The author proposes a universe of stimuli & signals as an approximation to the chromatological universe based on some Sci – fi and ancestral tales, stories and cosmologies, e.g. the color experience of Kris Kelvin in “Solaris”, the description of the light in the ritual of “Yuriparí”, the pink light in “V. A. L. I. S.” described by Amacaballo Fat. A series of tales about how the different kinds of bodies feels the spectrum.

The performance is a synesthetic experimentation with color and film, considering the film as a live matter. This happens while some voices, sounds and readings whisper into the space a wide selection of diverse synesthetic experiences taken from different sources randomly. With 16mm and a video projector it is creates a performance- improvisation in which the light, create a delirious dialogue with the devices and to evoke affectively the cosmic experience of color.

Comments are closed.