Retrô

Instalação Retrô do colectivo SAS Orkestra de Rádios

12/set | Aberto no período em que ocorrerem actividades no Convento de S. Francisco

Convento de S. Franciso

*Obrigatório o uso de máscara

_instretroRêtro é uma Instalação sonora, criada para espaço/caixa escura.
Esta instalação permitirá consolidar, dar continuidade e autonomia a um momento do espetáculo Pavão Albino, no qual os performers colocam todos os instrumentos a “tocar sozinhos” e se juntam ao público num momento de contemplação.
Consiste em dispor os instrumentos (desenhados e fabricados pelo colectivo) construídos a partir de antenas e rádios (transistores), explorando seu sentido plástico, cenográfico e musical e desta forma propor um ambiente sonoro e estético intimista. As antenas, objectos de mediação de ondas invisíveis, saem dos telhados e são instaladas no chão.
Tirando partido da volatilidade comportamental intrínseca a este instrumentos musicais inéditos (antenas) e das ondas rádio que nos envolvem, devidamente tratadas e “transformadas” pelo potencial dos instrumentos deste colectivo criam-se paisagens sonoras que investigam o inusitado e constroem uma dramaturgia sonora autónoma através de um processo de transformação lenta e automática.
A base sonora desta instalação inclui assim a sintonização das ondas radiofónicas do lugar em diálogo com os instrumentos idiossincráticos dos SAS Orkestra de Rádios. Produz uma composição sonora variável de acordo com as condições, tempo de transmissão e inércia do sistema. Este sistema permite construções “musicais” de grande riqueza rítmica e textural. Desta forma, se cria em tempo real, um concerto sem músicos, onde os instrumentos são os únicos actores. O público é convidado a deambular ou permanecer o tempo que desejar no espaço na instalação, e desfrutar de um espectro sonoro, único inesperado e surpreendente.

SAS Orkestra de Rádios
Retrô é uma instalação sonora inédita da autoria do colectivo SAS Orkestra de Rádios .
Este é um colectivo de génese transdisciplinar, criado por Sónia Moreira, Ana Trincão e Simão Costa, com formações em Artes Plásticas, Performance e Música, respectivamente.
Paralelamente ao desenvolvimento dos seus percursos artísticos individuais, este colectivo, fundado em 2013, construiu e consolidou a sua identidade baseada numa lógica transdisciplinar, de co-criação e co-direção entre pares.
O SAS Orkestra de Rádios, toca e cria instrumentos inusitados, constituídos por antenas analógicas e rádios de bolso modificados, transformadas em objectos estético-sonoros, que capturam e interagem com ondas rádio. Uma proposta no âmbito da arte sonora, essencialmente experimental, que cria sons a partir da manipulação das antenas, e cujas composições integram o ruído como elemento potenciador.
Os SAS partilham a sua visão artística e linguagens com o público, através de concertos de música improvisada, proporcionando uma experiência sonora imersiva, convidam o público a desfrutar de viagens e devaneios sonoros. Participa e/ou organiza concertos e workshops desde 2013, dividindo a sua actividade entre o projeto “Concerto para Lugares” [concertos adaptados para lugares indoor ou out door] e “Pavão Albino” [espetáculo – concerto para black box].

Comments are closed.