História

pt


SÍNTESE DO TRABALHO DESENVOLVIDO NOS ÚLTIMOS ANOS

A actividade dos criadores da Associação contribuiu para que a Cultura se definisse como um dos eixos de desenvolvimento da Cidade. Deste modo as actividades da Associação estruturam-se neste território como resposta às necessidades da cidade, dos artistas e dos investigadores.

As acções programadas privilegiam a formação e a produção de obras de artistas em início de actividade, apetrechando-os de meios de trabalho e disponibilizando-lhes estruturas para a produção de obras nas áreas da Escultura (cerâmica e metais), da Imagem (fotografia e multimédia), da Música e da produção de eventos multidisciplinares.

Salientam-se os Projectos que envolvem os domínios da Arte Pública, da Paisagem, e do Património Natural, Arquitectónico e Ambiental: Simpósios de Escultura – A recuperação de um Telheiro (indústria tradicional de produção de tijolos e tijoleiras) permitiu avançar para a Cerâmica de grande formato e está na origem da realização dos três Simpósios Internacionais de Escultura em Terracota (1996, 1998 e 2001), estabelecendo uma relação directa com a arquitectura tradicional e as matérias cerâmicas do lugar, pontuando o Espaço Público.

Oficinas Experimentais – Nos programas de formação, tem tido particular importância a resolução de lacunas a nível nacional, recorrendo-se sempre que se traduza numa mais valia para os participantes, ao convite a artistas estrangeiros, como por exemplo Nina Hole (Dinamarca) e Arnie Zimmerman (USA) cuja experiência contribuiu para valorizar e abrir novas possibilidades para a criação artística, ou para beneficiar e introduzir novas técnicas no local de trabalho, como a construção de um forno de sal – grés de Sal, orientado pelos ceramistas Annemette Hjortshoj e Claus Domine Hanssen (Dinamarca), ou ainda de Elsa Gonçalves (Portugal) com a construção de um forno de alta temperatura.

Residências – Têm vindo a ser criadas novas valências introduzindo a cerâmica de alta temperatura, e permitindo dar resposta a projectos de artistas (portugueses e estrangeiros), que aqui residem ou vêm fazer residência para produção das suas obras ou grupos em contexto escolar como por exenplo a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e Escola Secundária Artística Antonio Arroio para realização de Oficinas práticas ligadas às tecnologias.

Uma outra vertente das orientações do trabalho responde às preocupações com a qualidade do espaço habitado e as relações entre o meio rural e o meio urbano. A recuperação do Rio Almansor, e de um dos seus o moinhos, o do Ananil, serviu de mote para desenvolver o programa Projecto RIO (2004-2005), destacando-se nele as seguintes acções:

Projectar o Rio partiu de um convite aos sócios da Associação e a estudantes de artes, para criarem obras num contexto e território específicos, do qual resultaram um conjunto de 16 obras usando diversas disciplinas, fotografia, instalação, documentários, vídeos de arte, performances, pintura e desenho.

As obras foram apresentadas no Moinho do Ananil, no Rio Almansor, na várzea, no Castelo e na Galeria Municipal, constituindo-se como ponto de partida para reflexões sobre património, memória e lugar.

Os ciclos de conferências Conversas à Volta do Rio I (2004) e Conversas à Volta do Rio II (2005) reuniram vários especialistas de diferentes áreas do saber, das artes às ciências, produzindo uma reflexão transversal, em torno da Paisagem Rural, da Arte Pública e da Conservação do Património nas suas vertentes arquitectónica, natural, ambiental e social.

A realização de dois Cursos pós-licenciatura, Rio Paisagem e Cidade (Março de 2003) e Desenhar Paisagem (Abril de 2006), orientados por especialistas em arte pública, Antóni Remesar e Javier Maderuelo (U. de B. A. de Barcelona e da U. de Arquitectura de Alcala de Henares em Espanha) teve o intuito de contribuir para o desenvolvimento e aprofundamento dos conhecimentos sobre o local e avançar com propostas para discussão.

Estas iniciativas para além de deixarem publicado um conjunto de textos de qualidade científica, têm o mérito de traduzirem visões multidisciplinares, colocando as questões sob diferentes perspectivas. O tempo da conferência e os diálogos estabelecidos permitiram criar uma consciência do Lugar para futura tomada de decisões mais adequadas à recuperação deste território por parte dos eleitos autarquicos e servir, deste modo, um grupo muito alargado de pessoas.

Evento Cultural Ananil foi um encontro de criadores em forma de festa onde a música e as artes visuais e performativas se apresentaram em novos contextos e a novos públicos, ensaiando e explorando novas vivências do sítio. Escola e o Rio consiste num projecto-piloto desenvolvido com alunos da escola EB2,3 de Montemor-o-Novo que tem como objectivos a consolidação dos conhecimentos teóricos adquiridos na escola, o desenvolvimento do interesse pela Ciência e pelas novas tecnologias, o incremento da observação multidisciplinar e criatividade, versando os domínios da educação artística e ambiental promovendo o respeito pelos recursos hídricos no presente e futuro.

Durante o ano de 2006, foi desenvolvido o PROJECTO MARGENS, um programa de criação artística que visou pensar, projectar e promover a criação artística a partir do conceito margem. O programa foi constituído por duas oficinas de intervenção (orientadas por especialistas) Desenhar Paisagem, por Javier Maderuelo, e Intervir na Paisagem, por Alberto Carneiro, que exploraram a relação entre a cidade e o espaço natural/histórico envolvente.

Procurou-se que as intervenções artísticas promovessem novas possibilidades de leitura e de experiência aos habitantes da cidade. Conversas à volta das Margens – 2006 foi o ciclo de conferências internacionais que enquadrou teoricamente o programa Margens. Reflectiu-se acerca da programação, gestão cultural e criação artística em cidades periféricas, bem como acerca do tratamento do corpo nas práticas artísticas contemporâneas.

Conversas à volta da Espacialidade – 2007 Areflexão proposta nesta edição recaiu, mais uma vez, sobre as circunstâncias específicas do lugar. Pensar a cidade de Montemor-o-Novo como um lugar de margem, permeável por influências externas mas, onde se forjam circunstâncias específicas de produção e criação foi uma forma de compreender as particularidades do lugar e potenciar essas particularidades.

As temáticas do programa foram centradas na ideia de espaço:o cruzamento entre as artes visuais e a arquitectura, a herança do património histórico, a dilatação e a permeabilidade do espaço gerado pela prática artística.
Procurou-se perceber como é que a prática artística contribui para a construção de um “lugar habitado”.

O Ciclo das conferências é fundamental para o trabalho de divulgação promovido pela associação, por ser um encontro onde se juntam profissionais da área das artes e outras áreas de investigação, e no qual se apresentam e debatem outras acções e exposições realizadas.

De salientar o contínuo apoio técnico e logístico que tem vindo a ser prestado em numerosos projectos nos últimos anos, co-produzindo com diversas instituições e criadores: Apoio na montagem de espectáculos de música, teatro, performance; Co-produção de projectos, tais como “Tubando” de Paulo Morais,

“Canal Zero”, “Chuva Pasmada” do grupo Evoé, Cooperativa Pia, Alma d’Arame, entre outros, assessorados a nível executivo e administrativo potenciando ligações dos projectos acolhidos com a autarquia e outras entidades locais, nacionais e internacionais; Produção de maquinaria de cena e para cinema de animação de volumes em Desassossego, de Lorenzo Degli ?Innocenti; Apoio na edição de vídeo em projectos como “Terra di Barro” de Pedro Conceição ou “In the Land of P…” de Teresa Ranieri; Apoio área projecto, Escola Secundária de Montemor-o-Novo
(multimédia);

Gravação e edição de áudio e vídeo de projectos em residência, constituindo materiais de promoção importantes na difusão de propostas; Acolhimento de artistas em trânsito que necessitam sazonalmente de espaço para oficina e alojamento viabilizando assim as sua propostas.

 

en


SUMMARY OF THE WORK DEVELOPED IN THE LAST YEARS

The activity of the Association’s founders has contributed towards the definition of culture as one of the development axis of the city. Thus, the activities of the Association are structured in this territory as an answer to the needs of the city, artists and investigators.

The programmed actions privilege the conception and the production of works of debutant artists, providing them with the means to work and making available structures for the production of works in the fields of sculpture (ceramic and metals), image (photography and multimedia), music and production of multidisciplinary events.

We highlight the projects that involve the domains of Public Art, Landscape and Natural, Architectonical and Environmental Heritage:

Sculpture symposiums – The recovery of a tiler (traditional industry for the production of bricks and tiles) allowed to move forward to big dimension ceramic and is at the origin of the realization of three International Symposiums of Terracotta Sculpture (1996, 1998 and 2001), establishing a direct relation with the traditional architecture and the ceramic matters of the place, marking the public space.

Experimental workshops – In the training programs, it has been particularly important to offer actions that haven’t been offered before, at a national level, and we invite foreign artists to give these actions whenever it represents a gain to the participants, as for example Nina Hole (Denmark) and Arnie Zimmerman (USA), whose experience contributed to value and open new possibilities for the artistic creation or to benefit and introduce new techniques in the workplace, like the construction of a salt oven – salt sandstone, oriented by the ceramists Annemette Hjortshoj and Claus Domine Hanssen (Denmark), or Elsa Gonçalves (Portugal), with the construction of a high temperature oven.

Residencies – New valences have been created introducing the high temperature ceramic which allowed to welcome projects by (Portuguese and foreign) artists that reside here or come to reside to produce one of their works, or by groups in a school context as for example the Faculdade de Belas Artes of Universidade de Lisboa and Escola Secundária Artística António Arroio to conduct practical workshops related to technologies.

On the other hand, the work orientations address some concerns about the quality of the inhabited space and the relations between the rural and the urban space. The recovery of Almansor River and of one of its mills, Ananil, jumpstarted the development of the program Projecto RIO [Project RIVER], where we highlight the following actions:

To project the river started with an invitation to the Association’s partners and to art students in order to create works in a specific context and territory, from which resulted 16 works using different disciplines: photography, installation, documentaries, art videos, performances, painting and drawing.

The works were presented in Moinho do Ananil, at Almansor River, on the flood plain, in the castle and in the Municipal Gallery, being used as a starting point for reflections about heritage, memory and place.

The conference cycles Conversas à Volta do Rio (2004) [Conversations Around the River] and Conversas à Volta do Rio II (2005) [Conversations Around the River II] gathered several specialists of different knowledge areas, from art to sciences, producing a transversal reflection around the rural landscape, public art and heritage preservation art in its architectonical, natural, environmental and social sides.

The realization of two post-degrees, Rio Paisagem e Cidade [Landscape River and City] (March 2003) and Desenhar Paisagem [Drawing Landscape] (April 2006), oriented by public art specialists António Remesar and Javier Maderuelo (Fine Arts University of Barcelona and Architecture University of Alcala de Henares in Spain)

These initiatives, besides resulting in the publication of a group of texts with scientific quality, have the merit of translating multidisciplinary visions, placing the issues under different perspectives. The conference time and the established dialogues have allowed the creation of a conscience of the place for the more adequate future decision making process towards the recovery of this territory by those responsible and to thus serve a much wider group of people.

The cultural event Ananil was a gathering of creators in party form where music and visual and performative arts were presented in new contexts and to new audiences, rehearsing and exploring new experiences of the place. Escola e o Rio [School and the River] is a pilot-project developed together with students of the school EB2,3 of Montemor-o-Novo that has the purposes of consolidating the theoretical knowledge acquired in school, the development of an interest for science and for the new technologies, the increment of the multidisciplinary observation and creativity, entering the fields of artistic and environmental education promoting the respect for the water resources in the present and in the future.

During 2006, we developed the PROJECTO MARGENS [Project Margins], a program for the artistic creation that aimed to think, project and promote the artistic creation based on the concept margin. The program was constituted by two intervention workshops (oriented by specialists) Desenhar Paisagem [Drawing Landscape], by Javier Maderuelo, and Intervir na Paisagem [Intervening in the Landscape], by Alberto Carneiro, that explored the relation between the city and the involving natural/historical environment.

Our purpose was that the artistic interventions would promote new reading and experience possibilities for the city inhabitants. Conversas à Volta das Margens – 2006 [Conversations Around Margins] was the international conference cycle that provided a theoretical frame to the program Margens. We reflected about the program, the cultural management and the artistic creation in peripheral cities, as well as about the treatment of the body in the contemporary artistic practices.

Conversas à volta da Espacialidade – 2007 [Conversations Around Spatiality] The reflection proposed in this edition was once again about the specific circumstances of the place. To think the city of Montemor-o-Novo as a marginal place, permeable by external influences but where specific circumstances are created for the production and creation was one of the ways chosen to understand the particularities of the place and potentiate those particularities.

The subjects of the program were centred on the idea of space: the crossing between the visual arts and architecture, the inheritance of the historical heritage, the dilation and the permeance of the space generated by the artistic practice.
We tried to understand how the artistic practice contributes to the construction of an “inhabited place”.

The conference cycles are essential for the dissemination work promoted by the association, because it is a meeting place for professionals of the field of the arts and other investigation areas and where other actions and exhibitions are presented and debated.

We want to stress the continuous technical and logistic support that has been provided in several projects over the last years, co-producing with different institutions and creators: support with the assembly of musical, theatrical and performative shows; co-production of projects, such as Tubando by Paulo Morais,

Canal Zero, Chuva Pasmada by the group Evoé, Cooperativa Pia, Alma d’Arame, among others, that were advised at an executive and administrative level, which allowed connections of the entertained projects to the municipality and other local, national and international entities; production of stage machinery and volume animation cinema in Desassossego, by Lorenzo Degli ?Innocenti; support in the video edition of projects like Terra di Barro by Pedro Conceição or In the Land of P… by Teresa Ranieri; support in the project area, Escola Secundária de Montemor-o-Novo
(multimedia);

Audio recording and edition of projects in residency, which represent important promotion materials for the dissemination of proposals; welcoming of travelling artists that seasonably need some space for workshop and lodging, thus making their proposals viable.